quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Retrospectiva 2015



Sem dúvida esse ano foi o melhor ano da vida vida até agora. Não digo isso como um clichê, porque talvez eu passe a dizer esta frase no fim de todos os anos até o fim da minha vida. Digo isso porque acredito que só agora comecei a viver. Pra quem não sabe, esse ano eu entrei no ensino médio. A escola mudou, as matérias mudaram, ninguém mais usava uniforme e os amigos não estavam mais por perto. Aqueles que puxavam a minha orelha e brigavam comigo quando eu extrapolava já não estudavam na mesma sala que eu, nem na mesma escola, nem no mesmo bairro.

Comecei a caminhar com as minhas próprias pernas. Foi difícil no começo. Fazia uns anos que eu não fazia novas amizades, ainda mais com gente que eu nunca tinha visto! Por sorte encontrei algumas pessoas da escola antiga - sou grata por elas.

Esse ano foi um ano de muitas mudanças e reviravoltas. Percebi que o mundo não se trata de mim. Conheci professores que se certificavam de nos fazer entender o conteúdo, e outros que não estavam nem aí para a grade, desde que um debate sobre moral fosse promovido em sala de aula. Os professores não ficavam mais no meu pé quando eu não queria fazer alguma lição, eles não ameaçavam chamar a minha mãe, então percebi que a vida é feita de escolhas.

Conheci pessoas com a alma tão machucada, com a família desestruturada, com a sanidade por um fio. Percebi que é desumano ser tão egoísta como eu tinha sido até então. Me aproximei de gente que nunca pensei me aproximar. Conheci pessoas incríveis, algumas até com uma vida bem difícil, e entendi que estar longe dos amigos não é tão ruim quando tem gente do seu lado tão distante dos pais, dos irmãos e até da esperança.

Fora da escola, conheci gente que não me tratava mais como se eu fosse a criança que eu acreditava ser. Adultos com problemas de adultos, falando comigo como se eu fosse adulta. Pessoas confiaram em mim para fazer coisas importantes, e seria tão injusto continuar tão irresponsável como sempre fui.

Vivi momentos intensos com Deus, e outros tão distantes. Um ano de altos e baixos, diria. Mas Ele nunca me abandonou. Nem quando eu chegava cansada e não tinha nem a coragem de dizer um oi. Ele atendeu atenciosamente cada um dos meus pedidos, e entendi que Ele não queria ser para mim apenas um Deus que promete e cumpre, mas um verdadeiro amigo, que diz "confie em mim" e faz o seu melhor.

Por vezes quis simplesmente deixar de existir, pois o fardo para carregar era realmente muito pesado, mas então eu olhava para o lado e via pessoas bem piores do que eu. Isso me dava força não só para continuar caminhando como para pegar essas pessoas pelo braço e ajudá-las a se levantar.

Esse ano foi um ano de mudanças. E cara, eu nem sei como agradecer às pessoas que me acolheram e me ajudaram a melhorar a cada dia. Olhando para quem eu era há um ano atrás eu não me reconheço mais. Mesmo havendo ainda tanto para mudar, acredito que eu melhorei muito.

Esse ano foi um ano de aventuras. Nos - infelizmente poucos - momentos que eu me entreguei às mãos de tão bondoso Deus que sirvo, pude provar de coisas que nunca imaginei provar. Pude vê-lo enxugando minhas lágrimas, trabalhando em meu coração, cuidando de pessoas importantes para mim. Pude senti-lo pertinho e sentir o Seu abraço. Pude compartilhar de Sua visão e de Sua Amazing Grace.

Fiz coisas pelas quais me arrependo. Se já tivessem inventado a máquina do tempo eu certamente voltaria para mudar as besteiras que fiz. Mas, como diria a Banda Resgate: Tudo é uma lição, a gente tem que aprender!

2015 foi um ano de muitas lágrimas e risos. Conquistas e tantas perdas. Epifanias e crises existenciais. E agora ele está indo embora. É, meu querido sr. 2015, foi bom enquanto durou.

O que resta agora é desfrutar da vida de renúncia e aventuras de 2016. Estou me preparando para ser agarrada, chacoalhada e transformada pela Graça. Espero que você também!


quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Sword Art On Life - Fim do jogo



Quando a guerra terminar,
Quando não houver mais contra quem lutar,
Quando o Criador do jogo retornar,
Então lançaremos as nossas fardas sujas ao chão.

Quando o castelo flutuante desmoronar,
Quando toda a experiência invalidar,
Quando percebermos que ainda há sangue a pulsar,
Então retornaremos ao lar.

Aos que morreram durante o combate,
Aos que desistiram sem nem tentar,
Aos que se recusaram acreditar que viviam o virtual,
Não será concedida a chance de rever o mundo real.

Quando o Criador do jogo
Retornar para buscar sua guilda
Todo o jogo morrerá.
Servidores formatados,
O sucesso já não importa.
E o dinheiro?
Dados de um sistema extinto.

E os que lutaram bravamente
Contra o sistema destruidor
Terão toda lágrima enxugada,
Cada dor anulada,
Marcas de guerra e nível para trás,
E o prazer de encontrar
O botão de logout,
Finalmente livres
Da ilusão do NeverGear.


----------------------------
Render da imagem de capa retirado de: http://www.deviantart.com/art/Sword-Art-Online-9-335691796

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

O barro e o poeta



As árvores se curvavam e os animais se aproximavam para ver melhor. As águas das cachoeiras corriam anunciando a chegada do poeta. Ele observou toda a natureza e sorriu satisfeito. Todas as vezes com sua caneta em mãos, chamava a atenção até dos mais ocupados formigueiros. E lá estava ele, visitando aquele lugar que lhe agradava tanto. Ele não segurava sua caneta desta vez, o que deixou o vento curioso, correndo de um lado para o outro.

Ele sentou com as pernas cruzadas num lugar sem plantas. Passou a mão sobre a terra com textura enlameada para criar uma superfície lisa. Usou suas mão para começar a escrever. Tinha tanta cautela quanto quem escreve no papiro um escrito japonês. Buscava inspiração em cada palavra. Usava diligência em cada movimento.

De todas as vezes que ele esteve presente no jardim a fim de criar uma obra, esta era a primeira que ele fazia parte de sua criação. Mesmo com o braço sujo de barro não parava de registrar cada ideia que aparecia em sua cabeça. Nunca se viu tamanha inspiração vinda do poeta!

Letra por letra.
Vinham as palavras.
Corriam por todo o solo.
Davam as mãos a formar frases.
E mais palavras.
Cada uma escrita com o maior cuidado.
Formavam mais frases.
Palavras e mais palavras.
Ideias e mais inspirações.
Zelo.
Pele.
Letras.
Braços.
Abraços.
Mente.
Palavras.
Amor.
Fígado.
Cabeça e pés.
Dentro e fora.
Verso, estrofe.
Poesia.

O nunca visto foi visto ali. A originalidade em matéria. Não, não estava pronto. Faltava algo. De que valem as palavras belas de interior oco? De que valem versos de inspiração morta? De que valem dois pulmões se não conhecem respirar? É isso! Ar!

O poeta, então, tomou sua poesia em mãos. Encheu seus pulmões e soprou. Não era qualquer sopro, como daqueles que soltam CO2. Era diferente. Ele gerava vida onde conseguisse se instalar. E lá estava a poesia. Poesia viva nas mãos de um Deus poeta¹.

Empoeirou suas mãos e seus pés
Foi flagrante o amor que sentiu por mim
Soprou em mim seu sopro cortante, diamante 
Que quer ver alguém viver²

----------------------------------
Notas
¹ Frase de Laureane Antunes, do blog Alma Florida
² Trecho da música Há um Deus de Felipe Valente

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Oração




A fala que ajuda,
A conversa que dá leveza,
Algo que acalma a alma.

Tira a agitação,
Tira o peso pesado,
Tira a sujeira.

É para perdão,
É para pedir,
É para conversar,
É para agradecer.

Para conhecer
É preciso conversar,
Então amar,
E orar...

Oração sem compromisso,
Oração sem interesse,
Orar e amar,

Orar é amar.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Coisas para fazer nas férias



♫As férias chegou, trazendo o calor. Um dia, dois dias, três diaaaaaaaas♪
Todo mundo aí de férias?

No finalzinho do quarto bimestre, lá estava eu criando várias táticas para não desperdiçar minhas férias. Fiz uma listinha de coisas mentalmente, e quero compartilhar com vocês. Bora ver?

1. Doe suas roupas e seus brinquedos que você não usa mais
Sabe aquelas roupas que você sempre disse a si mesmo que vai usar há seis meses e ainda não usou? Já tá mais do que na hora de passar pra frente, não acha? Separe um dia para dar uma geral no guarda-roupa, junte os brinquedos e doe para pessoas que precisam mais do que você. Você pode deixar em alguma instituição religiosa, dar a alguém que você conhece, o então pedir uma Árvore da Doação - e doar em família, olha só!

2. Aprenda a programar
Criar jogos, aplicativos, sites, blogs e sei lá mais o que que você pode fazer com alguns códigos. Alguns sites como Programaê e Eu Posso Programar tem umas aulas muito legais, e você pode acessar com a sua conta do Facebook, mesmo.

3. Durma
Sim, isso também vale como aproveitar. Dependendo do que você for fazer a partir de fevereiro, você não vai conseguir descansar tão cedo. Então durma. Pode dormir. Seja feliz.

4. Aprenda a tocar um instrumento musical
Violão, teclado, contrabaixo, bateria, saxofone, flauta, triângulo... Seja presencial ou online, se você quer aprender a tocar, corra atrás das aulas. Caso você não tenha dinheiro para pagar um professor, tem um monte de gente que ensina online, fora aquelas revistas que vende nas banquinhas de jornal que vem com um DVD.

5. Ganhe dinheiro
Você pode arrumar um emprego (se você tiver mais de 16 anos), ou pode fazer os famosos "bicos". Venda artesanato, layout para blog/canal de youtube, doce, arte na praia. Cuide do cachorro do vizinho, do bebê de algum parente, lave uns pratos (além dos da sua casa, porque né). Faça o que você sabe fazer para conseguir uma renda extra - que você vai gastar em menos de uma semana, mas tá valendo.

7. Crie um blog ou canal no youtube
Escolha um tema, pegue uns papéis, câmera, e seja feliz. No seu blog/canal você pode compartilhar suas ideias, e mostrar seu ponto de vista sobre o mundo para o mundo - não necessariamente o mundo inteiro, mas parte dele. Um lugar para se expressar e passar o tempo. Se quando as aulas voltarem você não tiver mais tempo, confesse: foi bom enquanto durou.

8. Compre seu material escolar do ano que vem
Se você, assim como eu, sentiu falta de algum material durante esse ano letivo (aquela super pasta sanfonada com doze mega divisórias, por exemplo), aproveite as férias para comprar tudo o que tem direito. PS.: Faça isso em dezembro, porque eu janeiro as papelarias estão em clima de volta às aulas, e tudo está muito mais caro.

9. Visite/saia com seus amigos
Se você ainda estuda com eles, talvez seja um pouquinho chato fazer isso, pois todos precisamos de um tempo livre dos amiguinhos. Porém, caso cada um esteja em uma escola e tal, vai seu muito legal ver o rosto dos indivíduos que você ama.

10. Filosofe!
Tente encontrar um sentido para a sua vida, uma motivação para seus estudos, e um porquê para a sua rotina. Faz muito mais sentido caminhar para algum lugar se você sabe o motivo.

É isso galera. Não deixe suas férias passarem sem você nem ver. Quando as aulas começarem você vai sentir um arrependimento daqueles, acredite. Além disso, as férias são amigas não comida! Ame suas férias. Aproveite, porque passa bem mais rápido do que parece.

Até a próxima, galerinha!

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Sobre esperar em Deus


Sabe aquela história de que toda garota sonha com casar? Não gosto muito de generalizações, mas dessa vez a carapuça me serviu. Sempre fui daquelas que escolhia da decoração à trilha sonora. Só parei quando passou pela minha cabeça que provavelmente meu noivo reprovaria a marcha nupcial trocada por uma abertura de anime. Sempre sonhei com um vestido branco, um bolo com andares incontáveis, músicas românticas, e todas essas coisas que compõem a cerimônia. Ao mesmo tempo nunca quis me apressar, pois sabia que uma hora seria a hora certa, e que não precisaria forçar.

Bem no fundo do meu íntimo sempre acreditei que Deus cuida desse dia desde que nasci. Mas só recentemente compreendi a complexidade de tudo isso. "Esperar em Deus", é como chamam. Não gosto de firmar minhas certezas sobre conceitos já formados, sem nem pensar o porquê, e com "esperar em Deus" não seria diferente. Busco uma definição sobre o que é esperar em Deus, e percebo que é algo tão particular que não dá para ser a mesma coisa para todo mundo. De qualquer forma, quero compartilhar com vocês o que esperar em Deus significa para mim.

Para mim, esperar em Deus é confiar nele acima de tudo. É entender que Ele só quer o meu bem, e que qualquer atitude que Ele tome é a melhor a ser tomada. É acreditar que, por mais doloroso sejam os caminhos que Ele me convide a passar, seria muito pior se eu tentasse caminhar sozinha. É ter momentos a sós com Ele, e lá receber as instruções, aparentemente tão vagas, como "espere" ou "ore", mas que garantem meus pés no chão.

Para mim, esperar em Deus é ter alma transparente. É contar que eu preciso dele sem precisar me mostrar forte. É contar que eu quero me casar e saber que Ele não vai rir e nem fazer piadinha. É falar abertamente sobre minhas paixões, sobre este ou aquele que me chamou a atenção. É pedir para que Ele guarde o meu coração pois não sei guardá-lo sozinha.

Para mim, esperar em Deus é aprender a ser feliz com Ele. É deixar de lado a ideia de que preciso de um rapaz para me realizar. É deixar que Ele preencha todos os buracos que tenho aqui dentro e que me complete.

Para mim, esperar em Deus é colocar as vontades na coleira. É estabelecer uma barreira bem grande entre querer e fazer. É me desafiar a fazer o que não gosto pois, como diz o ditado, remédio ruim é que sara.

Para mim, esperar em Deus é esquecer do futuro. É deixar o amanhã na mão dele, e aproveitar ao máximo o hoje. É trabalhar duro para realizar os sonhos que Ele sonhou para mim. É substituir ansiedade por esperança.

Para mim, esperar em Deus é acreditar que está tudo sob controle. Sob o controle dele, claro. Eu sei que ao mesmo passo que Ele está preparando a minha vida, Ele também está preparando a vida de meu futuro noivo. Eu sei que não vou precisar perseguir o rapaz para que nossos caminhos se cruzem, pois Ele já sabe nossas trajetórias até o fim da vida.

Para mim, esperar em Deus é compreender que a vida é feita de fases. Chegará, sim, o momento em que eu vou namorar, noivar, casar, ter filhos e tudo mais. Mas o meu momento agora é estar solteira. E isso não é ruim! Também não é melhor do que ter uma vida a dois. São só fases diferentes, com missões diferentes e visões diferentes.

E por fim, para mim, esperar em Deus é estar disposto a mudar. Na verdade a vida em si nos exige mudanças. Mas eu sei que preciso ceder ao delicado agir de Deus sobre a minha vida, com suas várias formas de me dizer que estou errada. Enquanto espero, preciso polir meu caráter. Eu sei que ele nunca estará impecável, mas posso torná-lo suportável.

Esperar em Deus não é impossível, mas é sacrifício. Não é fácil conviver num meio onde todos parecem se importar com parceiros, beijos, e outras coisas, e não participar disso. Mas chego então à chave de esperar em Deus, encontrada em seu próprio nome: "DEUS". O X da questão não está em encontrar alguém, mas em deixar que DEUS tome uma das decisões mais importantes da minha vida. Considerando o jeito dele, eu abro mão de tamanha honra para ter uma honra maior de ter o próprio Deus como padrinho.


quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Permita-se sonhar



De uns tempos pra cá tenho percebido como a vida passa rápido. Demoramos um tempão para decidir fazer alguma coisa, e quando decidimos já não dá mais tempo. É realmente um desafio lidar com o tempo e conciliar um monte de coisas dentro dele. É cansativo, porque nunca conseguimos colocar em grades bonitinhas as nossas atividades, e quando conseguimos, só cabem as obrigações, coisas que cobram de nós, mas o que realmente queremos fazer fica de lado.

Corremos contra o tempo, contra as despesas, contra o sono. Acabamos o dia cansados e frustrados. Nos jogamos na cama e nos perguntamos: "O que é que eu estou fazendo com a minha vida?". Até hoje eu não sei.

É que são muitas responsabilidades, sabe? Coisas que tomam tempo para ficarem bem feitas, e se não ficarem é melhor que nem sejam feitas. A rotina nos engole e quando percebemos fazemos parte de um sistema doentio em que se vive para ganhar dinheiro e se ganha dinheiro para sobreviver. Sobrevivência é importante, concordo. Mas e nossos sonhos?

Sonhos - na maioria das vezes - não dão dinheiro. Sonhos tomam tempo. Sonhos exigem energia. Sonhos exigem sacrifícios. Correr atrás deles cansa. As pessoas nos dizem que não vale a pena, e com o tempo passamos a acreditar que realmente não vale. O caminho mais fácil é desistir. Continuar com a vidinha de sempre: trabalhando, estudando, comendo e dormindo. É só disso que a gente precisa, não é?

Eu sei que às vezes a gente até curte a nossa rotina. Às vezes é bom ter os pés no chão. A rotina é segura, confiável, e nunca deu errado. Temos medo de arriscar, mas sonhar é arriscar. Sonhar é ignorar a situação atual, esquecer de onde se está e pensar lá na frente. Sonhar é, sim, pensar num ideal. Um ideal que, com muito esforço, alcançaremos.

Você vai ter que perder algumas horas de sono, algumas saídas com os amigos, alguns episódios novos daquela série que é super demais. Vender canetas ou água no dia do ENEM, entregar panfletos na avenida, vender doce na porta da escola...

Eu sei que sua vida é corrida. A minha também é. Mas se os sonhos valem a pena, também vale a pena correr atrás deles. Talvez a gente precise usar o dia de folga pra vender coxinha na esquina para, em dois meses, conseguir mais ou menos 30% do que precisamos. Algumas noites em claro para encontrar as melhores inspirações. Acordar bem cedo para ver o sol raiar e tirar algumas fotos. Você deve estar cansado só de pensar em dormir menos, mas vem cá. Quantas pessoas você vai ajudar quando realizar o seu sonho? O quanto você se realizará? O resultado final será capaz de colocar um sorriso que cubra todo o seu rosto? Sim? Então você consegue dormir cinco horinhas por dia durante algumas semanas.

Sonhar não é fácil. Imaginar longe a gente até consegue, mas se não cumprimos acabamos nos frustando. Sonhar exige tanto planejamento como trabalho. É nessa parte que tudo complica. Ou estamos animados para trabalhar mas não sabemos por onde começar, ou passamos uma vida planejando mas temos medo de dar o primeiro passo. Então recorremos à solução mais fácil: desistimos.

Acho que já estamos acostumados com esse ciclo vicioso: Sonhamos, falhamos, desistimos, vez ou outra nos pegamos sonhando outra vez, quebrando a cara novamente, e em seguida desistindo. Nos privamos de uma coisa tão bela que é sonhar e fazer com que os sonhos aconteçam.

Posso te dar um conselho? Permita-se sonhar.

Vai dar trabalho? Vai. Vai ser difícil? Com certeza. Você vai se cansar e pensar em desistir? E quem disse que não?

Não vai ser fácil. Gente te dizendo que não vale a pena é o que não vai faltar. Mas vai valer muito a pena quando o resultado de seu suor e lágrimas estiverem diante de seus olhos.