segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Deus numa lâmpada



"Poderes cósmicos e fenomenais dentro de uma lampadazinha."

Reconhece essas palavras?

Você pode dizer que é a frase que o Gênio usa no filme Alladin, ou que é uma das minhas citações favoritas da Disney - que não está errado -, mas vai dizer que nunca ouviu em outro lugar?

Talvez você não tenha ouvido com essas palavras, mas veja se essas são familiares:

"Deus não pode fazer nada lá do céu. Ele está muito longe."

"Ah, Deus? Ele até tem poder, e tal. Mas isso só no passado, na época de Moisés."

"Se Deus pudesse fazer alguma coisa ele já teria feito."

Agora imagine Deus sendo bombardeado com várias frases como estas todos os dias. Com uma mão ele tece cuidadosamente nossa vida e com a outra ele nos atende no telefone. Imagino que a mensagem que ele mais escuta é "Onde você estava?".

Nos tornamos impacientes quanto ao agir de Deus. Não queremos esperar o tempo certo. E quando algo demora um pouco mais do que imaginamos que demoraria já pensamos que o que pedimos foi grande demais para esse Deus. 

"Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus nem lhe deram graças; antes, em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu."
-Romanos 1.21

Nós limitamos o poder de Deus. E, ao invés de tratá-lo como Deus, tratamos como um bebê. Achamos bonitinho quando ele faz alguma coisa e achamos perfeitamente aceitável quando ele "não responde" como queremos. Ele é só um bebê, não é? Sendo assim, não tem problema.

Mas se ele é realmente o Deus que dizemos que ele é, porque não o tratamos como tal? Por que é que limitamos tanto um Deus tão grande? Sabemos que ele tem poder, sim. Mas porque é que enfiamos todo esse poder num pote e achamos que está tudo bem?

Está na hora de ver Deus como Criador. Por um instante esqueça seu amigo, seu senhor, seu consolador, seu pai. Veja agora o seu criador. O Criador do mundo.

Consegue ver a grama sendo formada? E as galáxias cintilantes? E o pó da terra, consegue ver? Consegue avistar o seu Criador moldando um boneco de barro? Esse boneco é você.

Foi ele quem te moldou, foi ele quem te deu vida e é ele quem está com você. É ele quem cria planos incríveis para você viver.

Quando foi a última vez que você contemplou a glória desse Deus? Já tentou imaginar a coisa mais incrível que ele poderia fazer? Com certeza se qualquer um de nós tentássemos certamente não conseguiríamos, mas será que já tentamos?

Esqueça o mundo. Pense na maior coisa que Deus pode fazer por você. Qual é o seu maior desejo? É ter sua casa própria? Passar na faculdade? Encontrar a pessoa certa, talvez? Saiba que ele pode fazer tudo isso e muito mais.

E temos que entender, também, que não é porque Deus pode fazer qualquer coisa que desejarmos que ele vai fazer qualquer coisa que desejarmos.

Como disse antes, Deus não é um gênio. Da mesma forma que Deus não tem o seu poder limitado dentro de um pote, ele também não tem a necessidade de atender os seus caprichos. Mas ele sempre faz o melhor para nós.

Deus entende como é difícil a vida aqui na terra, afinal, não foi ele quem viveu aqui por longos trinta e três anos? Deus é um cara bom, e ele não quer nos ver sofrer. E no que ele puder nos ajudar ele vai ajudar. Ele vai nos ajudar em tudo o que precisarmos.

Talvez ele não faça o que desejamos, mas ele com certeza faz o melhor. Pode ser que o melhor seja a morte. Pode ser que seja um ônibus quebrado que te atrasou para a prova de vestibular. Pode ser que seja uma doença que te faça lembrar dele. Às vezes o melhor é uma situação que você não aguenta sozinho só para aprender a ser dependente de Deus.

Uma vez o melhor de Deus para mim foi algo que eu achava que não acabaria nunca. Era uma pessoa. Uma pessoa que me provocava, que fazia coisas sem sentido e que saía com a razão. O melhor de Deus foi uma coisa com cara de castigo, mas que hoje eu entendo que foi para o meu bem. Foi algo que me ensinou a ser paciente e dependente dele.

E Deus trabalha todos os dias com o maior cuidado do mundo para que nós vivamos da melhor forma possível. Por ele nós viveríamos ainda como viviam Adão e Eva no Éden. Você pode dizer "Mas foi Deus quem deu severas punições para nós. É por causa de Deus que hoje temos que trabalhar e sentimos dor". Mas pense comigo, como seria se vivêssemos como antes?

Tudo estaria bem, não teria cansaço, nem dor, nem trabalho, nem choro, nem tristeza, nem nada disso que conhecemos hoje. E como é que lembraríamos que existe um Deus? Adão e Eva podiam viver em paz porque não havia pecado. Sendo assim, Deus conversava com eles todas as tardes. De maneira audível. De forma tão clara quanto como você consegue ouvir a sua voz.

Agora temos o sofrimento. E é em meio ao sofrimento que lembramos que só Deus é quem pode nos aliviar. É em meio ao sofrimento que fazemos uma auto-análise e tentamos deixar de errar como outrora erramos. É em meio ao sofrimento que o próprio Deus se manisfesta em nós.

"E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza.
De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo"
- 2 Coríntios 9,10


O melhor presente Deus já te deu. Ele te deu a salvação. O que vier depois é lucro e o resto é detalhe. Quando Jesus veio à terra ele tinha como objetivo morrer. Às vezes Deus tem um plano para nós, um plano mestre, mas também temos pequenas missões no meio do caminho para mostrar a glória do próprio Cristo para outras pessoas. No caso de Jesus, podemos dizer que aquelas curas e sermões não eram necessários para cumprir seu objetivo, mas tudo o que ele fez foi para gloriar-se no Pai.

Temos que aprender a viver como Cristo e depositar todo nosso reconhecimento aos pés dele. Temos que deixar um pouco a nossa honra de lado e entoar hosanas ao nosso Rei. Temos que lembrar que o nosso propósito é glorificar a Deus em vida para que possamos vê-lo em morte. O que temos que entender é que não adianta acumular glória aqui. Dessa forma, não adianta ter um Deus que concorda com você em tudo, nem um Deus que te dê tudo o que você deseja. O objetivo de Deus não é que você seja rico ou famoso. O objetivo dele é que você seja salvo para que no Grande Dia você possa vê-lo como ele realmente é. O objetivo de Deus é te instruir. O objetivo de Deus é realizar o sonho de muita gente.

Gente como eu, que sonha em contemplar seus olhos como chama de fogo, seus pés de latão reluzente, seus cabelos brancos como a neve, os quatro seres viventes em volta de seu trono. Gente que sonha em ouvir seu nome com uma voz como o som de muitas águas. Gente que deseja receber sua recompensa e então lançá-la aos pés do único Rei digno de reconhecimento.

Às vezes parece cruel quando digo que não importa para Deus se você tem um carro ou não. Mas Deus não te dará um carro se ele for te levar para o inferno. Não que o carro tenha habilidades assim, mas o amor que você pode ter por ele. Você pode se esquecer de Deus e querer visitar sua casa de praia toda semana ao invés de cumprir com seus compromissos na igreja.

Uma coisa que aprendi com esse Deus é que até o mal vem para o bem. Deus visa um plano bem maior do que o que vemos. Enquanto estamos vendo o agora ele está vendo daqui a dez anos. Ele já atravessou todo o tempo de eternidade a eternidade. Não há ninguém mais capacitado do que ele para nos dizer o que é melhor para nós.

Deus não é um gênio. E não apenas por não ter seu poder limitado e por não fazer tudo o que queremos. Deus não é um gênio porque um gênio faz o que faz por obrigação, uma maldição, ou uma sentença eterna, talvez. Diferente de um gênio, Deus faz o que faz porque nos ama. Para um gênio a vida não passa de negócios. Para Deus, não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário