domingo, 24 de agosto de 2014

Cartão de biblioteca



Ei! Lembra de mim. Acho que não. Você nem deu a mínima para minha presença. Você estava com pressa quando me viu, não é?

Não te culpo. Não sou atrativa assim, logo de cara. O problema é que você tentou me conhecer, e mesmo assim fez pouco caso.

Eu sei que minhas palavras não são as mais belas, e minhas ideias não são as mais criativas, mas precisava me deixar de canto daquele jeito?

Acho que vim com defeito de fábrica, perdi página no caminho, ou foi você quem não prestou atenção?

Eu aqui, dando as tripas e coração para te fazer imaginar um mundo quase real, e você preferindo estar com seus joguinhos.

Uma vez alguém me disse "não fico bem na sua estante". Estas palavras repito. O meu cinza colorido não combina com seu sem sal, sem cor.

Você me riscou do seu cartão de biblioteca. Impossível o ser discreta. Faço questão de mostrar a todos que estou inteira, que superei a dor passageira.

Retorno à minha estante velha, onde descubro que me dou melhor com os artigos amigos monótonos que com seus livros de poesia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário