segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Deus numa lâmpada



"Poderes cósmicos e fenomenais dentro de uma lampadazinha."

Reconhece essas palavras?

Você pode dizer que é a frase que o Gênio usa no filme Alladin, ou que é uma das minhas citações favoritas da Disney - que não está errado -, mas vai dizer que nunca ouviu em outro lugar?

Talvez você não tenha ouvido com essas palavras, mas veja se essas são familiares:

"Deus não pode fazer nada lá do céu. Ele está muito longe."

"Ah, Deus? Ele até tem poder, e tal. Mas isso só no passado, na época de Moisés."

"Se Deus pudesse fazer alguma coisa ele já teria feito."

Agora imagine Deus sendo bombardeado com várias frases como estas todos os dias. Com uma mão ele tece cuidadosamente nossa vida e com a outra ele nos atende no telefone. Imagino que a mensagem que ele mais escuta é "Onde você estava?".

Nos tornamos impacientes quanto ao agir de Deus. Não queremos esperar o tempo certo. E quando algo demora um pouco mais do que imaginamos que demoraria já pensamos que o que pedimos foi grande demais para esse Deus. 

"Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus nem lhe deram graças; antes, em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu."
-Romanos 1.21

Nós limitamos o poder de Deus. E, ao invés de tratá-lo como Deus, tratamos como um bebê. Achamos bonitinho quando ele faz alguma coisa e achamos perfeitamente aceitável quando ele "não responde" como queremos. Ele é só um bebê, não é? Sendo assim, não tem problema.

Mas se ele é realmente o Deus que dizemos que ele é, porque não o tratamos como tal? Por que é que limitamos tanto um Deus tão grande? Sabemos que ele tem poder, sim. Mas porque é que enfiamos todo esse poder num pote e achamos que está tudo bem?

Está na hora de ver Deus como Criador. Por um instante esqueça seu amigo, seu senhor, seu consolador, seu pai. Veja agora o seu criador. O Criador do mundo.

Consegue ver a grama sendo formada? E as galáxias cintilantes? E o pó da terra, consegue ver? Consegue avistar o seu Criador moldando um boneco de barro? Esse boneco é você.

Foi ele quem te moldou, foi ele quem te deu vida e é ele quem está com você. É ele quem cria planos incríveis para você viver.

Quando foi a última vez que você contemplou a glória desse Deus? Já tentou imaginar a coisa mais incrível que ele poderia fazer? Com certeza se qualquer um de nós tentássemos certamente não conseguiríamos, mas será que já tentamos?

Esqueça o mundo. Pense na maior coisa que Deus pode fazer por você. Qual é o seu maior desejo? É ter sua casa própria? Passar na faculdade? Encontrar a pessoa certa, talvez? Saiba que ele pode fazer tudo isso e muito mais.

E temos que entender, também, que não é porque Deus pode fazer qualquer coisa que desejarmos que ele vai fazer qualquer coisa que desejarmos.

Como disse antes, Deus não é um gênio. Da mesma forma que Deus não tem o seu poder limitado dentro de um pote, ele também não tem a necessidade de atender os seus caprichos. Mas ele sempre faz o melhor para nós.

Deus entende como é difícil a vida aqui na terra, afinal, não foi ele quem viveu aqui por longos trinta e três anos? Deus é um cara bom, e ele não quer nos ver sofrer. E no que ele puder nos ajudar ele vai ajudar. Ele vai nos ajudar em tudo o que precisarmos.

Talvez ele não faça o que desejamos, mas ele com certeza faz o melhor. Pode ser que o melhor seja a morte. Pode ser que seja um ônibus quebrado que te atrasou para a prova de vestibular. Pode ser que seja uma doença que te faça lembrar dele. Às vezes o melhor é uma situação que você não aguenta sozinho só para aprender a ser dependente de Deus.

Uma vez o melhor de Deus para mim foi algo que eu achava que não acabaria nunca. Era uma pessoa. Uma pessoa que me provocava, que fazia coisas sem sentido e que saía com a razão. O melhor de Deus foi uma coisa com cara de castigo, mas que hoje eu entendo que foi para o meu bem. Foi algo que me ensinou a ser paciente e dependente dele.

E Deus trabalha todos os dias com o maior cuidado do mundo para que nós vivamos da melhor forma possível. Por ele nós viveríamos ainda como viviam Adão e Eva no Éden. Você pode dizer "Mas foi Deus quem deu severas punições para nós. É por causa de Deus que hoje temos que trabalhar e sentimos dor". Mas pense comigo, como seria se vivêssemos como antes?

Tudo estaria bem, não teria cansaço, nem dor, nem trabalho, nem choro, nem tristeza, nem nada disso que conhecemos hoje. E como é que lembraríamos que existe um Deus? Adão e Eva podiam viver em paz porque não havia pecado. Sendo assim, Deus conversava com eles todas as tardes. De maneira audível. De forma tão clara quanto como você consegue ouvir a sua voz.

Agora temos o sofrimento. E é em meio ao sofrimento que lembramos que só Deus é quem pode nos aliviar. É em meio ao sofrimento que fazemos uma auto-análise e tentamos deixar de errar como outrora erramos. É em meio ao sofrimento que o próprio Deus se manisfesta em nós.

"E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza.
De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo"
- 2 Coríntios 9,10


O melhor presente Deus já te deu. Ele te deu a salvação. O que vier depois é lucro e o resto é detalhe. Quando Jesus veio à terra ele tinha como objetivo morrer. Às vezes Deus tem um plano para nós, um plano mestre, mas também temos pequenas missões no meio do caminho para mostrar a glória do próprio Cristo para outras pessoas. No caso de Jesus, podemos dizer que aquelas curas e sermões não eram necessários para cumprir seu objetivo, mas tudo o que ele fez foi para gloriar-se no Pai.

Temos que aprender a viver como Cristo e depositar todo nosso reconhecimento aos pés dele. Temos que deixar um pouco a nossa honra de lado e entoar hosanas ao nosso Rei. Temos que lembrar que o nosso propósito é glorificar a Deus em vida para que possamos vê-lo em morte. O que temos que entender é que não adianta acumular glória aqui. Dessa forma, não adianta ter um Deus que concorda com você em tudo, nem um Deus que te dê tudo o que você deseja. O objetivo de Deus não é que você seja rico ou famoso. O objetivo dele é que você seja salvo para que no Grande Dia você possa vê-lo como ele realmente é. O objetivo de Deus é te instruir. O objetivo de Deus é realizar o sonho de muita gente.

Gente como eu, que sonha em contemplar seus olhos como chama de fogo, seus pés de latão reluzente, seus cabelos brancos como a neve, os quatro seres viventes em volta de seu trono. Gente que sonha em ouvir seu nome com uma voz como o som de muitas águas. Gente que deseja receber sua recompensa e então lançá-la aos pés do único Rei digno de reconhecimento.

Às vezes parece cruel quando digo que não importa para Deus se você tem um carro ou não. Mas Deus não te dará um carro se ele for te levar para o inferno. Não que o carro tenha habilidades assim, mas o amor que você pode ter por ele. Você pode se esquecer de Deus e querer visitar sua casa de praia toda semana ao invés de cumprir com seus compromissos na igreja.

Uma coisa que aprendi com esse Deus é que até o mal vem para o bem. Deus visa um plano bem maior do que o que vemos. Enquanto estamos vendo o agora ele está vendo daqui a dez anos. Ele já atravessou todo o tempo de eternidade a eternidade. Não há ninguém mais capacitado do que ele para nos dizer o que é melhor para nós.

Deus não é um gênio. E não apenas por não ter seu poder limitado e por não fazer tudo o que queremos. Deus não é um gênio porque um gênio faz o que faz por obrigação, uma maldição, ou uma sentença eterna, talvez. Diferente de um gênio, Deus faz o que faz porque nos ama. Para um gênio a vida não passa de negócios. Para Deus, não.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Mude. Se der mude de novo!



Lá estava eu no mesmo lugar em que fico todas as noites, manhãs e às vezes tardes. Diante de tantas coisas jogadas, de tantas coisas iguais. Abri o guarda roupa. As roupas sempre no mesmo lugar. Meus livros na mesma ordem.

Sempre foi desse jeito, nunca me incomodei. Mas dessa vez eu vi a necessidade de mudar. A mesma imagem que via todos os dias me inquietou.

"As roupas vão para cá e os livros ali", planejei. Mas no meio dos meus planos me peguei num pensamento que me faria desistir: E se eu não gostar de como ficar depois?

Sentei no chão e encostei na minha cama. Era mais fácil deixar tudo como estava, afinal, eu ainda tinha mais um monte de coisa para fazer e essa arrumação só me atrapalharia.

Lembrei de uma música que dizia: "Mas se eu volto atrás como saber o que perdi?".

Me levantei, esvaziei o guarda-roupa e as prateleiras. Mal conseguia pisar no chão. Estava completamente rodeada de coisas que remexiam meu coração e outras que não provocavam emoção alguma.

Em alguns instantes pensei em colocar tudo no lugar de sempre. Mas então um raio de lucidez me fez cerrar os olhos, então dormi para o mundo.

"Sempre foi assim, não é?", eu pensei. "Do jeito que deve ser.", continuei.

"Eu vivo dizendo que quero mudar, que tento mudar e, diante de uma mudança tão besta, me encontro receosa. A vida me exige mudanças, e devo exigir mudanças da vida, e vou começar pelo meu quarto."

"Mas... E se eu não gostar?", finalizei.

Essa é a pergunta que me inquietou não só enquanto eu descansava em cima das minhas roupas mas também quase todos os dias. Tanta coisa que quis fazer e deixei pra lá por medo de mudar. Meu maior receio era me colocar diante da minha pintura e achar que tinha vermelho demais.

"E se eu não gostar?", eu dizia.

Depois disso comecei a falar comigo mesma:

"Por que você não toma vergonha na cara? Se você mudar e não gostar desmude, ora! Não era você quem ficava reclamando que não aguentava mais quando suas camisetas se misturavam com suas saias? Faça ser diferente! Você é a única pessoa que pode arrumar as suas coisas. E além disso, o que você tem a perder?"

Me toquei.

E mais uma vez em meio a um monólogo eu achei a solução que eu tinha guardado no bolso.

Então mudei.

Se me arrependi? Não, mas confesso que me confundo quando quero vestir uma roupa e acabo pegando outra. Porém essa é uma das pequenas coisas que desejo mudar. É apenas o primeiro item da minha extensa lista de "não gosto nem desgosto".

E hoje eu entendi que não é preciso ter medo de mudar. Mude do seu jeito e o que vão pensar de você pouco importa. É que quando você para de dar muita importância ao que os outros pensam você passa a fazer as loucuras que você sempre sonhou.

domingo, 14 de dezembro de 2014

Dependente de novo



Você já está cansado, né? Sei bem como é isso. Não leve isso como frase de efeito. Eu sei que todos dizem isso, mas ainda me é tão recente que consigo ver a neblina na minha frente se eu fechar os olhos.

Doeu ficar tanto tempo sem direção. Mas a dor mais profunda se deu quando percebi que não tinha ninguém do meu lado. No começo até tinha alguém, mas eu queria provar minha independência para ele e acabei me deixando iludir. Eu disse para ele me esperar do outro lado. Mal sabia eu que ele chegaria em um instante.

Só quando finalmente eu o alcancei é que eu me liguei: ele era o caminho. O único caminho. Ah, se eu tivesse caminhado do ladinho dele... Eu pouparia os esforços que usei para traçar minha trilha. Consegui entender que várias semanas de mutilação não existiriam se eu ficasse quieta nos primeiros minutos.

E quantas vezes complicamos tudo!

- Primeiro fazemos isto. Depois seguimos por aqui. Por último é só dar um mortal de costas e aterrissar no trampolim a oeste. - falamos apontando para nossos rabiscos.

- Mas é só seguir em linha reta - ele diz.

- Seu plano é simples de mais. Não vai funcionar - retrucamos.

- Você não tem ideia do que está falando. É só seguir em frente - ele insiste.

- A sua ideia não tem graça.

- Você é quem sabe. - ele cede.

Então seguimos totalmente empolgados com o nosso plano. Chegamos do outro lado cortados, quase chorando. Mas não deixamos cair uma lágrima. Isso significaria que o plano falhou. Mas você quer provar para ele que você estava certo. Você quer mostrar independência. Foi isso que você sempre quis!

Foi isso que eu sempre quis.

Ele me colocou em um labirinto e me deixou tentar encontrar a saída sozinha. Se eu conseguisse significaria que eu finalmente poderia andar sozinha, sem segurar na mão de ninguém.

Ah, se eu soubesse o que me esperava... Eu sequer ousaria pensar em entrar ali sozinha.

Eu nunca o vi com medo de nada nem de ninguém. Era ele quem me encorajava a entrar na caverna escura sem palpitar o coração. Era ele quem me levava no colo quando eu estava cansada. Era ele quem era mais alto que as próprias paredes do labirinto. Ele era quem me falava a direção para seguir.

Eu soltei um grito bem alto. Um grito de socorro. Em poucos instantes ele estava me abraçando e me pedindo para não chorar.

Quando digo "independente" não quero dizer "sair da presença de Deus". Muito pelo contrário. Às vezes queremos agir por nós mesmos justamente para mostrar para Deus que somos capazes de fazer a vontade dele. Mas não somos.

Na verdade, por nós mesmos não conseguiríamos sequer conhecê-lo.

"Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus."
-Romanos 3.23

A palavra pecar significa "errar o alvo". O alvo, Jesus. Pecar é fazer qualquer coisa que fuja dele. Se Cristo é amor, se não amarmos, pecamos. Ao fazermos qualquer coisa que ele não é, pecamos. Todos pecamos.

Ao nascermos perdemos instantaneamente o direito de conhecer a glória de Deus. Temos que conquistar aos poucos. Temos que recorrer a Jesus Cristo para chegar ao Pai. Ele é a nossa ponte até a fonte inesgotável de Deus.

"Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo"
-Salmo 46.4

Só Jesus pode nos oferecer essa fonte. E ele nos diz: "Esforça-te e tem bom ânimo" (Josué 1.9). Ele não só nos pede para continuarmos firmes, com ânimo, como também nos diz que vai ser difícil. Esforça-te ele diz. Consigo imaginar o próprio Deus falando com Josué da seguinte forma:

"Eu te enviei. Você tem que confiar em mim para que tudo dê certo. A coisa não vai ser fácil. Você vai querer desistir em certo momento. Mas olhe para mim. Quando todos estiverem te dizendo que não tem mais jeito lembra-te de quem te enviou. Lembra-te que não foi homem que te designou a esta obra. Lembra-te do dia em que te escolhi no ventre da tua mãe. Olhe para mim e eu lhe darei a força que você precisar. E nunca desista. Se esforce. Lute com todas as suas forças. Eu te prometi, não foi? Pois saiba que eu cumprirei. Esforça-te para alcançar o que eu te preparei. Esforça-te. Meu presente está do outro lado. Esforça-te. Te julgarão e te abandonarão. Mas mantenha a calma. Esforça-te, pois grande é a minha obra para você. E acima de tudo, se tudo isso não der certo, antes mesmo que não dê certo, não esqueça de uma coisa: Olhe para mim."

Ele diz o mesmo para você. Consegue ouvi-lo? As vozes dos seus problemas gritam mais alto? Se tranque no seu quarto, onde eles não podem te incomodar. Esqueça seu emprego e sua família. Esqueça tudo.

Você diz: "Fala porque teu servo ouve.". E ele responde: "Vai dar tudo certo".

Esqueça suas limitações. Esqueça tudo.

Se lembra de quando Deus te chamou? Se lembra para que ele te chamou? Tente se lembrar do início de tudo. Leve a sua memória para um passado mais distante.

Se lembra daquela tarde? Você via um corpo sendo carregado até a tumba de José de Arimatéia. Não te deixaram chegar muito perto, mas o que você viu foi o bastante. Você viu seu mestre. A mesma pessoa que falava sobre esperança e vida eterna estava ali, morto. Você ficou em dúvida se o que ele falava era verdade. Então você fugiu dali. Você queria um tempo para colocar os pensamentos no lugar. "Então era tudo mentira?", você disse. "Onde ele está para me falar de vida eterna agora?". Pouco mais de um mês se passou. Você foi para Jerusalém. Você viu um rosto muito familiar, mas... quem era? Você buscou em sua memória e só uma pessoa correspondia à face daquele homem. Seria ele Jesus, o carpinteiro? Seria ele o homem que dissera que prepararia morada? Então você caiu em si. Era ele, sim! Você percebeu quando ele ascendeu aos céus, dando uma missão para todos os que estavam ali. A mensagem era para todos, mas você sentiu como se fosse só para você. Você teve a impressão de que ele te olhava. Seu olhar dizia: Eu estou com você.

Se lembra?

Quantas das vezes você desistiu de lutar? Quantas das vezes parecia que seu Deus estava morto? Parecia que seu melhor amigo não te ouvia, não é? Mas ele sempre esteve contigo. Seus problemas gritam tão alto que você sequer consegue ouvir a voz dele.

Você é dono de seus problemas. Você tem poder sobre eles. Não controle, mas poder. "Fiquem quietos!", você pode gritar para eles, e eles se aquietarão. Você também pode decidir ceder e dizer "tudo bem, vocês são mais fortes do que eu". Mas o que você realmente precisa fazer é reconhecer, sim, que você é fraco e que você não pode sozinho, então chamar o seu Deus, que é bem maior que você, para te ajudar.

Sabe aquela entrevista que você fez na semana passada? Esquece ela. E sua mãe que está com câncer? Entregue-a nas mãos de Cristo. Sua namorada terminou contigo? Dedique todo o seu amor ao seu Deus.

Esquecer não é fácil, mas é a melhor opção.

Certa feita ele me pediu para esquecer. E não era algo do tipo uma bolsa para a melhor escola estadual da cidade ou uma viagem tão esperada para o Japão. Se tratava de uma pessoa. E não qualquer pessoa: meu amigo. Me arrisco a dizer que era um dos meus melhores amigos. Algumas coisas aconteceram que nem hoje sei o motivo. E essas coisas me preocuparam muito. Eu queria descobrir o que havia acontecido a qualquer custo. E ele me pediu para esquecer. Mal sabia eu que toda aquela ansiedade estava me consumindo. Hora ou outra eu estava pensando nisso de forma que estava atrapalhando meu relacionamento com Deus. Ele me pediu para esquecer novamente. Como já não tinha mais nada a perder, eu aceitei. Esqueci. Melhorei.

Não foi fácil para mim. Não vou te iludir dizendo que será para você.

Esquecer é deixar para trás uma parte de si. E Jesus só vai te pedir para esquecer quando essa parte estiver te impedindo de passar pela porta estreita.

E tudo o que ele quer é nos abraçar e dizer: "Sou eu quem vou te proteger". Infelizmente, o que ele tem são filhos que insistem em desviar o rosto quando o veem na esquina da escola.

E nós? O que precisamos fazer?

Sabe aquele seu priminho que sempre fala que foi você quem quebrou seus brinquedos? Esqueça seus pontos negativos e procure suas qualidades. Você vai encontrar algumas como sinceridade extrema e simplicidade que encanta, mas há uma coisa que é tão difícil de ver em uma pessoa já crescida do que as outras: seu priminho é totalmente dependente de seus tios - e pais dele, no caso.

É só ele cair que vai chorando para o pai. É só sentir fome que sai gritando pela mãe.

Geralmente os mais novos seguem o exemplo dos mais velhos. Vamos inverter dessa vez. Se espelhe nele.

Da próxima vez que alguém te machucar vá chorar para Jesus. Ele está de braços abertos para te receber. Não importa quantas vezes você tenha gritado com ele e dito que sairia de casa. Ele ainda te ama. E um desejo arde no coração desse Deus: o de te pegar no colo e te ver sorrindo quando ele te chamar de bebê.




terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Mudando - de novo - o blog...



Estou a mudar constantemente. Tantas vezes que já perdi as contas. Este blog, porém, parece ser sempre o mesmo, então me prendo ao seu objetivo para postar um conteúdo condizente.

Pois bem, a partir de agora quero anunciar uma nova fase. Espero que dessa vez seja sério.

A partir de hoje este blog será um depósito de ideias que saem da minha cabeça. Não espere encontrar nada com tema por aqui. Não mais.

Sendo assim, creio que vocês não precisarão nem de uma sessão "Perfil" para saber quem eu sou.

Considere-se lendo meu diário de bordo.

O aviso foi dando, então não vou tentar encher esse post com palavras inúteis só para que ele fique maior.

Até a próxima!