quarta-feira, 6 de julho de 2016

Teus pés



Quão gloriosas são Tuas obras
E habilidosas Suas mãos
Teu querer e Tua essência
Minha alma deseja conhecer

Mesmo que eu não veja Tua face
Que pode consumir meus ossos impuros
Peço um lugar entre os Teus braços
Que me cobrem de segurança e amor

Mesmo que minha alma não sinta o Teu abraço
Que transforma o meu orgulho em pó
Peço que receba minhas palavras
Que fluem em contínua adoração

Mesmo que minha boca se cale de dor
Te peço ao menos para estar aos Teus pés
Onde o mal teme se aproximar
E minha alma reconhece que só Tu és

Se não conseguir estar junto a Ti
Nem que seja para lavar-lhe os pés
Não há porque buscar esperança
Pois só Tu torna medo em calmaria

Nenhum comentário:

Postar um comentário