quinta-feira, 28 de julho de 2016

Nau, Futuro e Deus



Se eu pudesse destacar um dos meus muitos defeitos, com certeza destacaria a ansiedade. Mas não aquela que exige tratamento; no meu caso é só segurar o coração que tudo se resolve. E nesses meus acessos de excesso de futuro, acabo me desesperando. O problema é que eu não consigo viver o presente, ao mesmo tempo que tento manipular as coisas para chegar ao futuro desejado. (Mais uma vez repito: é só segurar o coração que tudo isso para).

A questão é: Se eu creio em um Deus que transpassa as barreiras do tempo, e se eu acredito piamente que Ele cuida de mim, por que é que eu me preocupo tanto com o que há de vir? Não foi o próprio Jesus quem disse que basta a cada dia o seu mal?

Eu me lembro do primeiro hino da Harpa que eu aprendi, e o refrão dizia assim: Solta o cabo da nau, toma os remos na mão e navega com fé em Jesus. Eu confesso que, até pouco tempo atrás, essa metáfora era um mistério para mim, mas recentemente descobri o que quer dizer, e quero compartilhar com vocês.

O "cabo da nau" é o que conhecemos como "leme" ou "timão". Geralmente é o capitão - ou, na falta dele, alguém importante na tripulação - quem segura o cabo da nau e, consequentemente, toma o controle da embarcação. Estar detrás daquele timão é ter posição de destaque, todos conseguem te ver. Após uma expedição bem sucedida, a quem parabenizarão? A quem está detrás do cabo da nau, claro.

Porém, não é essa posição que somos convidados a ocupar. O compositor da canção nos chama a tomar o remo nas mãos. Os remadores ficavam no porão da nau. Era serviço pesado e não reconhecido. Não é um cargo atrativo, e certamente é abraçar o anonimato. É uma tarefa anônima, mas certamente muito importante para a locomoção do barco. Pois bem, vamos à conclusão.

O Senhor Jesus pede o controle da nau da nossa vida, é Ele quem deve ficar em evidência. É preciso entender que o foco de nossa vida deve ser Ele para que algo realmente tenha sentido. Mas perder o controle da nau não é motivo para ficar sentando jogando cartas. Ele nos chama para pegar o remo nas mãos. Entenda: tem a parte de Deus, e tem a nossa parte. Quando é impossível para nós, Deus move céus e terra para nos ajudar, mas quando está no alcance do nosso braço, Ele não move uma palha. Ele acredita em mim e em você, e se Ele diz que somos capazes, quem somos nós para contrariar? E por fim, somos chamados a navegar com fé em Jesus. Os remadores não tinham visão do mar ou do caminho que estavam seguindo. Só lhes bastava confiar que o comandante estava ciente do que fazia.

Como eu disse, Deus tem o poder de transpassar as barreiras do tempo. Isso quer dizer que Ele é capaz de ver os icebergs detrás da névoa, e ainda em tempo hábil para fazer a embarcação desviar e impedi-la de rachar-se no meio.

Confiar em Deus é entender que Ele está aqui, lá, agora e no futuro. Não tem porque temer o que está por vir, porque Ele já sabe o que vai acontecer. Largar o controle do barco não é um tiro no escuro, mas deixar que a própria Luz conduza a sua vida.

Solta o cabo da nau!

sábado, 23 de julho de 2016

Deus é o meu lugar



A vida é feita de altos e baixos, mas parece que nunca estamos preparados para as quedas. É difícil fazer como Paulo e vangloriar-se nas fraquezas. Como poderíamos encontrar esperança em meio a dor?

De todas as coisas que tenho aprendido nos últimos tempos, esta tem me ajudado a recompor-me. Deus é o meu lugar, aprendi. E não foi no auge de minha caminhada ou numa conquista marcante. Aprendi isso em meio a dor.

Deus é muito sábio no que faz, e tem um propósito em tudo na nossa vida, inclusive nas tempestades. Veja o que Ele disse ao povo de Israel sobre sua longa caminhada no desenho:

E [o Senhor] te humilhou, te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conheceste, nem teus pais o conheceram, para te dar a entender que o homem não viverá só de pão, mas que de tudo o que sai da boca do Senhor viverá o homem. (Deuteronômio 8.3) 
Que Deus é esse que deixa seu povo passar fome? Que Deus é esse que deixa um ente querido nosso morrer? Que Deus é esse que nos deixa passar por tamanha aflição? Se Deus é tão bom, por que Ele deixa tanta coisa ruim acontecer?

Confesso que, durante meu deserto, cheguei a perguntar pra Deus o propósito de tudo aquilo. Percebi que, como o povo de Israel, eu também fui responsável por prolongar meu tempo nesse deserto. A caminhada de alguns dias tornou-se quarenta anos, tudo isso porque murmuraram. Eles não entendiam que Deus era o lugar do povo de Israel.

O Deus que deixou o povo passar fome foi o mesmo que o alimentou com maná. O Deus que deixou uma pessoa querida partir é o mesmo que oferecerá conforto ao nosso coração. O Deus que permite que passemos por aflições é o mesmo que nos diz: "Tem bom ânimo".

Eu olho para trás e vejo as noites mal dormidas, as emoções não contraídas, a vontade de jogar tudo pro alto. Vejo o vento que chegou, a bagunça que formou, as coisas que mudaram de lugar. Observo a menina que eu era tomando chuva, e hoje olho pra mim e digo satisfeita: "Deus é o meu lugar!".

Quando Paulo pediu ao Senhor que tirasse o espinho em sua carne, ele disse:

[...] A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. (2 Coríntios 12.9)

Eu já cheguei diante de Deus em pedaços, e já pedi para que Ele curasse a minha dor. Eu já tentei resolver tudo com as minhas próprias mãos, e eu vi que tudo só piorou. Quando eu resolvi deixar tudo nas mãos de Deus - mas entregar de verdade, e não naquela de ficar em cima do muro -, percebi que Ele é tudo o que eu preciso. É justo na minha fraqueza que Ele se faz forte em mim.

Deus proporciona situações nas quais temos tudo para acertar, mas erramos. E Ele é um Deus tão maravilhoso, benigno e longânimo que usa até mesmo nossos erros para nos ensinar. Ele não é um Deus mau por nos deixar passar fome, pois é Ele quem nos oferece o maná para nos alimentar. Tudo tem um propósito, e eu não sou capaz de explicar tudo o que acontece na sua vida. Na verdade eu ainda não sou capaz nem de entender tudo o que tem acontecido na minha! Mas de uma coisa eu tenho certeza: Deus é o meu lugar. Não importa onde eu esteja, Ele é o meu lugar. Não importa a situação que eu esteja passando, Ele é o meu lugar. Não importa o quão cansado esteja meu coração, Ele é o meu lugar. Mesmo que eu decepcione-O, Ele continua sendo bom. Mesmo que eu erre de novo, Ele continua sendo Deus.

  


Você me leva ao deserto
Ministério Zoe

sábado, 16 de julho de 2016

Barco viking, Sementes e Deus



Um barco viking pode ser um brinquedo divertido, mas quando se é uma pessoa com fobia de altura - como eu -, os minutos que passar lá dentro serão os mais aterrorizantes, e com certeza o tempo passará bem mais lentamente para você do que para seus companheiros de bordo. Sem me lembrar disso, ontem decidi me aventurar pela primeira vez num desses barcos, e confesso que pedi pra sair, literalmente. Esperando do lado de fora duas amigas acabarem a sessão, observei o movimento do brinquedo. "A vida é assim", conclui.

Tem momentos em nossas vidas que parecem que não acabam mais. Às vezes dá um enjoo e temos até medo de abrir os olhos para ver claramente os perigos que a situação oferece. São momentos difíceis que desestabilizam nossa alma e abalam nossa esperança.

É um ente querido que se foi, uma oportunidade incrível que perdeu, uma amizade que já não é a mesma, a crise que bate à porta, planos frustrados, sentimentos confusos, reciprocidade lá na esquina, e uma voz que nos diz: Confie em mim.

Eu sei que parece difícil confiar numa situação dessas. Ah, e como sei! Mas sei também que é a melhor coisa que a gente faz. Aceitar a vontade de Deus sobre as nossas vidas é uma coisa de louco, mas é a melhor loucura que podemos fazer na vida.

Neste domingo fiz uma oração a Deus. Apresentei as situações da minha vida a Ele e disse: Seja feita a Tua vontade. E assim foi. A questão é que nem sempre a vontade de Deus vai ser do jeitinho que a gente quer. É ilusão pensar que confiar em Deus é uma forma segura de concretizar nossos planos. Confiar nele é fazer um embrulho com todos os nossos sonhos e vontades dentro, e entregar pra Ele para que Ele faça o que quiser com nosso presente.

Talvez os caminhos que Ele nos convide a passar não sejam a estrada feliz que imaginamos, e talvez o que Ele nos peça para fazer machuque o nosso ego e nos faça chorar. Mas de uma coisa eu sei: Mesmo que doa agora, lá na frente eu vou ver que valeu a pena.

A vontade de Deus é como uma sementinha que precisa ser plantada com cuidado, debaixo de um sol escaldante e usando ferramentas muito pesadas. Mas, depois de um tempo, as sementinhas crescem e nós olhamos sorridentes para os frutos de nosso penoso trabalho, e então reconhecemos que o Dono das sementes não é mau por nos fazer trabalhar tanto. Aí a gente percebe que Ele só queria ver nossa alegria ao provar o fruto das sementes que Ele nos deu para plantar.

Que mesmo atordoados pelos movimentos bruscos que o barco viking da vida produz, possamos fechar os olhos e nos aconchegar nos braços fortes de Deus. Ele está pronto para nos proteger. E mesmo que nos vejamos cansados diante de uma sega tão árdua, que venhamos acreditar que a vontade de Deus é a melhor. Ele está pronto para nos recompensar.

O segredo é confiar!

sábado, 9 de julho de 2016

Não há mais tempo a perder. Não mais.



Eu até pensei em esperar até amanhã para fazer esse post mas, como diz o próprio título, não há mais tempo a perder. Eu não pensava nisso no início do dia e, sinceramente, gostaria de ter me dado conta há meses atrás.

Pra quem não sabe, faço curso de marcenaria desde fevereiro, e nessa semana a correria foi grande para concluir nosso projeto. Então chega hoje, sexta-feira, dia de fazer oração na quadra. Só então me deparei com a realidade: "Essa é a última de oração aqui no curso para alguns de vocês", disse a educadora de administração.

Como eu não havia percebido antes?

A correria, a pressão, várias pessoas aparecendo para o processo seletivo. Tudo isso era sinal de que metade do meu tempo de curso já havia passado, e o que eu fiz até aqui? Que eu me lembre, eu apenas compliquei coisas que poderiam ser bem mais simples e deixei passar oportunidades incríveis de crescer como pessoa. Então chega julho, última semana letiva do semestre, e sou pega desprevenida com essa declaração no final do período.

Se eu pudesse olhar no fundo dos seus olhos através dessas palavras, eu olharia e diria: "Não há mais tempo a perder. O que é que você tem feito para aproveitar esse tempo que não volta?".

Não se trata dos projetos, dos acidentes, das máquinas ou das apresentações. Se trata de cada momento único que não volta mais, e que tenho que admitir que eu não soube aproveitar.

Não dá mais pra perder nosso precioso tempo com coisas tão banais. Tem decisão que a gente tem que tomar que é difícil mesmo, e tem coisa que pra aproveitar tem que abrir mão de várias outras. Já é hora da gente parar de brincar de viver e começar a viver de verdade. Se máquina do tempo existisse eu faria questão de voltar no início do ano só pra me falar isso, mas como não tem, o que importa mesmo é o que vem daqui pra frente.

Você já pensou em como vai fazer pra aproveitar o tempo que te resta? Por mais que a cada manhã tenhamos uma nova perspectiva, vale lembra que a cada amanhecer é um dia a menos que temos pra viver. Será que vale mesmo a pena jogar nossas horas fora em conversas tolas, diz que me disse e conflitos desnecessários?

Às vezes eu me pergunto se a vida que é curta ou se a nossa falta de vergonha na cara para lutar por uma vida plena que é!

Digo a mim mesmo:
O tempo é o tempo e não volta
Não há mais tempo a perder
Não mais
(Fernanda Brum  - Saindo do Casulo)

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Gratidão



Um Deus que acalmou as minhas tempestades,
me convidou a ninar no banco de trás.
Com santidade que não toca impureza
decidiu amar o pior dos mortais.

Ele viu
além da teimosia e do medo
um coração a ser transformado.
Veio quebrando,
barreira por barreira
e com graça e poder pediu-me meu precioso bem.

Um Deus com poder de me fazer conhecer o mundo
tem poder pra me levar a conhecer corações.
E se, em minha ignorância, eu despedaçá-los,
é misericordioso o bastante para remontar os pedaços.

Ele chegou
e sem eu perceber mudou os móveis de lugar.
Só me dei conta quando me pediu para os pés levantar
para passar o aspirador de pó.

Um Deus que criou todo o universo
senta à beira da minha cama todas as manhãs.
Não me faz sorrir quando a vontade é chorar
mas é insistente ao me pedir para nele confiar.

Ele me tocou
a alma, os ossos, pensamentos, coração
apenas com sua voz como de trovão
que me pedia para tudo entregar.

Um Deus atarefado em fazer o mundo girar
chamou a criança que estava a brincar,
tomou de suas mãos o tesouro de cristal
e colocou em sua prateleira, em segurança.

Ele fez
muito mais do que eu esperava
muito além do que prometeu.
E eu,
incontestavelmente grata
me achegou aos seus pés
e pergunto:
Que queres de mim?


quinta-feira, 7 de julho de 2016

Saindo do Casulo



Tem coisa nessa vida que a gente tem que passar. E nem adianta espernear, pois é para crescimento nosso. E também não dá pra transferir responsabilidade, e nem tomar as dores do outro.

Às vezes a gente tem pressa pra ver as coisas acontecendo ou a situação se resolvendo, e tentamos fazer tudo o que está na responsabilidade de todos para acabar logo com a novela. Mal sabemos nós que a força que uma lagartinha faz para sair do casulo é que torna suas asas fortes.

No impulso, a gente quer livrar quem amamos de situações difíceis, mas isso faz um mal que você nem imagina. Tem coisa que a gente passa sozinho; só segura na mão de Deus e vai. E aos pouquinhos vamos aprendendo, quebrando a cara e tropeçando, a sermos pessoas melhores.

Comprar briga de outra pessoa é roubar a oportunidade que ela tem de crescer. Não estou dizendo que não pode ajudar - até porque um bom conselho e um ombro amigo não fazem mal a ninguém. Só precisamos entender: cada um de nós tem sua própria guerra; somente arregaçando as mangas e lutando é que se tem a chance de ser vencedor.

O meu desafio é meu. O teu desafio é teu. Não há crescimento para nenhum dos dois quando se transfere responsabilidades. Por isso, não roube a chance de ninguém de ter asas fortes que alcem voo. Antes, peça em oração que Deus dê força e determinação para que a lagartinha se liberte do casulo e seja livre para uma nova transformação.

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Teus pés



Quão gloriosas são Tuas obras
E habilidosas Suas mãos
Teu querer e Tua essência
Minha alma deseja conhecer

Mesmo que eu não veja Tua face
Que pode consumir meus ossos impuros
Peço um lugar entre os Teus braços
Que me cobrem de segurança e amor

Mesmo que minha alma não sinta o Teu abraço
Que transforma o meu orgulho em pó
Peço que receba minhas palavras
Que fluem em contínua adoração

Mesmo que minha boca se cale de dor
Te peço ao menos para estar aos Teus pés
Onde o mal teme se aproximar
E minha alma reconhece que só Tu és

Se não conseguir estar junto a Ti
Nem que seja para lavar-lhe os pés
Não há porque buscar esperança
Pois só Tu torna medo em calmaria

terça-feira, 5 de julho de 2016

[Resenha]: Acima de nós




Depois de muito tempo planejando, finalmente teremos uma seção de resenhas aqui no blog! E para começar, trago para vocês nada mais, nada menos que um livro muito especial: Acima de nós, da Tais Cortez. Pensa num livro amor à primeira vista, pois é.

Sinopse
Laura e Rafael não poderiam ser mais diferentes. Ele nasceu em uma das famílias mais ricas da cidade de Catalina, e sempre teve tudo o que quis. Já ela é de origem humilde, e seu grande sonho é conseguir uma vida melhor. Mais do que isso, a visão que ambos têm de Deus é oposta: Laura o vê como um Deus de amor, enquanto Rafael não entende como Ele pode permitir que tantas coisas ruins aconteçam, incluindo uma tragédia que o assombra. Quando o comportamento de Rafael começa a preocupar seus pais, ele é forçado a encontrar um emprego. A partir daí, esses jovens se encontram e a vida deles nunca mais será a mesma.

Informações
Autora: Tais Cortez  •  Editora Ágape  •  303 páginas  •  1º edição


O livro não trata a história dos jovens como um conto de fada, nem os planos de Deus como um caminho de rosas - como muitas vezes esperamos que ele seja. Tanto o título da obra quanto o seu enredo giram em torno do texto de Isaías 55.9, que diz que os pensamentos de Deus estão acima de nós.

A história conta com momentos de arrancar o fôlego e de fazer as lágrimas rolarem - seja pela emoção ou pela forma com a qual o Espírito Consolador tem a liberdade de falar à nossa alma -, e faz com que entendamos um pouco melhor o que Deus quis dizer com "bem sei os pensamentos que penso de vós [...]; pensamentos de paz e não de mal" (Jeremias 29.11). A trama é envolvente, os elementos da história se entrelaçam naturalmente e os personagens têm vida própria, de um jeito que, durante a leitura, até se esquece que há uma autora por trás de cada um deles.

A fé de Laura - uma das protagonistas - é inspiradora, e a forma como fala de Deus quebra muitos paradigmas que temos impregnados em nossas mentes. Suas palavras transmitem sabedoria e a sua conduta desperta a curiosidade em quem lê, como no momento em que ela coloca seus princípios acima de seus desejos mais intensos.

A soberania de Deus fica mais do que clara durante o enredo, e o leitor é sutilmente convidado a abrir as portas e o coração para a aventura que Cristo nos chama a viver ao lado dEle. Conta com algumas passagens bíblicas e cenas de culto, e não deixa de mostrar a realidade não perfeita da vida de um cristão

O romance entre os jovens não deixa nada a desejar. É marcado por entrega e intensidade. Em certa parte, Rafael descreve o amor que sente por Laura como algo além de amizade misturada com paixão. Nem o fato de que são de mundos diferentes os impedem de lutar por esse amor.

Ao ter em minhas mãos um romance cristão, sinceramente, esperava que seria um enredo repleto de clichês e uma boa dose de textos bíblicos. Me enganei, e até fiquei feliz por isso. O enredo conta com fatos inesperados e de grande importância para o rumo de toda a história, que fazem com que o plano simples de romance perfeito se torne bem mais complicado.



Ao final do livro, ainda contamos com uma playlist (que eu ainda não ouvi, mas fico devendo essa) e uma seção "Nota do Autor", onde Tais compartilha com os leitores um pedacinho de seu testemunho.

Se fosse para dar uma classificação: SUPER RECOMENDO! Além de ser uma obra incrível, a autora ainda é um amorzinho. E se eu fosse você já ia correndo comprar, ler quanto antes e ainda compartilhar com os amiguinhos.

-------

É isso, galera!
Essa foi a primeira resenha aqui do blog, e qualquer sugestão para as próximas é bem-vinda.
Fiquem com Deus, e até a próxima!



segunda-feira, 4 de julho de 2016

Montanha russa, Videogame e Deus



Que a vida é uma montanha russa eu sempre soube. O que eu não sabia era a quantidade de loops que ela tem. Enjoo, ansiedade e preocupação fazem parte do pacote, mas o cinto de segurança é opção.

Recentemente aprendi que há uma maneira segura de viver. Essa maneira é tão simples quanto respirar: Confiar e descansar em Deus. Apesar de seguro, dá um frio na barriga que nem te conto. A questão é que Deus quer o controle da minha vida, mas eu não quero mudar de canal.

Eu ainda tenho tanto a aprender com Ele, de tão fraca e falha que sou. Mas fico tão contente ao lembrar que Ele me encontrou, me escolheu, e além de tudo me comprou com seu sangue sem mácula. Além disso, Ele nunca desistiu de mim. Nem mesmo quando minhas ideias brilhantes se tornaram um fiasco total.

O maior desafio de todos é lembrar de tudo isso e de todo bem que ele Ele me fez (que nem cabe no papel), e entregar o Controle 1 nas mãos dEle, mesmo que Ele decida desconectar o Controle 2 e abolir o "morreu, passa; passou, passa 1". Que eu possa, todo dia, descansar no banquinho da montanha russa, segura de que Ele é o meu cinto de segurança.

-------
Notas
1 - Expressão usada nas maratonas de jogos em família, que significava basicamente: Morreu no jogo, passa para o próximo da fila; passou de fase, passa para o próximo da fila".

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Esperança na aflição


Quem acompanha a página no facebook já deve ter percebido que estou simplesmente vidrada no assunto devocional - logo mais falaremos mais profundamente sobre isso. E eu quero compartilhar com vocês a mensagem do meu devocional de hoje. Espero que o Espírito Santo fale aos vossos coraçõezinhos assim como falou ao meu.
***

Até quando te esquecerás de mim, Senhor? Para sempre? Até quando esconderás de mim o teu rosto? Até quando consultarei com a minha alma, tendo tristeza no meu coração cada dia? Até quando se exaltará sobre mim o meu inimigo? Atenta em mim, ouve-me, ó Senhor, meu Deus; alumia os meus olhos para que eu não adormeça na morte; para que o meu inimigo não diga: Prevaleci contra ele; e os meus adversários se não alegrem, vindo eu a vacilar. Mas eu confio na tua benignidade; na tua salvação, meu coração se alegrará. Cantarei ao Senhor, porquanto me tem feito muito bem. (Salmo 13.1-6)

Quando fui começar o meu momento devocional escolhi propositalmente esse texto, pois eu estava sentindo a aflição na mesma proporção que o salmista descreve. Eu olhei para a minha situação e para os últimos acontecimentos sem saber direito o que fazer. Eu tinha certeza absoluta de que Deus estava perto, observando minhas ações, e se importando com o amor que só Ele para ter por mim, mas ainda sim eu estava inquieta. Parecia que mesmo perto Ele estava distante; que mesmo ouvindo às minhas orações não parece me tirar do vale que me atormenta.

Há situações na nossa vida que nos roubam a paz, e chega um tempo que olhamos para o céu e dizemos: "Deus, até quando?". Nossa alma se entristece, pois nos encontramos num beco sem saída, então vamos deixando o desespero entrar. As dificuldades vão desgastando nossas forças e a nossa fé fica por um tris. Sabe que, sobre fé, li o trechinho que um livro que me chamou muito a atenção e quero compartilhar com vocês.

Laura nunca se identificou muito com a história [de Jó], mas, desde o diagnóstico do doutor Santiago, ela se sentia como Jó. Meses atrás estava completa, mais feliz do que nunca. [...] Em um curto espaço de tempo perdera tudo: o amor, a saúde e a tranquilidade. Restou-lhe a fé 1.

Quantas vezes nos encontramos na mesma situação. Não necessariamente nos identificando com as mesmas perdas, mas certamente com a mesma aflição. Perdemos tudo, só nos resta a fé. Mas fé em quê? Nas palavras de Jó, fé de que o nosso Redentor vive (Jó 19.25). E se Ele vive, não há o que temer, pois Ele cuida de nós.

Ao começar a ler o salmo, me identifiquei e por vezes até disse dentro de mim: "É isso, Deus. Só isso". Mas então me deparo com os dois últimos versículos, que foram um grande choque para toda a minha desolação:

Mas eu confio na tua benignidade; na tua salvação, meu coração se alegrará. Cantarei ao Senhor, porquanto me tem feito muito bem. (Salmo 13.5-6)

Todo meu desânimo parecia vão diante de tais palavras. O meu lamento precisou se esconder diante de tal declaração. "Como pode?", eu pensei. Davi acabara de dizer que estava angustiado e de repente expressa tamanha esperança.

***

Mas confio na tua benignidade. Apesar do sofrimento, o salmista tinha certeza de que a benignidade e o amor do Senhor continuavam intactos, e que qualquer coisa que Ele fizesse, seria a melhor coisa a ser feita.

Na tua salvação, meu coração se alegrará. Mesmo sem nenhum motivo aparente, nós nos alegraremos no Senhor pela salvação que nEle há. Podemos considerar tanto o sacrifício de Cristo quanto a salvação diária que o Senhor nos concede. Quantas vezes Ele já não nos salvou de nossas próprias forças?

Cantarei ao Senhor, porquanto me tem feito muito bem. Independentemente do que nos aconteça, quando nos entregamos ao Senhor, Ele sempre nos fará muito bem. Eu não sei exatamente o que é "bem" no conceito divino, mas tenho certeza que é o melhor mesmo quando caminho por estradas assombrosas.

***

Está doendo? Sim, está doendo. Se já estou cansada de passar pela mesma situação? Sim, e como estou. Mas apesar de todo sofrimento, cantarei ao Senhor, porque Ele me tem feito muito bem. E mesmo que pareça que o Seu agir esteja distante no momento, me lembrarei de todo bem que o Senhor já me fez - e olha, não é coisa pouca.

Eu sei que você está aflito e talvez você esteja até se questionando se Deus vai fazer alguma coisa a respeito de sua vida ou não. Mas eu quero te convidar a deleitar-se no Senhor, e agradecer por tudo o que Ele já fez por você até hoje. Hoje Deus parece distante, mas é extremamente reconfortante relembrar dos momentos em que Ele esteve pertinho e falante ao nosso lado. Hoje Ele está em silêncio, mas a nossa esperança se revigorará ao lembrar das palavras que Ele nos disse outrora.

Nessa aflição, não deixe o desânimo ganhar de você. E eu quero te desafiar a algo. Topa?

Eu te desafio a fazer uma lista com todas as coisas boas que o Senhor já te fez e agradecer em oração por cada uma delas. Depois, peça para que Ele faça a vontade dEle na sua vida, e que te ensine a aceitá-la mesmo sem compreender.

Venha a nós o Teu Reino. Seja feita a Tua vontade.



Toda Lágrima
PG


-----------
Notas
Trecho do livro "Acima de nós" de Tais Cortez.