sábado, 19 de julho de 2014

Sobre a necessidade de dizer adeus



Dizem que dentre todas as possíveis coisas que nos podem acontecer durante a vida, a única que podemos ter certeza é a morte. Foi nisso que eu acreditei por um longo tempo. Infelizmente encontrei outra coisa para acreditar piamente que mais cedo ou mais tarde vai acontecer. Está coisa é o dizer adeus.

Sabe, é claro que fomos criados para, dentre muitas coisas, criar laços de amizades. O problema é que uma hora chega a despedida, e é para isso que não estamos preparados.

Não adianta tentar mostrar-se forte. Não adianta segurar as lágrimas com força. Não adianta chorar que nem criança. Não adianta tentar acordar desse sonho e voltar pra realidade. Afinal, essa é a realidade.

Quando se conhece uma pessoa por muito tempo, é natural pensar que ela nunca vai embora. E assim nos iludimos, pensando que o adeus não existe, pensando que sempre teremos essa pessoa para contar nossos problemas. E assim nos fechamos no nosso mundinho. E assim desistimos da realidade.

Pois bem, eu não estou escrevendo isso como um texto de auto-ajuda. Até porque acho que isso não adiantaria muita coisa. Escrevo porque me recuso a afastar-me de certas pessoas que sempre estiveram comigo. Escrevo porque tenho medo de perder tudo que conquistei por esses anos. Escrevo porque não quero aceitar essa realidade de dizer adeus.

Sabe, é bem difícil falar sobre sentimentos, mas se eu não o fizer talvez eu fique louca com os costumeiros monólogos. Às vezes você sabe que tem gente passando pela mesma coisa que você, mas é difícil dizer em voz alta.

Ainda me resta algum tempo para aceitar o fato. Ainda me resta algum tempo para largar minha teimosia. Ainda me resta algum tempo para crescer. E ainda há um tempo de sonho, onde posso confortar-me um pouco, antes de cair na realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário