sábado, 27 de junho de 2015

Ame mais, julgue menos



Ao olharmos para o mundo do jeito que está, tudo o que conseguimos ver é gente que toma o nome de Deus em vão, gente que vai tudo queimar no inferno. Só que, como em Mateus 7 diz, estamos tentando tirar o cisco do olho deles sendo que no nosso há uma trave.

É que a gente esquece que todos somos pecadores, e tentamos separar o pecado por "níveis de gravidade". A gente sabe que pecado é pecado independente de qual seja, mas parece que a gente se esqueceu disso.

Da mesma forma que Cristo nos amou, nós devemos amar ao nosso próximo. O nosso próximo não é só aquele irmãozinho bonitinho e cheirosinho que senta do seu lado na igreja. O próximo é também aquele que fere todos os seus princípios como se não fossem nada. O próximo não é só aquele que tem Jesus no coração e que luta contra o pecado diariamente, mas também aquele que compactua com a iniquidade.

Eu fico imaginando o que seria de nós se Jesus fizesse tanto caso quanto estamos fazendo. "Ta vendo, Pai?", ele diria. "Ele mentiu... Ele não tem renunciado suas vontades... Ele tem tomado o Teu nome em vão! Por que não manda logo ele pro inferno?!". Mas Jesus não faz isso. Ele fica do lado do Pai e pede que Ele nos dê uma nova chance todas as vezes que pecamos. Ele tenta acalmar a ira de Deus. E nós, como cristãos, que tentamos ser um pouquinho mais parecidos com Cristo a cada dia, o que estamos fazendo?

O que eu vejo (e tenho certeza de que você vê também), é um grande pessoal mandando gente ir pro inferno em nome de Deus. E o pior de tudo: Nós estamos no meio! A gente enche a boca pra julgar, mas nem vemos que os mais errados somos nós, que conhecemos e provamos da verdade.

"Mas a justiça que é pela fé diz assim: Não digas em teu coração: Quem subirá ao céu (isto é, a trazer do alto a Cristo)? Ou: Quem descerá ao abismo (isto é, tornar a trazer dentre os mortos a Cristo)? Mas que diz? A palavra está junto de ti, na tua boca e no teu coração; esta é a palavra da fé, que pregamos"
-Romanos 10.6-8

Em vez de apontarmos os erros dos outros, porque não tentamos levá-los para Cristo, e deixar que a verdade os liberte? Acusação nunca mudou ninguém, e não é agora que vai começar a mudar. Precisamos ter a sabedoria de Deus em nós para que consigamos levar as pessoas para Jesus.

Somos todos iguais perante Jesus. Todos pecadores. Todos precisamos da graça de Deus para não sermos condenados. Todos nós viemos de Adão, todos nós da mesma linhagem, todos com o pecado no sangue. Todos precisamos do aconchego que só Cristo tem para dar.

Eles também.


Ame mais, julgue menos
Marcela Taís

Nenhum comentário:

Postar um comentário