quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Insegurança: A posição mais segura do universo



Acreditou ter o singular dom sobre o campo. A terra secou.
Acreditou ter controle sobre o volante. O carro desgovernou.
Acreditou ter os melhores planos. Tudo falhou.
Acreditou que não podia mais nada. Agora entendeu!
Recomeçou.

Se tivéssemos plena dimensão do poder de Deus e de Sua soberania sobre o universo, com certeza gastaríamos menos tempo confiando tanto nos esforços de nossas mãos. "Se eu não fizer a coisa não anda", "Comigo fazendo não tem como dar errado", "Vem na minha que você vai se dar bem" são alguma frases que, quando não escapolem por nossos lábios, vagueiam por nossas mentes.

Por um momento (ou série de fatos) nos esquecemos de quem somos. Somos pó, somos fracos, temos a raiz do pecado dentro de nós. Por mais que nos esforcemos para provar o contrário, somos incoerentes, frágeis e totalmente dependentes. Por que gastar tanto tempo tentando provar ao Deus que nos criou que nós podemos fazer as coisas sozinhos?

Quando se sentiu pronto, faltava tanto. Foi duro de encarar!
E quando se sentiu santo, um tapa bem na face te colocou no seu lugar
[...]
Quando se sentiu certo, tudo deu errado. Não pôde consertar
No dia em que se deu conta, percebeu que Deus te deu a chance de recomeçar
(Errando e Aprendendo - Banda Resgate)

Quanto tempo precisaremos plantar sementes que não vingam para perceber que é Deus quem envia a chuva e o sol? Por quanto tempo confiaremos em nossos planos que acabam em falência para reconhecer que nEle está o querer e o efetuar? Em quantos abismos teremos que cair para entender que o caminho de Deus é perfeito?

Seguros. É isso que queremos ser. Será que não percebemos que o mundo é inconstante demais para pensarmos numa loucura dessas?

Às vezes Deus permitirá que nossas vidas pareçam escombros pós-guerra. Às vezes Deus não enviará chuva nem sol, nem se responsabilizará pelo crescimento. De vez em quando Deus deixará parte de nossa vida sob nosso controle, para que percebamos que nós nunca tivemos o controle de nada.

Às vezes perguntaremos a Deus o porquê de uma série de desventuras estarem acontecendo conosco. Será que vamos perceber que tudo foi arquitetado para que esse momento chegasse? Para que olhássemos para os montes e reconhecêssemos que só de Deus vem nosso socorro.

Inseguros. É isso o que somos. Será que perceberemos que não há posição mais segura do que esta?

Quando descartamos os esforços vãos de colocar em vigor nossas forças, há espaço em nós para que o poder de Cristo habite. Somos fracos, mas Ele é forte. Que todos os dias de nossa vida venhamos usar as palavras de Eduardo Mano: "Tu és Deus, e eu não sou", e nos alegrar com isso.

"E disse-me: A minha graça te basta,
porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza.
De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas,
para que em mim habite o poder de Cristo.
Pelo que sinto prazer nas fraquezas,
nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições,
nas angústias, por amor de Cristo.
Porque, quando estou fraco,
então, sou forte."
(2 Coríntios 12.9-10)

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Não é sobre mim



Porque dele, e por ele,
e para ele são todas as coisas;
glórias, pois, a ele eternamente.
Amém!
(Romanos 11.26)

A vida é cheia de impasses. Ora montanha-russa, ora beco sem saída. Então encontramos um Deus onipotente, que pode, num piscar de olhos, acabar com todos os nossos problemas. Ele tem voz forte o suficiente para ordenar que as tempestades de nossa vida se acalmem, e fazer com que elas obedeçam. Se eu vivo com um Deus tão poderoso, então por que eu tenho que passar por tantos problemas? Adivinhe só: Isso não é sobre mim!

Se a história da humanidade fosse um filme de duas horas, a minha vida, com conflitos e tudo, não ocuparia dois segundos. Porém, qualquer um dos espectadores perceberia Cristo. Fosse no tema principal, na sinopse que vem na capa do DVD, ou nos Easter Eggs*. Cristo está em toda parte!

Como posso ser tão egoísta a ponto de achar que tudo isso se trata de mim, e exigir de Deus uma solução milagrosa para todos os meus problemas? O Evangelho não é sobre agradar a Deus em troca de favores. Se formos pensar em moeda de troca, nem toda a fé e obras que passem por nossas mãos e mentes serão capazes de pagar o sacrifício que Cristo foi por nós naquele madeiro.

Isso não é sobre mim. Eu não posso gastar meus dias promovendo a imagem de uma vida que é como neblina. O meu viver e esforço serão em vão se eu minhas palavras e principalmente atitudes não apontarem Àquele que é Eterno.

Daqui um tempo não estarei sobre a face dessa terra. Será inútil gastar o tempo da minha vida choramingando no cantinho, questionando a Deus sobre o porquê de Ele não me ajudar a solucionar todos os meus problemas. Em um pregação no Culto de Louvor na minha igreja, houve uma frase que me marcou muito: Administrando conflitos a fim de não perder a salvação. Entende a profundidade das palavras? Não é "Deixando Deus resolver os conflitos", nem "Desviando dos conflitos". Conflitos haverão, e sempre, mas mais uma vez digo: Isso não é sobre mim!

Tudo isso é sobre Ele! Esse blog é sobre Ele! Minha vida é sobre Ele! A história da humanidade é sobre Ele! A natureza é sobre Ele (Rm 1.20)! É enganar a mim mesma colocar na minha cabeça que Deus é um garçom que dirá Yes, my lady após cada pedido escalafobético que eu fizer.

Nada disso é sobre mim. E, entenda, nem sobre você. Deus não é obrigado a nada. Ele já fez muito em nos comprar com seu sangue naquela cruz! Nós não podemos ser egoístas enquanto nos escondemos detrás do escudo de "discípulos de Cristo", e gritamos em alto e bom som que comeremos o melhor dessa terra (nos referindo erroneamente aos fast foods a vidas ociosas).

Entenda: Nada disso é sobre nós! É tudo sobre Ele!


A sua comida era a vontade do seu Pai
E o que fugia disso ele deixava para trás
A minha paz custou o seu castigo
Por meu pecado foi moído
Cordeiro de Deus
Seu nome é Jesus


Sobre Ele
Amanda Rodrigues

-----
Notas
* Easter Egg significa "ovo de páscoa" em inglês, mas também se refere a segredos escondidos em filmes, programas ou jogos de video game.

sábado, 7 de janeiro de 2017

Apaixone-se por Cristo!


"O seu falar é muitíssimo suave;
sim, ele é totalmente desejável.
Tal é o meu amado,
e tal é o meu amigo,
ó filhas de Jerusalém."
(Cantares 5.16)

Certa feita estava conversando com alguém sobre a saga maior que Em Busca do Vale Encantado: Em busca do crush encantado! Nas indas e vindas e nas trocas de ideias, essa pessoa me surpreendeu com uma declaração: Pra superar tudo isso, Jesus deve ser a sua primeira paixão! ~não com essas palavras, mas certamente com o mesmo significado.

Me peguei pensando sobre isso por esses dias. Tantos pregadores e estudiosos de música cristã condenam veementemente o fato de cristãos levantarem suas mãos na congregação para dizer que estão apaixonados por Cristo, ou que Cristo era apaixonado por sua missão.

O que eu tenho percebido, é que grande parte dos cristãos é apaixonada por Cristo - e não há mal nisso! O divisor de águas não é estar apaixonado por Ele ou não estar. Mas sim com que tipo de paixão estamos apaixonados.

Veja bem, existem dois tipos de paixão. Uma delas vamos chamar de paixão repentina e a outra chamaremos de paixão construída. Vamos pensar um pouquinho sobre cada uma delas para entendermos se é bom ou não é a forma como estamos nos relacionando com Cristo.

A paixão repentina é o que costumamos sentir pelo crush encantado. Nós mal conhecemos a pessoa, mas ela se comunica tão bem, trata tão bem os que estão à sua volta, é usada por Deus, excelente e comprometida em tudo que faz. Ao final de inúmeras análises, tudo o que podemos concluir é: Uau! Como não se apaixonar?

Quando o sentimento que temos em relação a Cristo é a paixão repentina, podemos dizer que Jesus é o nosso crush, e isso é totalmente prejudicial para nosso relacionamento com Ele. Muitas pessoas que sofrem com a paixão repentina se sentem tão extasiadas ao ouvir o nome do crush que mal consegue mandar uma mensagem pelo whatsapp! É esse o tipo de relacionamento que queremos ter com Cristo?

Cristo, o galã, o atleta, o Cara! Todas as garotas murmurando pelos corredores do colégio como ele é maravilhoso. Nenhuma tem coragem de dar um oi no refeitório. Que comportamento infantil, não é? Como podemos nos iludir acreditando que Cristo cobra de nós toda essa euforia que nos rouba o controle e nos trava diante de sua presença, se ele nos chama à maturidade?

A paixão construída é o completo contrário! Não é se deleitar nas qualidades de uma pessoa sem que a pessoa saiba que você exista (não literalmente pois, como sabemos, ele é onisciente). A paixão construída é aquela que se faz ao conviver de forma íntima com uma pessoa. Trocar ideias, olhares, fraquezas, sonhos, quês e porquês. É a paixão descrita tão poeticamente no livro de Cantares.

A paixão que se desenrola entre quatro paredes. Na porta tem uma plaquinha escrito: O que acontece em Vegas, fica em Vegas. É o segredo, o abrir a alma, o chorar de angústia, é a parceria para realizar grandes sonhos. Percebe como essa aqui soa muito mais madura - e segura?

A paixão construída é no levantar cedo para preparar o café da manhã, no ver as roupas jogadas pela sala e dar valor maior à pessoa do que à ordem (mesmo que esta também seja muito importante), no acordar e ter o vislumbre dos fios bagunçados e cara amassada da pessoa amada, no escutar o não, chorar, mas não desistir de sentar à mesa à noite para contar o que se passou durante o dia.

Apaixone-se por Cristo! Mas que não seja aquela paixão histérica, típica garotinhas do colegial vendo o veterano andar com classe pelos corredores dos calouros. Que seja aquela paixão profunda, segura, que se pode dizer: Eu te pertenço e você me pertence. Que nós não venhamos falar sobre Cristo com as informações resultantes de incessantes investigações pelo facebook dos amiguinhos cristãos. Que venhamos falar de um Deus bom, porque Ele tem sido bom para nós.

Apaixone-se, mas não loucamente. Cristo não quer vários loucos pulando de um precipício como prova de amor. Ele nós convoca, através de Sua Palavra, a apresentarmos o nosso culto racional (Rm 12.1). Apaixone-se, mas não pelo Jesus crush. Apaixone-se pelo Noivo, aquele que vem nos buscar.

Que não venhamos gastar nosso tempo colecionando fotos e prints dos melhores ângulos de Cristo, mas nos ataviando para caminharmos, vitoriosos e radiantes, até o altar celestial!

domingo, 1 de janeiro de 2017

Resoluções e metas para 2017 + Música tema



ADEUS ANO VEEEELHOOOO
FELIZ ANO NOOOVOOOOOO

E aí galera! Como é que vocês estão?

Como prometido, hoje eu venho compartilhar com vocês as minhas....

RESOLUÇÕES PRA DOIS MIL E DEZESSETEEEEEEEEE!
UHUUUUUU! \O/



A minha primeira resolução para 2017 é ser sacrifício a Deus. Que cada dia meu seja dedicado a Ele, e que eu seja a própria oferta que oferecerei a Ele. Cristo mesmo disse para negar a nós mesmos (Lc 9.23), e Paulo diz que já estamos crucificados com Cristo (Gl 2.20). Que nesse 2017 a palavra "abnegação" faça parte do meu vocabulário mais do que a minha carne deseja.


O versículo seguinte ao que escolhi para a minha primeira resolução complementa o convite para sermos sacrifícios vivos, dizendo que com isso conheceremos a boa, agradável e perfeita vontade de Deus. Eis a minha segunda resolução: Ser guiada por Deus, segundo a Sua vontade. Fazer coisas que por mim mesma eu não faria, deixar de fazer coisas que eu não me vejo sem, correr atrás de objetivos que não são meus, mas dEle, não para o bem da minha reputação e do meu ego, mas para o crescimento do Reino!



E, para me ajudar a lembrar dessas resoluções, compus uma música que será o tema do meu 2017.






Você pode baixar por aqui:






Segue as referências bíblicas da musiquinha:

Lucas 9.23: E dizia: Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me.
Mateus 11.30: Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve.
Mateus 11.28: Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei.
Romanos 12.1: Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. 
Filipenses 3.13b-14: Esquecendo-me das coisas que atrás ficam e avançando para as que estão diante de mim, prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.



Pra esse ano, eu tenho apenas duas metas:
  1. Deixar o cabelo crescer para fazer cosplay de Merida
  2. Doar cabelo! \o/
A primeira está atrelada à segunda, porque o meu cabelo ainda é curto para doar. Se der certo, final do ano sai as fotos!



É isso galera!
Essas são as minhas metas e resoluções para 2017
E as suas, quais são?