quinta-feira, 30 de junho de 2016

E Ele concederá o desejo do teu coração



Deleita-te também no Senhor, e ele te concederá o que deseja o teu coração. (Salmo 37.4)

Confesso que este é um texto que me intrigou a vida toda. Primeiro de tudo: quando olhamos superficialmente para este versículo, temos a impressão de que é uma relação de troca, como se fosse só ter prazer no Senhor e *puft*, tudo o que você quer entregue de bandeja. A outra coisa que eu pensava era: "Se o coração humano é enganoso, por que raios Deus realizaria o desejo do nosso coração?".

Nesses últimos tempos, tenho vivido uma grande odisseia com o Pai, e eu percebi uma coisa: A Karina do início da jornada não é a mesma Karina de hoje. O que o meu coração desejava era A mais B com uma pitada de egoísmo e desejo desenfreado pelo conforto. Não fazia muito sentido Deus conceder a mim a realização de meus pedidos egoístas. Mas é aí que tudo começou a se encaixar.

Deleitar-se significa ter prazer. A nossa carne é incapaz de sentir prazer em Deus, mas é ela quem abriga a nossa herança pecaminosa, e consequentemente nosso egoísmo. Para nos deleitarmos no Senhor, é preciso mortificar nossa carne, e fazemos isso lutando dia após dia para ficar um pouquinho mais próximos dEle. A cada dia que passamos ao lado de Cristo, mais parecidos com Ele ficamos.

Em Tiago 4.3 está escrito que pedimos as coisas e não recebemos porque pedimos mal, para gastar em nossos deleites. Só que, quando conseguimos nos deleitar no Senhor, o nosso prazer não estará em nosso conforto, mas em agradá-lo.

Hoje eu consigo dizer que estou mais próxima de me deleitar no Senhor do que quando essa minha odisseia começou. Hoje minha oração não é mais: "Senhor, faça isso, por favor, por favorzinho". Hoje eu oro: "O Senhor sabe que eu quero muito isso, mas faça o que Você achar melhor". Hoje faz sentido que Ele me conceda o desejo do meu coração, pois o que eu mais quero é que a vontade dEle seja feita em minha vida.



Parecido contigo
Rodolfo Abrantes

segunda-feira, 27 de junho de 2016

O que eu aprendi com Deuteronômio 2



A terra que o Senhor prometeu ao povo de Israel era uma terra a ser conquistada, em outras palavras, não seria apenas chegar no lugar e aproveitar tudo sem qualquer esforço. Eles precisariam lutar para conquistar a terra que o Senhor prometeu, mas nesse capítulo não aprendo pelo que lutar, mas sim pelo que não lutar. A lição que aprendi com o segundo capítulo desse livro é: Não lute por aquilo que não vale a pena.

O Senhor fez o povo passar por Seir, mas disse para que não arrumassem briga com os moradores, pois aquela terra havia sido separada aos descendentes de Esaú. O mesmo aconteceu quando passaram por Ar, que era a terra dos descendentes de Ló. Enquanto o povo passava por estes lugares, o Senhor dizia: "Ainda não é essa a terra que te darei por herança".

Às vezes o Senhor nos permite conhecer alguns caminhos, porém não são estes os planos de Deus a longo prazo para nós. As terras de Seir e Ar eram apenas caminho para a terra prometida, e tudo o que conhecemos aqui é apenas uma preparação para a terra que Ele nos prometeu - que é o Céu!

Talvez se o povo de Israel tivesse se empenhado em conquistar as terras que apareceram no meio do caminho, eles não chegassem à terra prometida. E já pensou se, por alguma coisa que nos chama a atenção aqui, nos percamos a nossa salvação?

Quando Paulo escreve sua segunda carta a Timóteo, ele diz que "ninguém se milita se embaraça com as coisas dessa vida, a fim de agradar àquele que o alistou para a guerra" (2 Tm 2.4). Precisamos colocar na nossa cabecinha que não vale a pena conquistar o mundo todo e perder nossa alma. Não podemos lutar pelo que não vale a pena.

Não vale a pena vencer uma discussão ou ser bem sucedido se isso nos afastar da terra prometida. Não vale a pena aparecer em todos os jornais e no feed de notícias do facebook de todo mundo se o Criador do mundo não nos conhece. Não vale a pena conquistar com êxito uma terra que saciará o nosso desejo de conhecer a terra que mana leite e mel!

Se sabemos pelo que não vale a pena lutar, compreendemos que temos por obrigação lutar pelo que vale a pena. A Palavra de Deus nos diz que o Reino dos céus é tomado a força (Mt 11.12), e não podemos esperar quietinhos e sentados o Reino chegar até nós. É tempo de arregaçar as mangas, negar a nós mesmos, tomar a nossa cruz, e seguir a Cristo no caminho que nos leva até o Pai.

Tem coisas aqui que nós penamos para renunciar, mas o que é melhor: uma eternidade ao lado do Cordeiro ou oitenta anos de conforto? Se vale a pena conquistar, também vale a pena lutar. Se até Jesus teve que renunciar seu conforto e sua vontade para realizar seu propósito, que dirá nós.

E dá ordem ao povo dizendo: Passareis pelos termos de vossos irmãos, os filhos de Esaú, que habitam em Seir; e eles terão medo de vós, porém guardai-vos bem. Não vos entremetais com eles, porque vos não darei a sua terra, nem ainda a pisada da planta de um pé; porquanto a Esaú tenho dado a montanha de Seir por herança. Comprareis deles, por dinheiro, comida para comerdes; e também água para beber deles comprareis por dinheiro. Pois o Senhor, teu Deus, te abençoou em toda obra das tuas mãos; ele sabe que andas por este grande deserto; estes quarenta anos o Senhor, teu Deus, esteve contigo; coisa nenhuma te faltou. (Deuteronômio 2.4-7)

sábado, 25 de junho de 2016

O que eu aprendi com Deuteronômio 1



Deuteronômio é como uma caixinha de lembranças que contém as memórias do que Deus havia feito pelo povo de Israel desde que saíram do Egito. Este livro foi escrito para contar à nova geração todos os feitos de Deus pelo povo. Sendo este um livro de lembranças, resolvi trazer isso para minha vida também, e olhando para o primeiro capítulo percebo que não há nada de novo. Não é uma nova lição para mim; é uma lição antiga que esqueci: Obediência.

Não se espante com o que vou dizer, mas a obediência se tornou um tema obsoleto no nosso meio. Começando pela própria sociedade, onde os valores de submissão estão perdidos. Passamos pela família, onde não é costume existir uma hierarquia vertical. Então chegamos ao nosso relacionamento com Deus, e nos esquecemos que Ele é o Deus dessa história toda e nós somos apenas pó.

Obediência, respeito, dar honra a quem tem honra. É disso que o Senhor nos chama a atenção hoje. Ele chamou a primeira geração que saiu do Egito de rebeldes. Eles voltaram-se contra Deus e achavam que tudo ficaria bem. Chegou-se até um tempo em que Deus disse para que não lutassem contra o povo inimigo, pois Ele não estava no meio do povo.

Nos tornamos servos rebeldes. O Senhor disse que o povo ouviu as ordem, mas não as cumpriu. Eu parei para pensar, e será que não é essa a geração em que temos vivido. De toda aquela multidão, apenas Josué e Calebe entraram na terra prometida. Será que estamos sendo como esses dois que perseveraram e obedeceram, ou como todo o resto?

O mundo já está contaminado. Chegamos num ponto em que o mundo está dentro de nossas igrejas. Não dá pra fazer tudo errado porque este ou aquele faz também. Não é porque todos estão se jogando de um precipício que eu vou me jogar também, não é?

A desobediência nos afasta dos caminhos de Deus para nós, e nos distancia cada vez mais dEle. O quão distante você está por desobedecer as simples ordens ou por não seguir os mais complexos planos de Deus para a sua vida?

Só quero te dizer que ainda há tempo. Ainda há tempo de buscá-lo, ainda há tempo de se render aos Seus braços e à Sua graça. Ainda há tempo de se humilhar e clamar pela misericórdia do Senhor. Ainda há tempo de lembrar da ordem que Ele deu lá atrás, e ainda dá tempo de cumpri-la.

Não espere chegar num caminho sem volta para lembrar que a vontade dEle é boa, perfeita e agradável.


E disse-me o Senhor: Dize-lhes: Não subais, nem pelejeis, pois não estou no meio de vós, para que não sejais feridos diante de vossos inimigos. Porém, falando-vos eu, não ouvistes; antes, fostes rebeldes ao mandado do Senhor, e vos ensoberbecestes, e subiste à montanha. E os amorreus, que habitavam naquela montanha, vos saíram ao encontro; e perseguiram-vos, como fazem as abelhas, e vos derrotaram desde Seir até Horma. Tornando, pois, vós e chorando perante o Senhor, o Senhor não ouviu a vossa voz, nem vos escutou. (Deuteronômio 1.42-45)



sexta-feira, 17 de junho de 2016

Ao monstro que há em mim



Por todas as vezes que tiraste minha paz e roubaste-me a compostura, parabenizo-te. Por todas as palavras afiadas que rasgaram a alma de outrem como uma espada, e por todos os sonhos que me fizeste desistir, parabenizo-te.

Tens feito um ótimo trabalho me fazendo acreditar que sou como o monstro que és. Mas eu aprendi as regras do jogo, e entendi que o monstro não sou eu. Se fosse, não me preocuparia com o estrago que fiz a tanta gente.

Se não aceitas submeter-se a mim, submeta-se a Quem me criou. Hoje, pois, eu me sacrifico como Ele, e já não vivo mais eu, mas Cristo vive em mim. Eu sei que todas as vezes que você aparecer para me atormentar, é porque deixei meu Redentor e Dono de minha alma para fora. Pois Sua presença santa, perfeita e de poder imensurável é capaz de dissipar toda monstruosidade que há em mim.

"Já estou crucificado com Cristo;
e vivo, não mais eu,
mas Cristo vive em mim;
e a vida que agora vivo na carne
vivo-a na fé do Filho de Deus,
o qual me amou
e se entregou a si mesmo
por mim"
- Gálatas 2.20




Monster
Skillet

sábado, 11 de junho de 2016

Jardim fechado



E aí, moças! Como vocês estão?

Está chegando mais uma vez o "tão temido" feriado para as garotas solteiras, não é mesmo? Digo "tão temido" entre aspas, porque esta é a forma comum que ele é apresentado, mas discordo totalmente deste atributo. Ano passado, nós conversamos um pouco sobre isso (você pode ver o nosso papo clicando aqui), e estou aqui hoje somente para reforçar o que já tratamos em outra ocasião.

Antes de começarmos, quero que você leia o seguinte versículo:

"Jardim fechado és tu,
irmã minha,
esposa minha,
manancial fechado,
fonte selada"
- Cantares 4.12

Este é um trecho extraído do livro de Cantares, onde o rei Salomão relata o seu romance com a sua amada. O livro também traça um paralelo com o amor que Cristo sente pela Igreja, que em outras partes da Bíblia é tratada como Noiva de Cristo - que somos eu e você. Sendo assim, as palavras que você leu ali em cima, são as palavras que o próprio Jesus diz para você.

Eu sei que às vezes, nesse feriado, há um clima mórbido. Alguns usam esse tempo para se lamentar, outros tentam se alugar só para não ficarem sozinhos em pleno Dia dos Namorados. Em ambos os casos temos uma desvalorização e incrível desprezo pelo amor de Cristo por nós.

Jesus te ama, moça. Muito mais do que qualquer rapaz poderia te amar em toda a sua vida! E ele não quer te ver mendigando amor por aí, colocando anúncios no facebook dizendo que seus beijos e abraços estão à venda. Você se lembra do que Cristo disse para você no trechinho que lemos lá em cima? Consegue entender a intensidade dessas palavras? Ele te chama de jardim fechado. Não é qualquer um que entra em um jardim fechado. Geralmente eles ficam instalados no fundo das casas, para que somente seu dono e os que tiverem a sua autorização tenham acesso.

Menina, acorde! Não deixe que qualquer um se aproveite de uma situação vulnerável sua para te prometer uma amor - que você sabe - que não durará nem um mês. Deixe que Cristo trate desse buraco que você tem aí dentro, dessa necessidade de ter um rapaz para te completar. Só Ele pode te completar!

Se você fica se sentindo mal por ver as pessoas que você conhece postando fotos no instagram com seus pares, eu tenho a sugestão perfeita para você: Desliga esse seu celular, sai desse seu computador. Vai pro seu quarto, fecha a porta, e passa um tempo a sós com Ele. E se em algum momento você sentir um aperto no peito, e vier na mente uma daquelas postagens "podia ser a gente mas você não colabora", volte sua atenção novamente para Ele. Conte para Ele o que está passando aí dentro de você. Ele não vai se importar em ouvir suas dores. Na verdade Ele ama quando confiamos nele o bastante para compartilhar nossos machucados ocultos.

Bem disse Salomão: "Tudo tem seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu". Vai haver, sim, o tempo em que você encontrará o rapaz com quem caminhar junto, mas enquanto esse tempo não chega, não há nada melhor do que investir no seu relacionamento com Deus, não é? Ele está aí, só te esperando se achegar para te dar um abraço daquele bem gostoso para nos fazer entender que somos filhas do Rei.

Não se alugue nesse dia dos namorados, menina. Espere por algo que vale a pena esperar. Pode até doer agora (e eu sei que dói, acredite), mas lá na frente você vai poder olhar pra trás e ver como valeu a pena ter passado um diazinho sem presentes, chocolates e maratona de séries.

Nunca se esqueça: Você é jardim fechado de Cristo! Somente Ele e quem Ele der permissão pode adentrar no seu coração. Não saia dessa posição tão gloriosa, nem recuse a chance de ser cuidada pelo Criador do mundo. Não somente nesse feriado, mas todos os dias, até mesmo quando você já encontrar seu par. Não deixe os braços de Cristo. Não deixe os cuidados do Mestre.

Jardim fechado és tu,
irmã minha,
esposa minha,
manancial fechado,
fonte selada

quarta-feira, 8 de junho de 2016

Borboletas no estômago



Oh, borboletas!
Teu encanto seria mais belo
se não estivésseis dentro de mim.
Tuas asas a roçar
em minhas paredes estomacais
roubam-me o conforto.

Oh, borboletas!
Como entraram aí?
Pelas mentiras que digeri
ou pelas verdade que não falei?
Agora provocam-me o vômito metafórico:
Sem ânsia, mas repleto de dor.

Oh, borboletas!
Se com uma adaga afiada
eu fizer um corte em meu abdome,
me prometem que fugirão
e serão livres?
E se eu assim o fizer
prometem voar pelos ares
sem mais voltar?

Oh, borboletas!
Achastes conforto em meu ser?
Podem acomodar-se, se for vosso querer.
Só vos peço: durmam!
Durmam minhas pequenas borboletas.
Meu dia começou.



quarta-feira, 1 de junho de 2016

Level up!



Hoje eu quero compartilhar com vocês um pouquinho do que tenho passado nessa semana. Devo confessar para vocês que tenho passado por uma situação conturbada há alguns meses, e nesse período minha alma não conseguia ficar em paz. Eu olhei para dentro de mim e vi que, mais uma vez, eu estava fazendo tudo errado, e percebi que grande parte do meu problema era culpa minha.

Quando resolvi dar ouvidos ao que Deus tinha para me falar, percebi que, realmente, é fácil demais viver em paz, a gente é quem complica tudo¹. Nessa bagunça toda, acabei descobrindo que o senhorio de Deus sobre mim é o bastante para que eu me entregue totalmente a Ele, e que os cuidados dEle sobre mim nunca falharão.

E essa história sempre se repete. Deus me diz algo, eu ignoro por teimosia, quebro a cara, venho como cão arrependido aos Seus pés, Ele me diz novamente o que fazer, e quando eu faço, minha vida volta a tomar o rumo certo. E todas as vezes que isso acontece, mesmo que eu tenha aprendido a lição que Ele queria me mostrar, sinto como se, por mais que eu me esforce, todo meu trabalho fosse em vão, porque todas as vezes que esse processo se encerra, eu olho para dentro de mim e vejo que, mais uma vez, eu fiz tudo errado de novo!

Mas não dessa vez.

Eu estive pensando sobre as primeiras vezes que eu teimei com Deus e acabei cedendo à vontade dEle, e de repente aquele sentimento de regresso sumiu! Eu me lembrei da vez em que Ele me ensinou a não plantar a sementinha da discórdia e de quando Ele me mostrou como é maravilhoso confiar totalmente nEle e viver pela fé. Eu andei folheando uns cadernos antigos, uns papéis jogados, relembrei de histórias que vivi, e percebi que quando Deus me ensinava algo, eu aprendia de verdade! Eu nunca mais cometi os mesmos erros que eu havia cometido na minha época de teimosia.

Grande parte do meu desespero era porque sempre tudo é muito difícil. Quero dizer, eu passo por uma situação complicada, chego me arrastando à linha de chegada e sinto a sensação de sucesso; mas da próxima vez que tenho outro desafio, sinto a mesma dificuldade. Mas aí é que eu entendi: Não é que eu não estou progredindo. As dificuldades é que estão aumentando! E não é que as situações continuam se repetindo. É que eu estou mais forte!

A cada situação que passo ao lado do Pai, tenho aprendido coisas maravilhosas, e crescido  aos pouquinhos espiritualmente. Como prova disso, eu não me vejo há dois anos combatendo os combates que combato hoje. Minhas batalhas são mais desafiadoras. As suas também são.

Como diria Oficina G3, "a cada dia mato um leão". Quando as lutas vierem e você se sentir impotente, lembre-se do que você já passou pra chegar aqui. Sinta-se forte, revigorado. Lembre-se de que o seu Deus é muuuito maior do que os seus problemas.

Não veja sua vida cristã como uma esteira, onde você corre, corre e não sai do lugar. Veja como um videogame. Ao final de cada fase há um mestre, e quando você derrota esse mestre, um novo nível é desbloqueado! Hoje eu posso dizer que essa situação difícil que eu estava passando destravou o item "adoração" do meu inventário.

Só Deus pra saber o que virá daqui pra frente. Mas se Cristo comigo vai, eu irei.

Tudo é uma lição
A gente tem que aprender
O Mestre usa a vida
A vida usa tudo.
Será que oramos tanto
Sem nunca compreender
Que aquilo contra o que lutamos poderia ser
O caminho que quer ensinar a viver o futuro?





Errando e aprendendo
Banda Resgate


----------------------
Notas

¹ Trecho da música Meu Mundo de Thalles Roberto