segunda-feira, 27 de abril de 2015

Você aqui



Perdoa-me por amar-te tanto. Por fazer de ti meu refúgio. Por preferir teu peito. Por ser apaixonada por teu abraço, encantada por teu cheiro. Perdoa-me por todas às lágrimas, por todas as discussões bobas, por toda dureza. Perdoa-me pela insistência, pelo medo. Perdoa-me pela ousadia em te querer tão intensamente. Perdoa-me por todas as promessas ao chão, pelos sorrisos em questão. Perdoa-me.

Nunca quis ferir-te. Nunca desejei que lacrimejastes por mim. Juro por mim mesma e pelo mundo até, que a única coisa pelo qual eu interiormente suplicava, era por tua companhia. Fizestes-me ver um mundo de encantos dentro do mundo real. Causastes em mim a fúria do mar bravio, ao mesmo tempo que fizestes meu coração repousar - somente ao ouvir tua voz tão suave. Tu, somente tu, foste capaz de fazer o que ninguém se atreveu. Me invadiste. Transformou-me em urgência e me mostrou-me que só você é a solução para o meu coração.

Com você eu vivi uma história mais intensa que as de Pedro Bandeira, mais cheias de sentimentos que as de José de Alencar, repleta de dor - ainda mais que as de Seu Assis. Nossa união daria uma história bonita de se ler. Talvez tivesse um enredo um pouco triste, um acontecimento trágico, personagens malvados com certeza, mas o nosso amor prevaleceria no final. Como sempre prevaleceu, como sempre será.

Ellen Alves

2 comentários:

  1. Flor, peço mil desculpas mas só vi seu e-mail agora! Me perdoe, por favor! Fico honrada em ter algo escrito por mim no seu cantinho que é tão lindo! Obrigada mesmo! Irei compartilhar em minhas redes sociais já já!
    Conte comigo sempre! ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sem problemas, Ellen. Obrigada pelo apoio ^^

      Excluir