quinta-feira, 30 de abril de 2015

Que eu cresça



Somos conhecidos como geração fast food: Queremos receber nossos pedidos no menor tempo possível. Aprendemos a ser ansiosos e egocêntricos.

Quando nos damos conta, esse conforto começa a nos atacar no âmbito espiritual. Nos tornamos obesos mórbidos. Comemos tudo o que nos vem em mãos, mas não digerimos nada; estamos a mudar de igreja com nosso controle remoto, escorados num sofá de conformismo, acariciando nosso pecadinho de estimação.

Nos tornamos cristãos doentes, servos da chave de carro. Não oramos mais, só quando precisamos pedir alguma coisa. Não temos relacionamento com Deus, antes o tratamos como garçom de uma lanchonete lotada. "E não demore", costumamos dizer. Perdemos a noção de quem somos e tratamos Deus como se fosse nosso empregado.

"Não te precipites com a tua boca, nem o teu coração se apresse a pronunciar palavra alguma diante de Deus; porque Deus está nos céus, e tu estás sobre a terra; pelo que sejam poucas as tuas palavras"
- Eclesiastes 5.2

Nos esquecemos que somos nós quem temos de diminuir para que Ele cresça em nós. Em vez disso fazemos questão de andar com um crachá talhado em ouro "PREGADOR", "EVANGELISTA", entre outros tantos títulos. Enchemos nossa boca para falar que limpamos a igreja ou que alimentamos um morador de rua.

Sabe o que Deus diz ao nos ver fazendo essas autopropagandas?

"Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta (e não sabes que és um desgraçado, e miserável, e pobre, e cego, e nu), aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças, e vestes brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os olhos com colírio, para que vejas."
- Apocalipse 3.17,18

Deus partilha tudo o que tem: sua santidade, seu amor, e até um lugar lá no céu. Diante de nosso erro ele nos oferece suas vestes para que nos vistamos e seu colírio para que possamos ver. Mas a sua glória... A única coisa em que não podemos tocar é a glória de Deus.

Jesus tem uma vida abundante a nos oferecer: Uma vida de doido! Nossa ansiedade acaba desviando nosso olhar de Cristo para nossos desejos. Quando percebemos estamos vivendo em prol disso. E por sua infinta misericórdia ele nos permite acertar os nossos desacertos.

"Porque necessitais de paciência, para que, depois de haverdes feito a vontade de Deus, possais alcançar a promessa"
- Hebreus 10.36

Nenhum comentário:

Postar um comentário