sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Agindo hoje, esperando o amanhã



O ser humano tem uma trágica tendência à ansiedade. Começa quando somos bem pequenos, e quemos descobrir o que há dentro daquele embrulho grande e colorido antes mesmo dos convidados irem embora. E estende-se pela vida toda nas mais temidas entrevistas de emprego espalhadas pela nossa agenda. Alguns são ansiosos para o dia do pagamento, outros para a festa de quinze anos. Dezoito então, nem se fala... A liberdade tão esperada finalmente em mãos!

O meu primeiro encontro com a ansiedade foi mágico, mas a reação da pessoa ao meu lado me desanimou ferozmente. Estávamos minha tia, minha mãe e eu no ponto, aguardando o ônibus que me deixaria a uma rua de casa. Eu mergulhava em fantasias com minha cara de paisagem de sempre.

-O que foi, Karina? - ela me disse

-Nada não, tia. É que eu estou ansiosa para fazer a lição nova da cartilha...

-Você não pode ficar assim. Jesus disse "não ficais ansiosos".

Quando eu ouvi essas palavras, todo meu conceito sobre ansiedade mudou. Se Jesus disse que não era bom, não devia ser mesmo, mas por quê? Seria tão ruim assim querer chegar ao momento de se dedicar a algo?

Essa palavra foi motivo de questionamento para mim durante vários dias. Depois esqueci. E só me veio à tona novamente quando eu estava prestes a cair de um precipício espiritual.

Sabe aqueles amigos que te chamam para orar, que te dão um tapa na cara quando você diz que vai atropelar os planos de Cristo e que te dizem, justamente, para desviar da ansiedade? Então, ele não era um desses. Na verdade ele cultivava ansiedade em mim. Mas conversar com ele era cativante, certamente. Eu sempre fui interessada em pessoas mais velhas que podiam me contar sobre trotes no campus, mas conhecer alguém com os mesmos gostos que os meus, além de universitário, foi simplesmente arrebatador. A cada dia tínhamos uma nova conversar, com novas piadas e risadas. Sem perceber eu já estava brincando de cabra-cega no Corcovado.

Sabe aquela coisa que todo cristão deve ter de esperar o momento em que todos estiverem dormindo para ficar a sós com Jesus? Pra começo de conversa, eu nunca tinha sentido isso por Cristo até então. E o pior de tudo: Me via numa situação em que sentia isso por uma pessoa, pó do pó, assim como eu.

Não me lembro quando me toquei, só sei que eu estava vendada. Todos os meus sentidos afirmavam que eu devia seguir em frente. Mas ao longe eu consegui ouvir alguns passos rápidos, correndo, e um grito percorreu todas as camadas de derme em meu peito e atingiu como uma flecha o meu coração. "Espere!", essa voz me disse. Já paralisada, senti uma mão em meus olhos, puxando para baixo, até o meu pescoço, a faixa preta que me impedia de ver que a dois passos pequenos eu voaria e então me envolveria nos braços da morte.

É isso o que a ansiedade faz. E se eu fosse um pouco menos teimosa, eu não me meteria numa dessas nunca mais. Infelizmente, uma experiência dessas não me convencer de que ansiedade fosse algo realmente ruim.

A ansiedade nos tira a essência. O seu caráter formado se desmorona quando você passa a dar valor desnecessário para o amanhã sem nem abrir a porta para o hoje, que está do lado de fora, tomando chuva.

Essas palavras são vãs se, para você, não passam de palavras. Pense no último "espere" que você recebeu de Deus. Você sabia o que a palavra "esperar" significava, mas aquele carro era tão bonito! Além disso, era para a obra de Deus. Você não podia mais molhar seu terno sob seu guarda-chuva quebrado, não é? Não te culpo. Mas é uma pena que minha opinião não valerá de nada no dia do juízo. E Deus? Ele te tem como inocente? Ou num momento como esses ele te vê como casa rebelde?

A ansiedade nos leva a desobedecer a Deus. Os nossos planos parecem doces para agora, mas nem se comparar com os doces planos que Deus tem para semana que vem. Diferente de nós, Deus já tem uma visão geral da nossa vida toda. Ele vê nosso labirinto de cima, e ele sabe onde cada caminho vai dar. E ele sabe perfeitamente bem que aquele caminho com os caules das rosas te espetando é o que vai dar na saída. Mas preferimos as rosas. São mais bonitas, têm um odor agradável e não machucam a ninguém. Mas é realmente uma pena quando nos encontramos cercados por elas e não queremos voltar para o nosso lar, com o nosso Pai.

"Porque, assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos que os vossos caminhos, e os meus pensamentos, mais altos do que os vossos pensamentos"
-Isaías 55.9

Vejamos o rei Ezequias. Em quatorze aos de reinado nunca lhe havia acontecido algo parecido. Israel estava sendo atacado pela Assíria, e um numeroso exército marchava em direção a Jerusalém para tomar suas terras. Ele então enviou um filho de mordomo (Eliaquim, filho de Hilquias) e um escrivão (Sebna) para terem com Rabsaqué, o representante de Senaqueribe, o rei assírio. Rabsaqué não lhes agrediu, não os expulsou, sequer levantou sua espada contra eles. Ele apenas disse: "Em quem vocês confiam para se rebelarem contra mim?". Ou, em outras palavras: "Por que vocês não estão no palácio para aquietar o rei? Vocês estariam mais seguros lá do que aqui. Quem vai defender vocês agora?". E sem esperar resposta ele continuou.

"Se vocês confiam no Egito, sinto-lhes dizer que vocês serão apunhalados pelas costas. É desse jeito que Faraó faz com todos os que confiam nele. Agora, se você me diz que confia no Senhor, seu Deus, não é esse aí cujo Ezequias derrubou os altares e disse para vocês adorarem a ele? Dê reféns à Assíria, e eu lhes darei dois mil cavalos se estiverem dispostos a dar-me os cavaleiros. Como vocês não podem se erguer contra um mísero servo do meu senhor, vocês se uniram aos egípcios para receber ajuda de carruagens e cavalos. Você acha que eu vim sem respaldo do seu Deus para tomar suas terras? Pois saiba que esse Deus que me enviou até aqui para destruí-las. Não se enganem dizendo que o seu Deus vai te livrar. Saibam que o nosso exército atacou a Hamate e Arpade, e onde estavam seus deuses para proteger-lhes? Se eles não foram atendidos, vocês acham que o Deus de vocês ouvirá a nossa conversa e me impedirá? Me diga qual deus dentre todas as terras conseguiu livrar seu povo do ataque do exército assírio!"

Eliaquim e Sebna disseram: "Não vamos responder". Depois foram contar para o rei Ezequias o que Rabsaqué havia dito. Ele se entristeceu muito. Os servos do rei foram ter com o profeta Isaías, que lhes disse para que Ezequias não se desesperasse, pois o Senhor Deus se vingaria e o faria cair morto a espada. 

Quando Rabsaqué voltou para Assíria, ele mandou uma carta para Israel com mais afrontas. Num momento como esse, Ezequias tinha todos os motivos do mundo para arregaçar as mangar e ir ter com Rabsaqué, ou então enviar um exército para lutar contra ele. Talvez ele devesse aceitar a sugestão e fazer aliança com os egípcios porque, realmente, eles não tinham força alguma contra um servo que fosse do rei da Assíria. Ele podia gritar, ele podia acumular aliados até que finalmente pudesse devastar a Assíria. Mas ele não fez nada disso. Ele foi ao Templo, com as cartas na mão, mostrou-as para Deus, e orou: "Senhor, ouve as palavras que Senaqueribe disse - através de seu representante - afrontando ao Deus vivo. É verdade que eles atacaram povos e seus deuses não lhes ajudaram, mas isso porque eles eram feitos de madeira e pedra, e não podiam fazer nada. Mas tu Senhor, livra-nos das mãos deles para que eles saibas que só tu és Deus".

Deus honrou a oração de seu servo, e enviou um anjo que destruiu cento e oitenta e cinco mil soldados assírios.

Às vezes o que nos falta é comunicação. Esquecemos de falar para Deus o que nos inquieta, então tentamos tratar nosso ferimento com nossas próprias mãos. Às vezes a dor é tanta que queremos acabar logo com tudo, mas esquecemos de tratar. E o que era pra ser uma raiva tratada se torna uma mágoa enraizada.

"...lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós."
-1 Pedro 5.7

Enquanto o mundo está no processo de autodestruição e as pessoas lutam para sobreviver, Cristo dá para todos aqueles que nele confiam o prazer de viver. E a ansiedade rouba isso de nós. Às vezes corremos tanto atrás de dinheiro e esquecemos que há um Deus, dentro de nós, que cuida até dos lírios dos campos. Eles não trabalham, nem fiam (Mateus 6.28). Eles dependem totalmente de Deus. E nós, filhos do Deus vivo, servos do Altíssimos, correndo desesperados atrás do que comer e vestir.

Se eu pudesse definir o oposto da palavra ansiedade, eu escolheria dependência de Deus. Se dependemos de Deus, o importante é o hoje e o amanhã ele proverá. Se não dependemos, tudo é motivo para desespero. Se a água acabou, desespero para um lado; se a geladeira está vazia, desespero para o outro. Se você viver o amanhã em vez do hoje, você simplesmente não vai viver. Será apenas escravo de responsabilidades.

"Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal."
-Mateus 6.34

Mesmo que você esteja decidido a deixar a ansiedade, não desanime se logo na primeira tentativa você ceder. É um treinamento. Da mesma maneira que você tem que se educar para orar e ler a Bíblia, você tem que se educar para deixar de lado as coisas que atrapalham o seu relacionamento com Deus. Muitas vezes você vai ter que abrir mão da própria razão, pois ela estará andando lado a lado com a sua ansiedade. Outras vezes você terá que abrir mão de alguém. Às vezes você terá que abrir mão de si mesmo, de seus sonhos e desejos mais profundos.

Cristo está a postos para arrancar toda a ansiedade do seu coração. Você só precisa reconhecer que precisa dele e chamá-lo para perto de você.

Deus no controle
Eyshila

Nenhum comentário:

Postar um comentário