sexta-feira, 11 de março de 2016

Para a pressa e para quem perdeu a ordem






Mil vezes orei, mil vezes disse, que não seria igual a estes seres humanos apressados desse mundo. Ansiosos vivem, para chegar ao trabalho, a faculdade, em casa. Aqueles seres que tem uma vida monótona, já cronometrada, que é baseada no padrão aceito neste tempo, que é, acordar muito cedo, mas com pressa pois está atrasado para o trabalho, almoçar apenas um salgado alguma hora do dia, ir para a faculdade, chegar acabado de cansaço em casa. E, como último item de uma lista tão diversificada, esquecer completamente de Deus, e só lembrar no final de semana, quando tem culto na igreja.

Mas, algum dia tinha que acontecer de mim crescer, e então adotar esta rotina para a vida. Fui lentamente sendo abduzida por esta, sem perceber, até chegar ao último nível do jogo, esquecer de Deus.

Na verdade, o Nome não foi esquecido, mas sim a prática dele, o amor. Eram vagas as vezes nas quais me recordava dessa parte do Evangelho, porém, quando conseguia fazê-lo, não sentia a menor vontade de executá-lo, pois, apesar de ter na cabeça tudo o que era para ser feito, ainda faltava algo para me mover, para mover o coração. Me transformei em algo que nunca esperava, quebrei uma promessa feita a mim mesma, virou ela, uma mentira contada a muito tempo.

Porém, como diz a música de Daniela Araújo, “Chega um dia em que a gente decide não insistir nos mesmos erros”, observei por mim mesma cada benção por mim recebida mesmo estando longe, mesmo sem merecer atenção. Cada pessoa que entrou na minha vida, na qual considero maravilhosas. Cada acontecimento importante, então me lembrei que a maioria deles era quando fazia algo em nome de Deus. Senti saudades, de alguém que eu ainda não vi.

Lembrei-me de como era imaginá-lo, a mim e Ele se encontrando no dia de Sua volta. Pensei em como o Espirito Santo facilmente me trazia reflexões diárias que sempre me deixavam feliz e animada. Nestes pensamentos me deparei com antigos sonhos, nos quais Ele tinha para mim, eram felizes e de tranquilidade, além de muito envolvimento em aventuras. Isso foi antes de entrar no fundo do poço, sonhei sonhos da população em geral, de dinheiro e profissão, sonhos infelizes, falsos sonhos que projetamos, que nos envolvemos, que nós caímos.

Depois de tudo isso, me veio o aperto no coração, chegou o pensamento de um amor infindo, então, adivinha, me arrependi. E voltei.

E assim não quis repetir, mesmo que tivesse que seguir ao menos a metade da rotina. No mundo ao nosso redor só há paixões passageiras e metas a cumprir. Estamos fadados a isto, à uma vida com felicidade aparente, mas sem alma alguma. Escutamos a voz que diz: “Você tem um compromisso comigo, me obedeça e viva! ”, mas não a ignorar é um dos erros mais fatais que cometemos em toda a nossa vida. Porém, se existe esperança esta é tapar os ouvidos, e sentir a voz que fala ao coração, dizendo: “Eu te amo, te escolhi para uma verdadeira felicidade. ”, nisto, mesmo em meio ao desdém sempre haverá amor.


Se a nossa esperança em Cristo só vale para esta vida, nós somos as pessoas mais infelizes deste mundo. ” 
– 1 Co 15:19

Assinado: 

                     Isa

Nenhum comentário:

Postar um comentário