sexta-feira, 1 de julho de 2016

Esperança na aflição


Quem acompanha a página no facebook já deve ter percebido que estou simplesmente vidrada no assunto devocional - logo mais falaremos mais profundamente sobre isso. E eu quero compartilhar com vocês a mensagem do meu devocional de hoje. Espero que o Espírito Santo fale aos vossos coraçõezinhos assim como falou ao meu.
***

Até quando te esquecerás de mim, Senhor? Para sempre? Até quando esconderás de mim o teu rosto? Até quando consultarei com a minha alma, tendo tristeza no meu coração cada dia? Até quando se exaltará sobre mim o meu inimigo? Atenta em mim, ouve-me, ó Senhor, meu Deus; alumia os meus olhos para que eu não adormeça na morte; para que o meu inimigo não diga: Prevaleci contra ele; e os meus adversários se não alegrem, vindo eu a vacilar. Mas eu confio na tua benignidade; na tua salvação, meu coração se alegrará. Cantarei ao Senhor, porquanto me tem feito muito bem. (Salmo 13.1-6)

Quando fui começar o meu momento devocional escolhi propositalmente esse texto, pois eu estava sentindo a aflição na mesma proporção que o salmista descreve. Eu olhei para a minha situação e para os últimos acontecimentos sem saber direito o que fazer. Eu tinha certeza absoluta de que Deus estava perto, observando minhas ações, e se importando com o amor que só Ele para ter por mim, mas ainda sim eu estava inquieta. Parecia que mesmo perto Ele estava distante; que mesmo ouvindo às minhas orações não parece me tirar do vale que me atormenta.

Há situações na nossa vida que nos roubam a paz, e chega um tempo que olhamos para o céu e dizemos: "Deus, até quando?". Nossa alma se entristece, pois nos encontramos num beco sem saída, então vamos deixando o desespero entrar. As dificuldades vão desgastando nossas forças e a nossa fé fica por um tris. Sabe que, sobre fé, li o trechinho que um livro que me chamou muito a atenção e quero compartilhar com vocês.

Laura nunca se identificou muito com a história [de Jó], mas, desde o diagnóstico do doutor Santiago, ela se sentia como Jó. Meses atrás estava completa, mais feliz do que nunca. [...] Em um curto espaço de tempo perdera tudo: o amor, a saúde e a tranquilidade. Restou-lhe a fé 1.

Quantas vezes nos encontramos na mesma situação. Não necessariamente nos identificando com as mesmas perdas, mas certamente com a mesma aflição. Perdemos tudo, só nos resta a fé. Mas fé em quê? Nas palavras de Jó, fé de que o nosso Redentor vive (Jó 19.25). E se Ele vive, não há o que temer, pois Ele cuida de nós.

Ao começar a ler o salmo, me identifiquei e por vezes até disse dentro de mim: "É isso, Deus. Só isso". Mas então me deparo com os dois últimos versículos, que foram um grande choque para toda a minha desolação:

Mas eu confio na tua benignidade; na tua salvação, meu coração se alegrará. Cantarei ao Senhor, porquanto me tem feito muito bem. (Salmo 13.5-6)

Todo meu desânimo parecia vão diante de tais palavras. O meu lamento precisou se esconder diante de tal declaração. "Como pode?", eu pensei. Davi acabara de dizer que estava angustiado e de repente expressa tamanha esperança.

***

Mas confio na tua benignidade. Apesar do sofrimento, o salmista tinha certeza de que a benignidade e o amor do Senhor continuavam intactos, e que qualquer coisa que Ele fizesse, seria a melhor coisa a ser feita.

Na tua salvação, meu coração se alegrará. Mesmo sem nenhum motivo aparente, nós nos alegraremos no Senhor pela salvação que nEle há. Podemos considerar tanto o sacrifício de Cristo quanto a salvação diária que o Senhor nos concede. Quantas vezes Ele já não nos salvou de nossas próprias forças?

Cantarei ao Senhor, porquanto me tem feito muito bem. Independentemente do que nos aconteça, quando nos entregamos ao Senhor, Ele sempre nos fará muito bem. Eu não sei exatamente o que é "bem" no conceito divino, mas tenho certeza que é o melhor mesmo quando caminho por estradas assombrosas.

***

Está doendo? Sim, está doendo. Se já estou cansada de passar pela mesma situação? Sim, e como estou. Mas apesar de todo sofrimento, cantarei ao Senhor, porque Ele me tem feito muito bem. E mesmo que pareça que o Seu agir esteja distante no momento, me lembrarei de todo bem que o Senhor já me fez - e olha, não é coisa pouca.

Eu sei que você está aflito e talvez você esteja até se questionando se Deus vai fazer alguma coisa a respeito de sua vida ou não. Mas eu quero te convidar a deleitar-se no Senhor, e agradecer por tudo o que Ele já fez por você até hoje. Hoje Deus parece distante, mas é extremamente reconfortante relembrar dos momentos em que Ele esteve pertinho e falante ao nosso lado. Hoje Ele está em silêncio, mas a nossa esperança se revigorará ao lembrar das palavras que Ele nos disse outrora.

Nessa aflição, não deixe o desânimo ganhar de você. E eu quero te desafiar a algo. Topa?

Eu te desafio a fazer uma lista com todas as coisas boas que o Senhor já te fez e agradecer em oração por cada uma delas. Depois, peça para que Ele faça a vontade dEle na sua vida, e que te ensine a aceitá-la mesmo sem compreender.

Venha a nós o Teu Reino. Seja feita a Tua vontade.



Toda Lágrima
PG


-----------
Notas
Trecho do livro "Acima de nós" de Tais Cortez.

Nenhum comentário:

Postar um comentário