quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Retrospectiva 2015



Sem dúvida esse ano foi o melhor ano da vida vida até agora. Não digo isso como um clichê, porque talvez eu passe a dizer esta frase no fim de todos os anos até o fim da minha vida. Digo isso porque acredito que só agora comecei a viver. Pra quem não sabe, esse ano eu entrei no ensino médio. A escola mudou, as matérias mudaram, ninguém mais usava uniforme e os amigos não estavam mais por perto. Aqueles que puxavam a minha orelha e brigavam comigo quando eu extrapolava já não estudavam na mesma sala que eu, nem na mesma escola, nem no mesmo bairro.

Comecei a caminhar com as minhas próprias pernas. Foi difícil no começo. Fazia uns anos que eu não fazia novas amizades, ainda mais com gente que eu nunca tinha visto! Por sorte encontrei algumas pessoas da escola antiga - sou grata por elas.

Esse ano foi um ano de muitas mudanças e reviravoltas. Percebi que o mundo não se trata de mim. Conheci professores que se certificavam de nos fazer entender o conteúdo, e outros que não estavam nem aí para a grade, desde que um debate sobre moral fosse promovido em sala de aula. Os professores não ficavam mais no meu pé quando eu não queria fazer alguma lição, eles não ameaçavam chamar a minha mãe, então percebi que a vida é feita de escolhas.

Conheci pessoas com a alma tão machucada, com a família desestruturada, com a sanidade por um fio. Percebi que é desumano ser tão egoísta como eu tinha sido até então. Me aproximei de gente que nunca pensei me aproximar. Conheci pessoas incríveis, algumas até com uma vida bem difícil, e entendi que estar longe dos amigos não é tão ruim quando tem gente do seu lado tão distante dos pais, dos irmãos e até da esperança.

Fora da escola, conheci gente que não me tratava mais como se eu fosse a criança que eu acreditava ser. Adultos com problemas de adultos, falando comigo como se eu fosse adulta. Pessoas confiaram em mim para fazer coisas importantes, e seria tão injusto continuar tão irresponsável como sempre fui.

Vivi momentos intensos com Deus, e outros tão distantes. Um ano de altos e baixos, diria. Mas Ele nunca me abandonou. Nem quando eu chegava cansada e não tinha nem a coragem de dizer um oi. Ele atendeu atenciosamente cada um dos meus pedidos, e entendi que Ele não queria ser para mim apenas um Deus que promete e cumpre, mas um verdadeiro amigo, que diz "confie em mim" e faz o seu melhor.

Por vezes quis simplesmente deixar de existir, pois o fardo para carregar era realmente muito pesado, mas então eu olhava para o lado e via pessoas bem piores do que eu. Isso me dava força não só para continuar caminhando como para pegar essas pessoas pelo braço e ajudá-las a se levantar.

Esse ano foi um ano de mudanças. E cara, eu nem sei como agradecer às pessoas que me acolheram e me ajudaram a melhorar a cada dia. Olhando para quem eu era há um ano atrás eu não me reconheço mais. Mesmo havendo ainda tanto para mudar, acredito que eu melhorei muito.

Esse ano foi um ano de aventuras. Nos - infelizmente poucos - momentos que eu me entreguei às mãos de tão bondoso Deus que sirvo, pude provar de coisas que nunca imaginei provar. Pude vê-lo enxugando minhas lágrimas, trabalhando em meu coração, cuidando de pessoas importantes para mim. Pude senti-lo pertinho e sentir o Seu abraço. Pude compartilhar de Sua visão e de Sua Amazing Grace.

Fiz coisas pelas quais me arrependo. Se já tivessem inventado a máquina do tempo eu certamente voltaria para mudar as besteiras que fiz. Mas, como diria a Banda Resgate: Tudo é uma lição, a gente tem que aprender!

2015 foi um ano de muitas lágrimas e risos. Conquistas e tantas perdas. Epifanias e crises existenciais. E agora ele está indo embora. É, meu querido sr. 2015, foi bom enquanto durou.

O que resta agora é desfrutar da vida de renúncia e aventuras de 2016. Estou me preparando para ser agarrada, chacoalhada e transformada pela Graça. Espero que você também!


quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Sword Art On Life - Fim do jogo



Quando a guerra terminar,
Quando não houver mais contra quem lutar,
Quando o Criador do jogo retornar,
Então lançaremos as nossas fardas sujas ao chão.

Quando o castelo flutuante desmoronar,
Quando toda a experiência invalidar,
Quando percebermos que ainda há sangue a pulsar,
Então retornaremos ao lar.

Aos que morreram durante o combate,
Aos que desistiram sem nem tentar,
Aos que se recusaram acreditar que viviam o virtual,
Não será concedida a chance de rever o mundo real.

Quando o Criador do jogo
Retornar para buscar sua guilda
Todo o jogo morrerá.
Servidores formatados,
O sucesso já não importa.
E o dinheiro?
Dados de um sistema extinto.

E os que lutaram bravamente
Contra o sistema destruidor
Terão toda lágrima enxugada,
Cada dor anulada,
Marcas de guerra e nível para trás,
E o prazer de encontrar
O botão de logout,
Finalmente livres
Da ilusão do NeverGear.


----------------------------
Render da imagem de capa retirado de: http://www.deviantart.com/art/Sword-Art-Online-9-335691796

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

O barro e o poeta



As árvores se curvavam e os animais se aproximavam para ver melhor. As águas das cachoeiras corriam anunciando a chegada do poeta. Ele observou toda a natureza e sorriu satisfeito. Todas as vezes com sua caneta em mãos, chamava a atenção até dos mais ocupados formigueiros. E lá estava ele, visitando aquele lugar que lhe agradava tanto. Ele não segurava sua caneta desta vez, o que deixou o vento curioso, correndo de um lado para o outro.

Ele sentou com as pernas cruzadas num lugar sem plantas. Passou a mão sobre a terra com textura enlameada para criar uma superfície lisa. Usou suas mão para começar a escrever. Tinha tanta cautela quanto quem escreve no papiro um escrito japonês. Buscava inspiração em cada palavra. Usava diligência em cada movimento.

De todas as vezes que ele esteve presente no jardim a fim de criar uma obra, esta era a primeira que ele fazia parte de sua criação. Mesmo com o braço sujo de barro não parava de registrar cada ideia que aparecia em sua cabeça. Nunca se viu tamanha inspiração vinda do poeta!

Letra por letra.
Vinham as palavras.
Corriam por todo o solo.
Davam as mãos a formar frases.
E mais palavras.
Cada uma escrita com o maior cuidado.
Formavam mais frases.
Palavras e mais palavras.
Ideias e mais inspirações.
Zelo.
Pele.
Letras.
Braços.
Abraços.
Mente.
Palavras.
Amor.
Fígado.
Cabeça e pés.
Dentro e fora.
Verso, estrofe.
Poesia.

O nunca visto foi visto ali. A originalidade em matéria. Não, não estava pronto. Faltava algo. De que valem as palavras belas de interior oco? De que valem versos de inspiração morta? De que valem dois pulmões se não conhecem respirar? É isso! Ar!

O poeta, então, tomou sua poesia em mãos. Encheu seus pulmões e soprou. Não era qualquer sopro, como daqueles que soltam CO2. Era diferente. Ele gerava vida onde conseguisse se instalar. E lá estava a poesia. Poesia viva nas mãos de um Deus poeta¹.

Empoeirou suas mãos e seus pés
Foi flagrante o amor que sentiu por mim
Soprou em mim seu sopro cortante, diamante 
Que quer ver alguém viver²

----------------------------------
Notas
¹ Frase de Laureane Antunes, do blog Alma Florida
² Trecho da música Há um Deus de Felipe Valente

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Oração




A fala que ajuda,
A conversa que dá leveza,
Algo que acalma a alma.

Tira a agitação,
Tira o peso pesado,
Tira a sujeira.

É para perdão,
É para pedir,
É para conversar,
É para agradecer.

Para conhecer
É preciso conversar,
Então amar,
E orar...

Oração sem compromisso,
Oração sem interesse,
Orar e amar,

Orar é amar.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Coisas para fazer nas férias



♫As férias chegou, trazendo o calor. Um dia, dois dias, três diaaaaaaaas♪
Todo mundo aí de férias?

No finalzinho do quarto bimestre, lá estava eu criando várias táticas para não desperdiçar minhas férias. Fiz uma listinha de coisas mentalmente, e quero compartilhar com vocês. Bora ver?

1. Doe suas roupas e seus brinquedos que você não usa mais
Sabe aquelas roupas que você sempre disse a si mesmo que vai usar há seis meses e ainda não usou? Já tá mais do que na hora de passar pra frente, não acha? Separe um dia para dar uma geral no guarda-roupa, junte os brinquedos e doe para pessoas que precisam mais do que você. Você pode deixar em alguma instituição religiosa, dar a alguém que você conhece, o então pedir uma Árvore da Doação - e doar em família, olha só!

2. Aprenda a programar
Criar jogos, aplicativos, sites, blogs e sei lá mais o que que você pode fazer com alguns códigos. Alguns sites como Programaê e Eu Posso Programar tem umas aulas muito legais, e você pode acessar com a sua conta do Facebook, mesmo.

3. Durma
Sim, isso também vale como aproveitar. Dependendo do que você for fazer a partir de fevereiro, você não vai conseguir descansar tão cedo. Então durma. Pode dormir. Seja feliz.

4. Aprenda a tocar um instrumento musical
Violão, teclado, contrabaixo, bateria, saxofone, flauta, triângulo... Seja presencial ou online, se você quer aprender a tocar, corra atrás das aulas. Caso você não tenha dinheiro para pagar um professor, tem um monte de gente que ensina online, fora aquelas revistas que vende nas banquinhas de jornal que vem com um DVD.

5. Ganhe dinheiro
Você pode arrumar um emprego (se você tiver mais de 16 anos), ou pode fazer os famosos "bicos". Venda artesanato, layout para blog/canal de youtube, doce, arte na praia. Cuide do cachorro do vizinho, do bebê de algum parente, lave uns pratos (além dos da sua casa, porque né). Faça o que você sabe fazer para conseguir uma renda extra - que você vai gastar em menos de uma semana, mas tá valendo.

7. Crie um blog ou canal no youtube
Escolha um tema, pegue uns papéis, câmera, e seja feliz. No seu blog/canal você pode compartilhar suas ideias, e mostrar seu ponto de vista sobre o mundo para o mundo - não necessariamente o mundo inteiro, mas parte dele. Um lugar para se expressar e passar o tempo. Se quando as aulas voltarem você não tiver mais tempo, confesse: foi bom enquanto durou.

8. Compre seu material escolar do ano que vem
Se você, assim como eu, sentiu falta de algum material durante esse ano letivo (aquela super pasta sanfonada com doze mega divisórias, por exemplo), aproveite as férias para comprar tudo o que tem direito. PS.: Faça isso em dezembro, porque eu janeiro as papelarias estão em clima de volta às aulas, e tudo está muito mais caro.

9. Visite/saia com seus amigos
Se você ainda estuda com eles, talvez seja um pouquinho chato fazer isso, pois todos precisamos de um tempo livre dos amiguinhos. Porém, caso cada um esteja em uma escola e tal, vai seu muito legal ver o rosto dos indivíduos que você ama.

10. Filosofe!
Tente encontrar um sentido para a sua vida, uma motivação para seus estudos, e um porquê para a sua rotina. Faz muito mais sentido caminhar para algum lugar se você sabe o motivo.

É isso galera. Não deixe suas férias passarem sem você nem ver. Quando as aulas começarem você vai sentir um arrependimento daqueles, acredite. Além disso, as férias são amigas não comida! Ame suas férias. Aproveite, porque passa bem mais rápido do que parece.

Até a próxima, galerinha!

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Sobre esperar em Deus


Sabe aquela história de que toda garota sonha com casar? Não gosto muito de generalizações, mas dessa vez a carapuça me serviu. Sempre fui daquelas que escolhia da decoração à trilha sonora. Só parei quando passou pela minha cabeça que provavelmente meu noivo reprovaria a marcha nupcial trocada por uma abertura de anime. Sempre sonhei com um vestido branco, um bolo com andares incontáveis, músicas românticas, e todas essas coisas que compõem a cerimônia. Ao mesmo tempo nunca quis me apressar, pois sabia que uma hora seria a hora certa, e que não precisaria forçar.

Bem no fundo do meu íntimo sempre acreditei que Deus cuida desse dia desde que nasci. Mas só recentemente compreendi a complexidade de tudo isso. "Esperar em Deus", é como chamam. Não gosto de firmar minhas certezas sobre conceitos já formados, sem nem pensar o porquê, e com "esperar em Deus" não seria diferente. Busco uma definição sobre o que é esperar em Deus, e percebo que é algo tão particular que não dá para ser a mesma coisa para todo mundo. De qualquer forma, quero compartilhar com vocês o que esperar em Deus significa para mim.

Para mim, esperar em Deus é confiar nele acima de tudo. É entender que Ele só quer o meu bem, e que qualquer atitude que Ele tome é a melhor a ser tomada. É acreditar que, por mais doloroso sejam os caminhos que Ele me convide a passar, seria muito pior se eu tentasse caminhar sozinha. É ter momentos a sós com Ele, e lá receber as instruções, aparentemente tão vagas, como "espere" ou "ore", mas que garantem meus pés no chão.

Para mim, esperar em Deus é ter alma transparente. É contar que eu preciso dele sem precisar me mostrar forte. É contar que eu quero me casar e saber que Ele não vai rir e nem fazer piadinha. É falar abertamente sobre minhas paixões, sobre este ou aquele que me chamou a atenção. É pedir para que Ele guarde o meu coração pois não sei guardá-lo sozinha.

Para mim, esperar em Deus é aprender a ser feliz com Ele. É deixar de lado a ideia de que preciso de um rapaz para me realizar. É deixar que Ele preencha todos os buracos que tenho aqui dentro e que me complete.

Para mim, esperar em Deus é colocar as vontades na coleira. É estabelecer uma barreira bem grande entre querer e fazer. É me desafiar a fazer o que não gosto pois, como diz o ditado, remédio ruim é que sara.

Para mim, esperar em Deus é esquecer do futuro. É deixar o amanhã na mão dele, e aproveitar ao máximo o hoje. É trabalhar duro para realizar os sonhos que Ele sonhou para mim. É substituir ansiedade por esperança.

Para mim, esperar em Deus é acreditar que está tudo sob controle. Sob o controle dele, claro. Eu sei que ao mesmo passo que Ele está preparando a minha vida, Ele também está preparando a vida de meu futuro noivo. Eu sei que não vou precisar perseguir o rapaz para que nossos caminhos se cruzem, pois Ele já sabe nossas trajetórias até o fim da vida.

Para mim, esperar em Deus é compreender que a vida é feita de fases. Chegará, sim, o momento em que eu vou namorar, noivar, casar, ter filhos e tudo mais. Mas o meu momento agora é estar solteira. E isso não é ruim! Também não é melhor do que ter uma vida a dois. São só fases diferentes, com missões diferentes e visões diferentes.

E por fim, para mim, esperar em Deus é estar disposto a mudar. Na verdade a vida em si nos exige mudanças. Mas eu sei que preciso ceder ao delicado agir de Deus sobre a minha vida, com suas várias formas de me dizer que estou errada. Enquanto espero, preciso polir meu caráter. Eu sei que ele nunca estará impecável, mas posso torná-lo suportável.

Esperar em Deus não é impossível, mas é sacrifício. Não é fácil conviver num meio onde todos parecem se importar com parceiros, beijos, e outras coisas, e não participar disso. Mas chego então à chave de esperar em Deus, encontrada em seu próprio nome: "DEUS". O X da questão não está em encontrar alguém, mas em deixar que DEUS tome uma das decisões mais importantes da minha vida. Considerando o jeito dele, eu abro mão de tamanha honra para ter uma honra maior de ter o próprio Deus como padrinho.


quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Permita-se sonhar



De uns tempos pra cá tenho percebido como a vida passa rápido. Demoramos um tempão para decidir fazer alguma coisa, e quando decidimos já não dá mais tempo. É realmente um desafio lidar com o tempo e conciliar um monte de coisas dentro dele. É cansativo, porque nunca conseguimos colocar em grades bonitinhas as nossas atividades, e quando conseguimos, só cabem as obrigações, coisas que cobram de nós, mas o que realmente queremos fazer fica de lado.

Corremos contra o tempo, contra as despesas, contra o sono. Acabamos o dia cansados e frustrados. Nos jogamos na cama e nos perguntamos: "O que é que eu estou fazendo com a minha vida?". Até hoje eu não sei.

É que são muitas responsabilidades, sabe? Coisas que tomam tempo para ficarem bem feitas, e se não ficarem é melhor que nem sejam feitas. A rotina nos engole e quando percebemos fazemos parte de um sistema doentio em que se vive para ganhar dinheiro e se ganha dinheiro para sobreviver. Sobrevivência é importante, concordo. Mas e nossos sonhos?

Sonhos - na maioria das vezes - não dão dinheiro. Sonhos tomam tempo. Sonhos exigem energia. Sonhos exigem sacrifícios. Correr atrás deles cansa. As pessoas nos dizem que não vale a pena, e com o tempo passamos a acreditar que realmente não vale. O caminho mais fácil é desistir. Continuar com a vidinha de sempre: trabalhando, estudando, comendo e dormindo. É só disso que a gente precisa, não é?

Eu sei que às vezes a gente até curte a nossa rotina. Às vezes é bom ter os pés no chão. A rotina é segura, confiável, e nunca deu errado. Temos medo de arriscar, mas sonhar é arriscar. Sonhar é ignorar a situação atual, esquecer de onde se está e pensar lá na frente. Sonhar é, sim, pensar num ideal. Um ideal que, com muito esforço, alcançaremos.

Você vai ter que perder algumas horas de sono, algumas saídas com os amigos, alguns episódios novos daquela série que é super demais. Vender canetas ou água no dia do ENEM, entregar panfletos na avenida, vender doce na porta da escola...

Eu sei que sua vida é corrida. A minha também é. Mas se os sonhos valem a pena, também vale a pena correr atrás deles. Talvez a gente precise usar o dia de folga pra vender coxinha na esquina para, em dois meses, conseguir mais ou menos 30% do que precisamos. Algumas noites em claro para encontrar as melhores inspirações. Acordar bem cedo para ver o sol raiar e tirar algumas fotos. Você deve estar cansado só de pensar em dormir menos, mas vem cá. Quantas pessoas você vai ajudar quando realizar o seu sonho? O quanto você se realizará? O resultado final será capaz de colocar um sorriso que cubra todo o seu rosto? Sim? Então você consegue dormir cinco horinhas por dia durante algumas semanas.

Sonhar não é fácil. Imaginar longe a gente até consegue, mas se não cumprimos acabamos nos frustando. Sonhar exige tanto planejamento como trabalho. É nessa parte que tudo complica. Ou estamos animados para trabalhar mas não sabemos por onde começar, ou passamos uma vida planejando mas temos medo de dar o primeiro passo. Então recorremos à solução mais fácil: desistimos.

Acho que já estamos acostumados com esse ciclo vicioso: Sonhamos, falhamos, desistimos, vez ou outra nos pegamos sonhando outra vez, quebrando a cara novamente, e em seguida desistindo. Nos privamos de uma coisa tão bela que é sonhar e fazer com que os sonhos aconteçam.

Posso te dar um conselho? Permita-se sonhar.

Vai dar trabalho? Vai. Vai ser difícil? Com certeza. Você vai se cansar e pensar em desistir? E quem disse que não?

Não vai ser fácil. Gente te dizendo que não vale a pena é o que não vai faltar. Mas vai valer muito a pena quando o resultado de seu suor e lágrimas estiverem diante de seus olhos.

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Coisas que descobri no 1º ano do ensino médio



Olá pessoal!

Como alguns de vocês sabem, esse ano eu entrei no Ensino Médio. Foi um turbilhão de novidades e mudanças, tanto na vida acadêmica quanto fora dela. Depois de alguns meses conclui: ser estudante de colegial é uma arte a ser dominada. Hoje quero compartilhar com vocês algumas das coisas que descobri no decorrer desse ano. Vem ver!

1. São professores, não inimigos
Antes de tudo, é preciso deixar para trás aquele pensamento de que há uma organização secreta de professores que querem que os alunos tirem nota vermelha - Até porque, se houvesse mesmo uma organização secreta de professores, obviamente eles dariam boas notas para se ver livres de seus alunos, mas como eu disse, essa organização secreta NÃO EXISTE. Você vai pra escola cumprir sua obrigação que é estudar, eles vão à mesma escola cumprir a obrigação deles que é trabalhar. Eles não querem sugar nossas almas, não jogam dados pra escolher nossa nota, nada disso. Eles só estão lá trabalhando. Nada de organização secreta, ok?

2. Os professores também são seres humanos
Professores ficam doentes, perdem entes queridos, se sentem sobrecarregados com as coisas da escola e podem muito bem acordar com o pé esquerdo. Professores têm uma vida além do trabalho, ouvem músicas, assistem séries e têm uma família. Sim, eles são humanos. E pode ser que alguma vez ele conte para você ou para outro aluno sobre os seus problemas - PODE SER, não é via de regra, ok? Da mesma forma que talvez você conte seus problemas pra eles. Enfim, caso algum professor te conte sobre algo sobre sua vida, entenda que não é nada legal sair espalhando pra todo mundo. Se ele não gritou com um megafone no pátio sobre seu problema provavelmente ele não quer que você faça isso.

3. Ninguém se importa com seu material bonitinho
Se você gosta, nada contra. Mas não tem mais aquela disputa de quem tem mais canetas coloridas, de qual caderno tem mais adesivos. Não mesmo. Se você chegar até o final do ano com uma caneta azul, um caderno para todas as disciplinas, lápis, borracha e algumas apostilas, sem pânico, você já tá no lucro.

4. Ninguém se importa com as sua notas
Lembra de quando você recebia o seu boletim e os seus amiguinhos vinham perguntar quanto você tinha tirado? Boa notícia: Esse tempo acabou! O máximo que você vai ouvir é "alguma vermelha?". Paraíso, fala aí! Mas não precisa se excluir de todo mundo e colocar "Ninguém se importa comigo" no status do WhatsApp. Não é que ninguém pergunta porque não ligam, mas é que todo mundo está tão doido para fechar com azul, que não tem nem tempo de prestar atenção nas notas alheias.

5. Não se trata de notas
Eu diria que o ensino médio se resume a duas coisas: conhecimento e relacionamentos. O conhecimento porque é ele que estará em sua linda cabecinha na hora da prova do ENEM. Você percebe que não adianta colar e não aprender nada, porque você não está no ensino médio pra passar o tempo, mas para se preparar para um vestibular. E os relacionamentos: acredito que sejam eles que tornam os anos de ensino médio os melhores da vida. Por isso, se relacione bem com todo mundo. Com seus amigos, com os excluídos da sala, com aquela galera chatinha que ninguém gosta. Com os professores, com as tias da cantina, com o pessoal da limpeza, com os inspetores, com o bibliotecário. Resumindo: Seja legal com todo mundo! Sem tretas, ok? Afinal, é lá onde você vai passar 25 horas de suas semanas por longos três anos. Melhor que ele seja um lugar "deboísta", né?

6. A única pessoa que você precisa superar é você mesmo
Você não precisa ser melhor que o melhor aluno da sala, não precisa ser melhor do que o seu amigo, não precisa ser melhor do que o pessoal que não vai com a tua cara. Se você pensa dessa forma é perda de tempo. Se você superar a si mesmo, no final no ano vai perceber que fez o melhor negócio. Não se compare a ninguém, se compare a você mesmo. No primeiro bimestre, veja as besteiras que você fez no ano anterior, No segundo, veja o que fez de ruim no primeiro. Não deixe nada pendente para o quarto bimestre. Se desafie de uma forma que você consiga entrar de férias sem peso na consciência de que poderia ter feito melhor.

7. Você aprende a ser uma pessoa melhor
O ensino médio não serve só para te tornar um ninja nas artes matemáticas ou um artista talentoso. O objetivo de tudo isso é nos tornar pessoas melhores. Duvida? Então puxa um papo com algum professor durante a aula. Eles se importam com o conteúdo, porque é isso que cobrarão de nós no mercado de trabalho e numa prova aí fora, mas de que vale entender como operar uma máquina se a pessoa se recusa a cumprir as ordens do patrão? Se você prestar atenção, perceberá que os professores sempre tentam colocar valores morais embutidos na aula. Seja no exemplo de um exercício, em uma explicação, em uma piada ou numa conversa mais informal. O objetivo é que nos tornemos gente com consciência e senso crítico.

8. Não existem "os grandões"
No ensino médio é muito mais fácil fazer amizade com o pessoal de outras séries. Afinal, todo mundo lá tem praticamente a mesma idade, e mesmo no primeiro ano vai ter gente bem mais velha do que você. Não há porque ter medo dos "grandões", porque todo mundo é uma galera só. Todos estão lutando por sobrevivência, todos estão aprendendo a manjar a vida, todos estão cansados de tantas apostilas, de tanto conteúdo, todos querem a mesma coisa: se formar. Na melhor das hipóteses o lema da sua escola pode ser: Um por todos e todos por todos; na pior delas, ninguém se mata.

9. Procrastinar nem sempre é uma boa ideia
Uma vez ou outra, quando você já tem a nota garantida ou se você já entendeu o conteúdo, beleza. Porém há muitas vantagens em aproveitar ao máximo o tempo "livre" que se está na escola. Seja para terminar um trabalho, terminar uns exercícios, ler um livro, estudar para uma prova... Quanto mais coisas forem feitas dentro da escola, menos coisas de escola você terá para fazer fora dela.

10. Fazer anotações salva o bimestre
Não importa quantos textos você copie, nada valerá mais do que uma boa anotação. Não importa se tem tantos códigos e abreviações que só você entenda, porque o alvo de suas anotações é você mesmo. Se existisse uma fórmula para garantir boas notas seria esta: Explicação + Interesse + Anotações. É muito mais rápido para estudar, pois caso você tenha absorvido bem o conteúdo durante a aula, é só dar uma lida rápida nos seus rabiscos para lembrar do conteúdo. PS.: Talvez você precise de um caderno de anotações, pois alguns professores não gostam que tenha escrito no seu caderno algo que eles "não passaram".

É isso galera. Entre expulsos e repetentes formaram-se todos (não, pera '-'). Espero que vocês tenham gostado deste post com conteúdo um pouco diferente do habitual. Alguma descoberta além dessas? Pânico que roubem seu material durante o intervalo? Não tema! São só três anos, você sobrevive.



quarta-feira, 11 de novembro de 2015

Sem morte não há vida



"Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas, se morrer, dá muito fruto."
- João 12.24 - JFA

Viver nesse mundo está cada vez mais difícil, e cada vez mais queremos nos proteger das crises e do sofrimento. Nós nos escondemos para garantir segurança. Nós guardamos nossa vida num cofre a sete chaves. Você, assim como eu, deve ter percebido que essa tática não trás tantos resultados, pois todos estão buscando suficiência em si mesmos, mas ninguém consegue alcançá-la. Não vemos além do que nossos olhos conseguem alcançar, somos limitados, continuamos buscando algo que não podemos encontrar sozinhos.

Se cada um de nós entendesse que não dá para se viver sozinho, talvez nós parássemos para olhar mais para os outros. E se olhássemos, perceberíamos o quão grande é a dor das pessoas que nos rodeiam. Parece que trancar a faculdade por não ter condições já não é nada comparado a se deparar com uma solidão profunda, a ponto de se mutilar. As poucas peças em um guarda-roupa já não incomodam tanto quanto viver com a pureza arrancada do corpo e da alma.

Todos precisam de cura. E nós somos a cura que o mundo precisa.

Somos o consolo para a mente traumatizada, somos a companhia para vítimas de abandono, somos mantenedores de quem já não tem mais lar. Somos a cura dessa nação. Compreende o que quero dizer com isso? Será que você pode escrever em meio as sua convicções e grifar com marcador de texto "EU SOU A CURA DESSA NAÇÃO"?

Não, eu não estou exagerando, muito menos brincando. Você pode sim curar. Você pode sim confortar. Você pode sim mudar o mundo. Mas, como para todo bom projeto, há um preço que precisa ser pago: Você precisa morrer.

Não necessariamente a morte física. Pode ser que seja necessário, mas em todos os casos, a morte dos interesses. Você precisa se matar diariamente para que de sua morte saia vida, como uma semente, que precisa morrer para que uma árvore nasça. É preciso que a ela se desfaça para que possa dar frutos, e para que seus frutos possam servir para saciar a fome de quem encontrá-la.

Rodolfo Abrantes, em uma de suas músicas, diz: "Que das minhas feridas saia poder pra curar". Você deve estar se perguntando como é que uma ferida pode curar. Talvez seja algo totalmente sem importância para você, talvez você não perceba que curou. Sabe a sua dor? Sim, sim, aquela bem antiga, que você até superou. Mais cedo ou mais tarde você encontrará (isto se já não tiver encontrado) uma pessoa passando pela mesma situação que você passou. E você poderá contar, sinceramente, sobre todas as suas lágrimas, suas dores, seus erros. Sobre sua vontade de parar, sobre seu medo de prosseguir, sobre como você tantas vezes pensou em desistir, mas que não cedeu ao conforto. Conte sobre como você foi imprudente ao dizer o que não deveria ter dito. E mais do que contar tudo isso, esteja lá.

Esteja lá quando aquela pessoa fizer exatamente o que você disse para ela não fazer. Não diga "eu te avisei" para ela, mas esteja disposto a abraçá-la e convencê-la de que vai passar. Esteja lá quando todos duvidarem de um sonho, apontarem um defeito. Quando todos disserem que ela é culpada de tudo, defenda. Não fuja só porque sua reputação está em risco. Veja bem, você tem uma reputação, você tem pessoas que se importam com você, e Deus tem um projeto para você! Você consegue ver isso? Percebe que Deus tem um plano muito maior para você do que subir em púlpitos, pegar em microfones e viajar com uma Bíblia debaixo do braço? Ele quer te usar aí, onde você está! Ele quer que você se sacrifique, e que o sangue possa servir como esperança. Que a sua morte seja celebrada por todos que tiverem conhecimento sobre tal. Que sua renúncia seja anunciada pelos quatro cantos, que nos chamem de loucos, alienados e fanáticos, sim!

Esse mundo prega o egoísmo sem nem disfarçar. É extremamente normal ignorarmos a situação que está ao nosso redor. É difícil, sim, vivermos em prol de outra pessoa, mas posso te garantir: é a melhor coisa.

Não se preocupe com quem cuidará de você. Talvez você pense que se cuidar dos outros estará sem cuidados, mas não pense uma coisa dessas. Enquanto você cuida dos outros, renuncia a si mesmo, desenterra todas as suas lembranças ruins de um lugar que você nunca mais gostaria de tocar, só para mostrar que a esperança ainda vive, você está se parecendo mais com Cristo, está cumprindo a missão de levar um Evangelho que não olha para o que a pessoa fez, mas que visa uma mudança radical de ideais e caráter. E quando faz isso, não precisa se preocupar com morrer de fome por deixar de trabalhar para viver da obra, ou em se sentir mal por não ter tempo para pensar em si. Quando você vive para Ele, Ele vive para você.

Cumpra sua missão, aceite o seu chamado. Deixe de viver para você, não vale a pena. Há gente que precisa do sua atenção, de seu toque de amor, de suas palavras cativantes. Há gente que precisa de você, há gente que precisa de mim. O mundo já está cheio de gente que só pensa em si, que vive para si, não seja mais um. Todos os dias um monte de gente decide que os outros não valem a pena, muita gente mesmo. Se quiser ser lembrado por algo além de "todo mundo", faça diferente.

É inútil viver sem gerar vida, pois daqui partiremos para a morte, e quando esse dia chegar, qual será o nosso legado?

"Quem ama a sua vida perdê-la-á, e quem, neste mundo, aborrece a sua vida, guardá-la-á para a vida eterna."
- João 12.25 - JFA

sábado, 7 de novembro de 2015

Procura-se O Perdão



Quanto tempo faz que eu não converso contigo?
Será que se esqueceu da minha voz ou de como sou?
Será que sente saudades do meu jeito?

E, se eu me ajoelhar diante de teus pés, será que você me perdoaria?
O mal que eu te fiz, a distância que causei. Um simples clamor pelo perdão seria o suficiente para te recuperar?
Te feri, te neguei, fingi que nunca vi.

Cheguei perto de sua casa...
Mas dei meia volta e com a cabeça baixa me enchi de negação.
Sempre que tentava dizer o que deveria, as palavras continuavam presas em minha boca, e, assim, iam acumulando-se por lá.

Me machuquei, sofri, me arrependi...
Chega um dia em que nos guardamos tanto para nós mesmos, que, sem ventilação, apodrecemos por dentro, permanecendo a boa aparência por fora. Mas, por dentro há podridão, junto de um mal coração.
Quando me chegou esse dia, tentei correr para teus braços, como uma criança que acabou de cair e ralar o joelho corre para sua mãe.
Agora estou aqui, humilhado, de coração caído, tentando te fazer perceber que preciso de nova chance, novo compromisso, nova direção contigo...

Será que você me perdoaria se eu dissesse que nada neste mundo vale tanto a pena que estar ao teu lado? Será que você me perdoaria se eu dissesse que necessito da sua presença na minha vida?

Você me olha com carinho, e me estende a mão.
O que passou, passou...
Me dá um abraço, e, das feridas me curou.
Melhor amigo...
Melhor Pai...

Me perdoa Senhor,
Escuta agora, por favor,
Esta minha indigna

Oração! 

Assinado: 

                     Isa

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

Já parou para pensar?



Já parou para pensar,
O que Jesus tem a Falar ?
Resgatar as almas dEle,
Hoje Ele vem te convidar.

A muitas almas aflitas,
Gritando por alegria.
A muitas almas sofrendo
Sem conhecer um bom amigo.

Já Parou para pensar ?
Quão difícil o mundo esta.
E para nós que temos casa,
E vivemos a reclamar.

E aqueles que não podem,
Ter essa caminha para deitar.
Dormir em jornais e "panos"
É a maneira de descansar.

Já parou para pensar?
Como somos egoístas
Um ser humano com quarto sobrando
E o outro, já se conformando.

Como somos egoísta
Em deixar o amor esfriar
Não pensar nessas almas aflitas,
Que só precisam descansar.

Talvez me interprete errado
Sem esse poema entender
Mas entenda uma coisa
E seu irmão? Vai deixar morrer?

Talvez um cobertor
Ou talvez um pedaço de pão
É tudo que você pode oferecer,
Dentro do seu coração?

Será que estamos equivocados
Não entendendo o que eles querem dizer?
Talvez só um abraço
Pra que ele volte a viver.

Hoje eu apresento Cristo
Sim! Aquele que morreu por você.
Aquele que encontrou em você
Um amor que não pode morrer.

Meu irmão escuta isso
Não dê as costa por favor,
Olhe para aquele senhor
Será que ele não tem valor ?

Não de dinheiro por favor
Nem ao menos um pedaço de pão
Volte lá caro amigo,
E lhe dê um aperto de mão.

Faça a diferença
Não seja só mais um na multidão.
Traga aquele senhor,
O amor e o perdão

A salvação apresentai,
E uma ovelha ali tornai
Leve as boas novas,
Pra quem quiser lhe escutar.

Termino esse poema
Sem deixar a explicar,
Só peço uma coisinha,
Não deixa aquela alma escapar.

Guarde esse recadinho
Na palma do teu coração
Jesus Cristo está a procura,
De pessoas com gratidão!!!

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Recíproco amor

Leia ao som de Dara Maclean ♫ ♪ ♫



Ela caminhava sozinha. Sentia a grama sob seus pés, e o olhar da lua sobre os seus passos. Falava baixinho na alma sobre suas dores, sobre sua necessidade de recíproco amor. Cochichava sobre laços, ora maiores de um lado e menores do outro. Aquela velha história de que o amor é como um elástico. Ela se dedicava tanto a amar as pessoas, pensava mil vezes antes de dizer algo, sorria mesmo com o coração sangrando. Ela se importava de verdade, e em troca recebia um punhado de indiferença. Não uma ou duas vezes. Várias.

"Isso é injusto", ela repetia consigo mesma. Ver amigos partindo doía na alma.

Sentou-se, olhou para o céu como se olhasse para os olhos de Deus. "Isso é injusto", ela disse novamente. "Se amar for recompensado dessa forma, não quero mais amar. Não quero mais tratar de arranhões quando tenho feridas desatadas dentro de mim".

Um vento forte ouriçou seu cabelo, penetrou em seu coração e disse de forma doce: "Você não pode parar". A voz em forma de calmaria inquietou a moça.

"E como eu poderia continuar!? Como posso dar a mão para quem me vira as costas? Como posso aceitar de novo quem foi embora sem mais nem menos? Já faço isso há tanto tempo, e é desgastante, sabe? É cansativo manter a calma todas as vezes que eles dizem mal. Como posso continuar fazendo isso?"

A garota calou-se. Silêncio pelo arredor. Ela realmente esperava uma resposta, por mais que desejasse que Ele a permitisse desistir. "Como?", sua alma sussurrou.

"Como eu", Ele respondeu.

Antes que ela pudesse retrucar com o clássico argumento "mas é porque o Senhor é Deus", Ele continuou a falar. "Quantas vezes você foi quando eu disse para você ficar? E quantas vezes eu já te aceitei novamente? Quantas vezes eu ouvi você falar sobre os seus problemas, mesmo sabendo que tudo aquilo era emoção passageira? Quantas vezes eu já te perdoei por ter feito o que eu disse para você não fazer? Eu morri naquela cruz por você. Todo o amor que você precisa eu já te dei. Se queres reciprocidade, aja de tal forma para comigo. Ame por mim".

Ela desviou o olhar do céu para o gramado. Seu orgulho que estava nascendo foi despedaçado. Ela não era melhor do que ninguém, afinal. O que era um pouco de ingratidão comparado a carregar todos os pecados do mundo desde a criação até a consumação?

Ela se levantou, enxugou a confusão do rosto, sorriu para o manto estrelado e disse: "Pelo Senhor, então".

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

O Fogo Que Arde Sem Se Ver






“ Chama profunda em minha medula – um fogo secreto, silencioso, queimando em meus ossos.” – GOODISON, lorna; “O profeta Jeremias fala”

Uma chama que a gente devia ter. Uma chama que devíamos querer. Uma chama chamada “vontade do amor”.

Essa chama consiste em querer mais e mais, e nisto, querer compartilhar mais e mais. Para acendermos este fogo, precisamos de uma vela, e, para acendermos a vela, precisamos do fósforo. Este é o Dono de tudo, O que controla tudo. Sem Ele não há chama, não há vela, não há fogo.

Quando recebemos o fogo deste fósforo, queremos brilhar por todos os lados, e, compartilhar com as outras velas esta chama, mesmo que, por algum motivo ela se apague, pedimos novamente um fósforo, então, ela se reacende e assim consequentemente.

O profeta Jeremias era uma cara novo quando foi chamado por Deus para profetizar e repreender. Não era lá uma das pessoas mais confiantes, porém, mesmo em meio as resistências humanas, segurou nas mãos de Deus e se atirou em seus braços. Sofreu, foi humilhado, torturado, e ouvia a muito murmurações, em consequência disto muitas vezes desanimou, mas, havia algo mais forte que sua fraqueza humana e sua depressão, era uma chama chamada “querer fazer a vontade de Deus por amor”, era uma vontade que pendia em seu peito, e, só a satisfazia falando sobre a verdade, mesmo em meio as murmurações. É conhecido hoje como “o profeta lamentador”, mas mesmo passando por tantas desolações, confiou, e, de olhos fechados atravessou a ponte íngreme que foi sua vida.

Israel estava num período em que todos haviam esquecido de Deus. Queriam ouvir o que lhe agradavam os ouvidos. E quanto á verdade? Jogada fora como uma casaca de banana. Até as cascas de banana tinham mais dignidade que a verdade.
E hoje? Talvez, estejamos vivendo em um contexto parecido com o de Jeremias. Pessoas que não sabem mais o que é um Deus, líderes religiosos que nos enganam, adultério, falsidades. Somos nós como Jeremias? Que mesmo em meio a rejeição, ao desânimo, ainda existe uma chama que acende nossos corações? Ou tudo parece perdido até para nós?

Lembra-se de Noé? Quantos anos ele pregou sobre a chuva que cairia sobre a Terra e destruiria o mundo como os seres humanos da época até então conheciam? Muitos, e muitos anos. Riam dele. Diziam que era louco. Aliás, o que na verdade era chuva?
Mas havia algo em Noé, algo que os humanos chama de “confiança”, de “fé”. Algo que estava estampado 24 horas por dia em seu semblante. Era a chama que ardia em seu peito da vontade da Verdade, de dizer a Verdade. Essa vontade só vem da comunhão com Deus. E ponto. Não há outro jeito, se não o tradicional.

Várias outras pessoas sofreram por uma Verdade Eterna. Parece fácil lendo, talvez não estejamos prontos para sofrer, não estou dizendo que devemos ser tristes por Deus o tempo todo, jamais. Estou dizendo apenas, que, todas as pessoas nesta Terra que quiseram fazer a coisa certa sofreram, mas sofreram com e por amor. Será que somos um pouco destas pessoas?

Vale lembrar que eles mesmos não tinham forças, porque afinal, eram seres humanos, não mutantes. Nossa força para enfrentar impossíveis vem do Altíssimo, mas somos negligentes demais para admitir, mas, ao menos ainda é tempo.
Peça a Deus hoje, uma chama que arde sem se ver.

                                                                   
                                                                                               Assinado: Isa


quarta-feira, 21 de outubro de 2015

O melhor dom



NOTA: Antes de começar a ler este artigo, faça uma leitura de 1 Coríntios 12.

A uns palavra de sabedoria,
A outros palavra de ciência,
A uns fé,
A outros dons de cura,
A uns operação de milagres,
A outros discernimento de espíritos
A uns profecia,
A outros variedades de línguas,
E a ainda outros interpretação de línguas.

"Portanto, buscai com zelo os melhores dons", diz Paulo.

"Mas qual é o melhor dom?", perguntamos.

Começamos uma extensa discussão sobre o dom mais renomado, sobre o que não pode faltar, sobre o principal no campo eclesiástico e evangelístico... Enfim, tentamos categorizar os dons, contar prós, descobrir qual é o melhor deles.

Porém quero dizer que todas essas nossas especulações são vãs. Não adianta nada colocarmos os dons espirituais num ranking, isto porque o meu melhor dom não é o seu.

"Mas como assim?", você diz.

Acompanhe comigo:

"Mas a manifestação do Espírito é dada a cada um para o que for útil"

No livro Quebrando a Rotina, Max Lucado diz que Deus nos deu os talentos necessários para nos tornarmos as pessoas que a nossa realidade precisa. Da mesma forma os dons espirituais. Deus reparte "particularmente a cada um como quer" para "o que for útil".

Tudo depende da missão que Deus tem para você, e não de uma fita azul dizendo que este ou aquele dom é o melhor.

"Mas como vou saber qual é o melhor dom para eu exercer?".

Estamos tratando de um plano espiritual. Mais especificamente do plano de Deus. O que está diante dos nossos olhos dificilmente se aproximará aos planos que Ele tem preparado para nós. Talvez você não saiba qual é o seu chamado, e mesmo que saiba, talvez não tenha certeza sobre qual dom espiritual escolher. Então recorremos à solução mais óbvia: orar.

Precisamos, em nosso relacionamento aberto com Deus, contar sobre nossas inseguranças e dúvidas, tanto sobre o dia a dia quanto sobre o ministério. Separe um tempo de sua oração para perguntar para Ele o que Ele tem em mente para você, e qual dom espiritual você deve buscar. Ore para que ele lhe dê o dom que o torne útil.

E mais uma vez, o meu melhor dom não é o seu, e o seu melhor dom não é o do irmão do lado. Quando Deus lhe mostrar o seu melhor dom, não queira que toda a sua congregação busque o mesmo dom.

"Há diversidade de dons", entenda. Porém "o Espírito é o mesmo".

"E se todos fossem um membro só, onde estaria o corpo?"
1 Coríntios 12.19

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Caros jovens cristãos: Sobre Relacionamentos



Texto escrito por Amanda Beguerie
Traduzido com permissão por Karina Ab
Postado originalmente aqui





Caros jovens cristãos,
Escolham amar alguém que ame a Deus acima de vocês. Se seus olhos estão fixados em outros e não em Deus, vocês não encontrarão aquele/aquela que Deus tem para vocês. Vocês o/a encontrarão focando nEle.

Caros rapazes cristãos,
A verdadeira beleza vem de dentro para fora. Não o contrário.

Caras moças cristãs,
Não comprometam a sua pureza para ser amada. Em vez disso, provem que vale a pena vocês ficarem puras.

Caros jovens cristãos,
Amem suas famílias. Tratem-as com respeito e bondade. De que outra maneira vocês esperam estar prontos para ter suas próprias famílias?

Caros rapazes cristãos,
A caminhada de vocês com Deus é valiosamente importante; vocês são líderes espirituais. Vocês não têm que ser um pastor, mas Deus os chama para ser a cabeça de sua família e para liderá-los em verdade. Nunca comprometam isso.

Caras moças cristãs,
Vocês são bela criação de Deus, e não objetos. Não façam com que as pessoas pensem quem vocês são pelo vestuário e atuação sem decência e dignidade. Nunca se esqueçam de que quem vocês são é definido pelo que Cristo tem feito por vocês, e vocês não precisam provar nada.

Caros jovens cristãos,
Deus deve ser o centro da vida de vocês. Se ele não é, especialmente em termos de relacionamentos, sua vida não será construída solidamente. Formem suas vidas ao redor de seu relacionamento com Deus, e deixe-O te liderar.

E jovens cristãos, mais uma vez,
Casamento não é sempre glamouroso como nos filmes. Não será tudo borboletas e arco-íris. Mas amor, e o mais belo dele, é o amor que é comprometido. Não apenas quando é fácil, mas sempre.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Todos pecaram



Eu não sou melhor do que você. Eu não sou melhor do que eles, nem você. Desculpe-me quebrar paradigmas, mas vamos parar de categorizar pecados, ok? Pecado é pecado, seja aqui ou no Oriente. O pecado nos afasta de Deus, e não nos pergunta se queremos isso ou não. O pecado é sujo, e temos uma raiz de iniquidade dentro de nós, temos a tendência à podridão. Todos nós achamos o pecado atraente, porque ele é, mas quando o pecadinho que alimentamos e cuidamos com tanto carinho quer nos devorar, nos arrependemos de tê-lo aceito no início. Nos sentimos sujos, pois estamos sujos, e por muitas vezes temos vergonha de pedir ajuda ao Deus Santo. Achamos que Ele vai nos rejeitar, que vai nos dar lição de moral ou que vai nos colocar de castigo no cantinho.

Nós cristãos temos uma mania chata de categorizar pecados. Logo, aquela garota que ficou grávida aos dezesseis é mais impura do que eu que contei uma mentira semana passada. Esse pensamento nos afasta das pessoas quando deveríamos nos achegar e dizer: "Eu sei como é isso, parece que Deus está longe, mas ele quer te ver de novo!". Ao invés disso nós mantemos distância, com coisa que pecado pega e nós somos os imaculados que não podem se misturar.

Olha pra Jesus. O homem mais santo que já pisou nesse solo. Com quem ele conversou a sós no dia em que brincava com a areia? Uma adúltera. Imagine agora Jesus agindo como nós cristãos temos agido em pleno século vinte e um. Talvez ele mandasse que apedrejassem aquela mulher, ou que levassem ela a um lugar isolado, afinal, quem perdoaria o ato de adultério? Mas não, Jesus não a envergonhou, não a julgou, apenas a amou. E é esse amor que tem nos faltado.

Por esses dias eu estive pensando sobre pessoas que convivem comigo, outrora ativos na igreja e tudo mais, e hoje não querem mais saber de cruz. O meu argumento quando ouvia falar de pessoas que se desviaram era: "Se saiu da igreja é porque nunca esteve nela por causa de Jesus". Mas convivendo com pessoas que se desviaram, pessoas importantes para mim e bem próximas, percebi que é justo essa dureza que Jesus evitava. E ao invés de deixá-los de canto como se eles fossem mais impuros do que eu, eu comecei a pensar nos motivos que os levaram a fugir. Talvez alguém dentro da igreja tivesse falado alguma coisa ruim, talvez os amigos os convenceram de que não vale a pena se privar de tanta coisa, talvez os pais os tenha forçado sair da igreja, ou os pressionavam a ponto de não aguentarem mais tantas brigas dentro de casa. Conclui que eles não são impuros, rebeldes, traidores. Eles só são tão pecadores quanto eu. Eles erram tentando acertar, e numa dessas acabaram indo longe demais.

Lembrei-me de quantas vezes eu só ia à igreja porque meus pais não me deixavam ficar em casa. E que talvez meus amigos e conhecidos tenham passado pelos mesmos momentos, mas os pais deles não os apoiaram quando eles precisaram. Pensei sobre os assuntos que já me senti tentada a participar, mas que meus amigos que tinham mais cabeça do que eu puxavam logo outro assunto. Talvez eles não tenham amigos em quem possam confiar. Depois de pensar em minhas situações e comparar com a situação das pessoas que eu vi partir para longe de Pai, conclui que minhas condições são favoráveis, mas nem todos têm a mesma sorte que eu.

Nem todos têm a mesma sorte que você. Nem todos têm um irmão cristão, nem todos têm uma amizade dentro da igreja, nem todos têm um sonho ministerial, nem todos têm objetivos a serem cumpridos na casa de Deus. Ou mesmo que tenham, eles continuam sendo falhos e pecadores, como você e eu. Talvez Satanás tenha atacado em um momento turbulento, talvez nossa intolerância tenha sido o estopim.

Não vamos categorizar pecados, ok? Eu sei que você, assim como eu, às vezes faz algumas besteiras que te afasta de Deus sem que você perceba. Você tem tido forças para retornar, mas há aqueles que não conseguem.

Não pense que ele é mais pecador do que você porque ele assaltou um banco enquanto você só cola na prova. Não pense que ela é mais pecadora do que você porque ela apareceu grávida na semana passada enquanto você fala mal dos outros. Se nos afasta de Deus é pecado. Se é pecado somos todos pecadores.

"Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus"
-Romanos 3.23


Todos precisamos do perdão divino.


quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Ele está lá



Nas noites mais frias, nas tempestades mais assustadoras, nas perdas mais doloridas. Ele está lá. Nos sorrisos mais sinceros, nas canções mais inspiradoras, nas conquistas mais desejadas. Ele está lá. Ele está onde não esperamos, quando não há ninguém. No momento em que todos nos abandonam, Ele está lá. Está lá com sua voz suave, com seu consolo agradável. Ele não foge. Ele não desiste. Ele nos ama.

Ele não nos dá o que queremos, mas nos dá o melhor. Não nos mima, mas nos sustenta como filhos. Ele pode até não falar muito, pode até não se fazer tão visível, mas Ele sempre está lá. Quando dói, quando trememos de medo, quando choramos em meio a soluços. Ele está lá.

Quando precisamos, Ele está lá. Quando pensamos que não precisamos, Ele está lá. Quando obedecemos, Ele está lá. Quando nos achamos independentes e tentamos caminhar com as próprias pernas, Ele está lá.

A questão é que nem sempre estamos lá. Lá, no lugar secreto, no jardim particular. Nós fugimos quando Ele está perto. Dizemos "não" quando ele nos pede algo. Nos esquecemos de sua bondade quando estamos bem.

Somos egoístas diante de um Deus tão amoroso. Só pensamos em nós mesmos, e nos focamos tanto em nós que nos esquecemos que Ele é o nosso único bem. Pensamos que o que queremos é o melhor, quando lá no fundo sabemos que Ele é tudo o que precisamos.

O ser humano esquece fácil das coisas. Nos esquecemos de quem éramos, de quem somos, de quem nos tornaremos se continuarmos nesse caminho que agora parece tão prazeroso. Nos esquecemos que houve alguém que morreu por causa de nossas besteiras. Nos esquecemos que por esse alguém temos paz.

Somos tolos em pensar que não precisamos dEle. Somos injustos com nossas almas dizendo que elas não precisam de um contato com o Criador. Somos maus, negligentes, blasfemos. Mas Ele continua lá.

Sussurra nosso nome para voltarmos ao lar. Ele não nos quer mal, só nos quer de volta. Ele nos quer inocentes novamente. Ele sente falta de nossos falatórios. Ele sente falta de nos abraçar. Ele está lá. Nós fugimos de lá.

Não é tarde. Lá ainda está lá. O Pai aguarda seus filhos de braços abertos. O jardim secreto espera sua cantoria. O Deus grande, poderoso, criador espera pelo pequenino que fugiu, que não sabe se cuidar. Lá.

Onde estamos nós?

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Você Acredita?






Esses dias, assisti ao filme “Você Acredita? ”, que é produzido pelos mesmos criadores de “Deus Não Está Morto”.

Além de mim ter chorado do começo ao fim, e, tirando o fato de que assisti em um site pirata. Este filme me fez refletir, pois, desde seu título ao enredo, nos pega fazendo a mesma pergunta: “você acredita na cruz de Cristo? ”. A pergunta pode parecer ter uma resposta óbvia para alguns, duvidosa para outros, e, talvez relativa para muitos. Porém, se a resposta for um grande “SIM”, o quanto você acredita?

Acredita a ponto de arriscar sua família? Acredita ao ponto de renunciar seus sonhos? Acredita ao ponto de colocar em comprometimento sua carreira e status? Ou, melhor ainda, acredita ao ponto de entregar sua própria vida por isso?

Pode parecer algo extremista religioso. Porém, para acreditarmos verdadeiramente na cruz, precisamos ser extremistas, porém não extremista religioso. E sim, extremista no amor. Mas, será que estamos cumprindo este requisito?

A questão é, não existe um tanto para crer. Ou se crê plenamente, ou não se crê. Ou vivemos, ou morremos. É uma escolha decisiva.

E, quando nós escolhemos viver? Será que escolhemos de verdade e definitivamente?
Crer na cruz não é só ser bonzinho com os outros, fazer caridade e ir para o céu. Não é só pedir a Deus o emprego dos seus sonhos e ser feliz com seu salário maravilhoso. Não é só ser elogiado por sua linda voz quando cantou aquele louvor. Ou quando fez aquela pregação que tocou o coração de muitos.

Não estou dizendo que há algo de errado nos fatores acima, exceto se isso é usado para aumentar o seu ego. Você pode sim ser caridoso, tem um emprego dos sonhos, usar seus dons seja cantar, pregar ou orar.

Porém, e, se nós estivermos nos prendendo somente em obras? E esquecendo do objetivo da cruz? As obras servem para deixar a fé mais forte, para demonstrarmos que nós a temos, porém, uma não deve ultrapassar a outra, andam juntas, são melhores amigas. A fé sem obra é morta, e as obras sozinhas não significam fé.

Crer na cruz é, não ter medo de ser chamado de louco por quem você mais ama. Crer na cruz é esquecer de si, colocando o conforto de outros acima dos seus. É, acima de tudo ser feliz, e, se preocupar com a felicidade dos outros fazendo de tudo para que saibam da mensagem de perdão que esta possui. É orar, ler, refletir e praticar. É amar independentemente de como as pessoas são, sem exceção.

Talvez não estejamos crendo como professamos crer. Deveríamos nos preocupar em ressaltar que o perdão da cruz de Cristo é para todos, T-O-D-O-S. Mas nós mesmos não entendemos que é para nós também.

Que nossa fé não sejam hinos tocantes ou pregações extraordinárias. Que, nesses dias de desespero, a fé seja uma mensagem de paz.


“Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos. - Hebreus 11:1








Assinado: Isa

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

A verdadeira adoração



Em toda a minha vida dentro da igreja, eu ouvi falar que precisamos adorar a Deus. Não uma ou duas vezes, mas todas as vezes que participava de um culto eu ouvia a palavra "adoração". Diziam que adorar é elogiar a Deus por aquilo que Ele é, e nisso comecei a enumerar os atributos de Deus citados e não citados na Bíblia, e começava a recitar enquanto eu orava. Era algo muito robotizado, como se eu estivesse lendo uma pauta.

Eu nunca estive convencida de que aquilo era mesmo adoração. Diziam-me que a adoração fazia bem à nossa alma, mas tudo o que eu sentia era enfado.

Certa vez eu estava tendo uma conversa casual com Deus (sentada na cama, mexendo em papéis, sozinha e conversando em voz alta). No meio da minha oração eu comecei a dizer que amava o jeito que Ele faz as coisas, que eu não faria melhor e que não fazia ideia do que faria caso Ele desistisse de mim. Estas foram as minhas palavras. O que percebi foi que, diferentemente das listas que eu fazia para dizer que Ele é quem Ele já sabe que é, desta vez eu estava dizendo para Ele coisas que eu descobri sobre Ele.

Eu não dizia que Ele é Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade e Príncipe da Paz. Essa é a adoração de Isaías. Eu não dizia que Ele é Glorioso, Soberano, Forte e Senhor dos Exércitos. Essa é a adoração de Moisés. Era assim que eles conheciam a Deus, mas eu não o conhecia assim.

O Deus que eu conheço é aquele que ouve desabafos, que enxuga lágrimas, que diz que vai ficar tudo bem. É aquele que me testa, que me pede para confiar e que me promete não me deixar. O Deus que eu conheço me trata como criança, entende meus sentimentos e molda meu coração. Esse é o Deus que eu conheço.

Talvez você não tenha se identificado com minha descrição, mas não se incomode com isso. Talvez Ele se revele a você de uma maneira diferente, talvez Ele te conte segredos que não conta a mim. Talvez Ele te ache mais forte e te trate de maneira mais dura, ou te veja como um pensador e não te dê as respostas logo de cara.

Não adiantaria você orar para Deus do mesmo jeito que eu oro. Não adiantaria você dizer que Ele é Santo se você nunca teve contato com essa santidade. Não adiantaria a mim dizer que Ele molda corações se Ele nunca tivesse moldado o meu.

Talvez você veja pessoas ao seu lado chorando ao sentir a presença de Deus e se sinta triste, mas não fique assim. Talvez você esteja muito centrado no relacionamento dEle com outras pessoas e tenha se esquecido do seu. Você foca no irmão que tem visões e se esquece da forma surpreendente que Deus te aconselha através da sua Palavra.

Jesus diz que os verdadeiros adoradores o adorarão em espírito e em verdade. Não em fingimento, mas em verdade. Não finja conhecer um Deus que aconselha quando na verdade você conhece um Deus que abraça.

Veja bem: Existe apenas um Deus.

Não existem trilhões de deuses espalhados por aí. O que existe é um Deus de graça que dá de graça a sua multiforme graça. A graça é o favor imerecido. Talvez Ele te favoreça de forma energética, talvez ele te favoreça em meio a sussurros. Talvez ele te favoreça através de versículos em sua Palavra, talvez ele te favoreça com semanas de estudo sobre um mesmo tema. Uma coisa é certa: Ele favorece a todos nós.

A graça é de graça. Quem quiser venha e tome da graça que Ele dá. Quem quiser faça bom proveito do favor imerecido que Ele nos oferece. Quem quiser conhecer o dono da graça, venha. Quem estiver disposto a conhecer um Deus pessoal, venha. Não queira conhecer a Deus do jeitinho que eu o conheço ou que seu pastor o conhece. Queira conhecer a Deus do jeitinho que Ele quer se revelar a você.

Se você estiver disposto a isso, uma certeza eu posso te dar: De seus lábios e de sua alma sairá a melhor adoração, uma poesia com as palavras mais sinceras.