sexta-feira, 17 de junho de 2016

Ao monstro que há em mim



Por todas as vezes que tiraste minha paz e roubaste-me a compostura, parabenizo-te. Por todas as palavras afiadas que rasgaram a alma de outrem como uma espada, e por todos os sonhos que me fizeste desistir, parabenizo-te.

Tens feito um ótimo trabalho me fazendo acreditar que sou como o monstro que és. Mas eu aprendi as regras do jogo, e entendi que o monstro não sou eu. Se fosse, não me preocuparia com o estrago que fiz a tanta gente.

Se não aceitas submeter-se a mim, submeta-se a Quem me criou. Hoje, pois, eu me sacrifico como Ele, e já não vivo mais eu, mas Cristo vive em mim. Eu sei que todas as vezes que você aparecer para me atormentar, é porque deixei meu Redentor e Dono de minha alma para fora. Pois Sua presença santa, perfeita e de poder imensurável é capaz de dissipar toda monstruosidade que há em mim.

"Já estou crucificado com Cristo;
e vivo, não mais eu,
mas Cristo vive em mim;
e a vida que agora vivo na carne
vivo-a na fé do Filho de Deus,
o qual me amou
e se entregou a si mesmo
por mim"
- Gálatas 2.20




Monster
Skillet

Nenhum comentário:

Postar um comentário