quarta-feira, 5 de outubro de 2016

O que eu aprendi sobre evangelismo



"Disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura"
- Marcos 16.15

Talvez esse seja um dos versículos mais típicos no meio cristão. Depois de ser morto e ressurreto, Cristo apareceu aos seus discípulos e apresentou essas palavras, a famosa "comissão", o conhecido Evangelismo, a inegável ordem: Ide!

Devo confessar que, por muito tempo, entendi e pratiquei essa palavra totalmente errado! E quero compartilhar com vocês o que eu aprendi sobre evangelismo.

Primeiro de tudo, Cristo nos disse "pregai o evangelho" e não "convençam-os a me amarem" e nem "ameacem-os dizendo que vou mandá-los para o inferno". A ordem nos dada foi pregar o evangelho, sem um ponto a mais nem a menos. 

E nessas idas e vindas de pregar o evangelho, sempre me metia num beco sem saída. Na minha cabecinha, eu tinha que convencer as pessoinhas em questão a se converter a Cristo, e adivinha a forma que eu fazia isso? Isso mesmo! Falácias!

A verdade é que perdi muito tempo da minha vida bolando teorias mirabolantes sobre Cristo para tentar chamar a atenção do pessoal, já tentei colocar na balança uma proposta tentadora para oferecer aos "pobres coitados sem Jesus no coração". Mas então chego a um ponto que você já teve ter ouvido: Deus não precisa de uma mãozinha sua!

Nossa missão é pregar. Convencer não compete a nós, mas ao Espírito Santo. Eu aprendi que eu não preciso maquiar o evangelho para torná-lo mais atraente, e nem usar propostas fajutas de barganha com Deus para trazer mais pessoas para Cristo. Mais uma vez repito: Ele não precisa disso!

Veja bem, Deus é Deus. Deus que muda corações, Deus que convence, Deus que endureceu o coração de Faraó e que pode esmiuçar um coração de pedra apenas com Sua Palavra. Ele já é o bastante. Ele não precisa de conversa fiada e uma lábia de vendedor para que seja aceito.

E por último, eu aprendi que não adianta falar. Não é enfiando Bíblia goela abaixo que vamos conseguir atrair pessoas ao evangelho. Se tem algo que aprendi é que nós somos Bíblias ambulantes, a Bíblia que o mundo lê. Aprendi também que o nosso testemunho grita.

Não precisamos dizer que Jesus é bom; precisamos viver a bondade de Cristo. Não precisamos dizer que Ele transforma situações; precisamos viver como pessoas transformadas. Não precisamos dizer que Ele ama as pessoas; nós devemos amar!

Como cristãos, devemos ser pequenos Cristos. Devemos amar como Ele amou, agir como Ele agiu, renunciar como Ele renunciou, e viver por Ele e para Ele, pois Ele morreu por nós. Nós devemos ser cópias de Jesus, para que quando as pessoas olharem para nós, enxerguem esperança, e queiram saber como ser como nós - Mas na verdade querem saber como ser como Cristo!

O testemunho vale muito mais que palavras vazias. O evangelismo mais eficaz está naquela conversa franca sobre a vida, naquele bom dia pro vizinho, naquele abraço em que a pessoa pode mergulhar, nas palavras ditas em tempo de aflição, no sorriso no rosto mesmo quando o peito sangra, em enfiar a dor no bolso para cuidar da ferida alheia.

Evangelizar vai muito além de entregar panfletos e dizer: "Procure a igreja evangélica mais próxima". Nada contra os panfletos, de verdade, falo isso também. O que quero dizer é que é muito mais profundo do que um evento da igreja em que pessoas se reúnem para falar de Deus. Evangelismo é diário, mesmo sem querer ou perceber. Evangelizar é simplesmente viver! Viver a vida plena e transformada que Cristo nos dá.

A melhor forma de evangelizar é buscar ser como Cristo. Daí, quando as pessoas olharem para nós, olharão para um reflexo (um pouco tortinho) de Cristo, e se gostarem de nós, não será nós quem eles gostarão. Eles gostarão de Cristo!

Falar de Jesus é bem mais com atitudes do que com palavras. Ser como Cristo é o melhor evangelismo, a melhor forma de pregar o evangelho a toda criatura. Não se deixe enganar acreditando que mais vale um discurso eloquente e cansativo do que um ombro amigo quando não há mais ninguém.

Jesus em momento algum disse: "Ei, olhem! Eu sou o Messias! Eu vim salvar vocês!". Ele simplesmente amou. Ele foi contra a religiosidade e aquele monte de regras e colocou o amor acima de tudo. Ele curou no sábado, por amor ao enfermo. Ele perdoou pecados, por amor aos pecadores. Ele não se vingou quando foi negado, por amor a Pedro. Ele morreu, por amor a nós.

E o que faremos? Vamos mesmo colocar nossas máscaras de santidade, bater no peito dizendo que somos perfeitos e gritando em alto e bom som: "Venham para Cristo que seus problemas sumirão!"? O evangelho é tão simples, não precisa ser complicado. É só ter o seu maior amor em Cristo, deixá-lo te transformar todo dia e, depois disso, simplesmente viver, sem se preocupar.




Vou viver
Rafael Araújo

Nenhum comentário:

Postar um comentário