quinta-feira, 30 de abril de 2015

Que eu cresça



Somos conhecidos como geração fast food: Queremos receber nossos pedidos no menor tempo possível. Aprendemos a ser ansiosos e egocêntricos.

Quando nos damos conta, esse conforto começa a nos atacar no âmbito espiritual. Nos tornamos obesos mórbidos. Comemos tudo o que nos vem em mãos, mas não digerimos nada; estamos a mudar de igreja com nosso controle remoto, escorados num sofá de conformismo, acariciando nosso pecadinho de estimação.

Nos tornamos cristãos doentes, servos da chave de carro. Não oramos mais, só quando precisamos pedir alguma coisa. Não temos relacionamento com Deus, antes o tratamos como garçom de uma lanchonete lotada. "E não demore", costumamos dizer. Perdemos a noção de quem somos e tratamos Deus como se fosse nosso empregado.

"Não te precipites com a tua boca, nem o teu coração se apresse a pronunciar palavra alguma diante de Deus; porque Deus está nos céus, e tu estás sobre a terra; pelo que sejam poucas as tuas palavras"
- Eclesiastes 5.2

Nos esquecemos que somos nós quem temos de diminuir para que Ele cresça em nós. Em vez disso fazemos questão de andar com um crachá talhado em ouro "PREGADOR", "EVANGELISTA", entre outros tantos títulos. Enchemos nossa boca para falar que limpamos a igreja ou que alimentamos um morador de rua.

Sabe o que Deus diz ao nos ver fazendo essas autopropagandas?

"Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta (e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu), aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças, e vestes brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os olhos com colírio, para que vejas."
- Apocalipse 3.17,18

Deus partilha tudo o que tem: sua santidade, seu amor, e até um lugar lá no céu. Diante de nosso erro ele nos oferece suas vestes para que nos vistamos e seu colírio para que possamos ver. Mas a sua glória... A única coisa em que não podemos tocar é a glória de Deus.

Jesus tem uma vida abundante a nos oferecer: Uma vida de doido! Nossa ansiedade acaba desviando nosso olhar de Cristo para nossos desejos. Quando percebemos estamos vivendo em prol disso. E por sua infinta misericórdia ele nos permite acertar os nossos desacertos.

"Porque necessitais de paciência, para que, depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a promessa"
- Hebreus 10.36

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Você aqui



Perdoa-me por amar-te tanto. Por fazer de ti meu refúgio. Por preferir teu peito. Por ser apaixonada por teu abraço, encantada por teu cheiro. Perdoa-me por todas às lágrimas, por todas as discussões bobas, por toda dureza. Perdoa-me pela insistência, pelo medo. Perdoa-me pela ousadia em te querer tão intensamente. Perdoa-me por todas as promessas ao chão, pelos sorrisos em questão. Perdoa-me.

Nunca quis ferir-te. Nunca desejei que lacrimejastes por mim. Juro por mim mesma e pelo mundo até, que a única coisa pelo qual eu interiormente suplicava, era por tua companhia. Fizestes-me ver um mundo de encantos dentro do mundo real. Causastes em mim a fúria do mar bravio, ao mesmo tempo que fizestes meu coração repousar - somente ao ouvir tua voz tão suave. Tu, somente tu, foste capaz de fazer o que ninguém se atreveu. Me invadiste. Transformou-me em urgência e me mostrou-me que só você é a solução para o meu coração.

Com você eu vivi uma história mais intensa que as de Pedro Bandeira, mais cheias de sentimentos que as de José de Alencar, repleta de dor - ainda mais que as de Seu Assis. Nossa união daria uma história bonita de se ler. Talvez tivesse um enredo um pouco triste, um acontecimento trágico, personagens malvados com certeza, mas o nosso amor prevaleceria no final. Como sempre prevaleceu, como sempre será.

Ellen Alves

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Que assim seja



Que as tuas palavras venham me acompanhar a cada minuto do dia. Que suas canções me ofereçam calmaria em meio ao caos. Que minhas lágrimas chamem a tua atenção e tua presença me traga paz.

Que minha vida seja tua poesia e os meus projetos livro teu. Que a cada passo que eu der eu me achegue ao centro do teu coração. Que o meu medo da morte não seja maior que o meu medo de te perder.

Que em teus lábios se encontre meu prazer. Que em teus braços eu busque o meu descanso. Que as vaidades deste mundo não possam me seduzir a ponto de eu trocar-te por elas.

Que todas as noites eu ouça o teu boa noite. Que todas as manhãs sejas meu primeiro pensamento. Que sempre que eu esteja só meus gestos sejam para ti. Que não haja mais eu, só tu e nós.

Que eu me mova por ti e que por teus conselhos endireitem-se os meus caminhos. Que desde agora e para sempre tua voz me seja familiar. Que minhas mãos não ergam um tijolo sem teu eia.

Que o teu olhar penetrante me faça consertar o mal que fiz. Que seu sorriso involuntário me faça repetir. Que teus dedos entre os fios de meu cabelo me convençam de que vai ficar tudo bem. Que toda vez que me cobrares por algo que deixei de fazer eu saiba que alguém se importa.

Que eu venha ser útil. Que eu venha parar meu mundo ante o teu. Que minha vida seja tua. Que teu sangue corra em minhas veias. Que a cada ferida eu venha me lembrar de que estás aqui. Que o meu sofrimento venha espargir cura sobre quem não amo. Que o teu amor me ensine a amar quem me persegue.

E sobretudo, mesmo que tudo isso falhe, que no Grande Dia você sussurre ao meu ouvido: "Você conseguiu".

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Quando fraco forte sou



De tudo o que conhecemos sobre nós uma coisa podemos concluir: somos seres frágeis. Nós mesmos somos uma ameça à nossa integridade, somos instáveis e o nosso comportamento inconstante nos põe em dúvida se realmente podemos ser chamados de amigos de Deus.

Deixa eu te dizer uma coisa: Deus tem mão leves que manuseiam os objetos mais delicados.

Quando Deus criou o homem ele tinha conhecimento da capacidade de sua obra. Te ver chorando no seu canto não é surpresa para ele, tampouco ter que nos tratar como crianças pequenas lhe é estranho. Somos fracos e ele sabe disso, afinal, foi ele quem nos fez assim. Ele poderia ter criado seres com senso de impecabilidade, mas ele não o fez. Por quê? Não faço ideia! - talvez sejam essas loucuras que o tornem tão interessante.

Não é preciso estudar muito para reconhecer nossa fraqueza. Não precisamos necessariamente compreender, mas se nos considerarmos tão fracos quanto somos, estaremos caminhando em direção à solução.

Paulo disse que sentia prazer em suas fraquezas, pois nelas é que o poder de Deus se manifesta. É durante a fraqueza que não temos forças para caminhar, então Jesus nos pega no colo. Na fraqueza não temos palavras para expressar nossa angústia, então o Espírito Santo transforma nossas lágrimas em uma poesia suave aos ouvidos de Deus.

A nossa fraqueza gera dependência. Depender de Deus é o que nos torna mais fortes!

Agora não somos nós quem lutamos, mas o próprio Deus. É a vez do criador do jogo mover as peças.

O bom de andar com Deus é não precisar bancar o durão, pois bem no fundo todos nós somos como folhas de outono, prestes a cair. Então o vento chega e dança, e nos deixa longe do chão. Com ele viajamos por lugares que não escolhemos, mas ninguém pode nos despedaçar num andar descuidado.

Com as mão atadas e olhos vendados tudo o que temos é Cristo em nós.

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Amor que constrange



Cara, ser cristão é uma coisa muito doida! Há quem diga que não é pra gente frouxa não...

Quando Jesus andou aqui na terra e chamou algumas pessoas para segui-lo, o primeiro requisito era basicamente esse: Larga tudo aí e vem comigo.

Negue-se! Abra mão das suas vontades, seus desejos, suas certezas, suas razões, abra mão do seu orgulho, do seu ego.

Pode ser difícil ("pode"? É difícil! E muito) porém é necessário. Mas, ôh coisa difícil abrir mão do meu eu! Dos meus impulsos, dos meus pecadinhos de estimação (se identificou aí jovem?).

E quando digo isso pra Jesus, ele com MUITA paciência me responde: "Eu sei, eu sei... Mas abrir mão das nossas vontades, às vezes é bem melhor, olha pra mim! Eu também abri mão de tudo que eu tinha, mas não me arrependo e estou satisfeito com o resultado!" E mesmo assim eu ainda reluto: "Mas Jesus, eu não consigo, pra mim não dá!". Então o Espírito Santo entra em cena e diz: "Eu estou com você! Estou aqui para te ajudar. Você vai conseguir abrir mão disso."

Ele faz isso com todos nós, temos dentro de nós uma voz que nos diz o que está certo e o que está errado, essa é a voz do Espírito Santo.

E quando falhamos no quesito "renúncia/santificação" é ele quem desperta nossa consciência. Como? Com sua mão, toca suavemente o nosso rosto e vira-o em direção à Cruz, nos fazendo lembrar do sacrifício de Cristo para garantir a nossa santidade e vida eterna.

E Ele sabe que ao nos depararmos com o surreal amor de Cristo a nossa "ficha cai" e corremos até o trono de Deus arrependidos, buscando o Seu perdão, porque pior que o erro que cometemos é pensar que o que Jesus sofreu na Cruz foi em vão.

E porque isso acontece? Porque o amor de Cristo nos constrange! A imensa demonstração da bondade de Deus nos faz trilhar o caminho do arrependimento e renúncia. E toda vez que desviamos os olhos do alvo sentimos um toque do Espírito de Deus nos levando à Cruz.

Então... quer renunciar mais o seu eu e pecar menos? Peça ao Espírito Santo que te leve novamente aos pés da Cruz.

Bianca Ab