quarta-feira, 19 de abril de 2017

Aprendendo com José - Parte 2


E José apressou-se, porque o seu íntimo moveu-se para o seu irmão; e procurou onde chorar, e entrou na câmara, e chorou ali. Depois, lavou o rosto e saiu; e conteve-se e disse: Ponde pão. (Gênesis 43.30-31)

O trecho acima acontece quando os irmãos de José vão até ele com o irmão caçula, Benjamim, seu único irmão de mesma mãe, que não via há aproximadamente treze anos. Com ele podemos aprender o que fazer quando nosso coração é posto à prova com emoções intensas.

  • Vá até o seu quarto e chore ali
Jesus nos ensina a orar em oculto, pois nosso Pai que vê em oculto nos recompensará (Mateus 6.6). Chorar publicamente nos expõe a um grave perigo: A autocomiseração. "Ninguém me ama! Ninguém me quer! Meus problemas são maiores do que eu posso carregar! Ninguém sofre como eu!" são apenas algumas das frases que saem de nossas bocas quando dominados por esse sentimento.

No quarto, no secreto, além de não termos ninguém para nos dar tapinha nas costas, nem nos preocuparmos em receber atenção, ainda somos confrontados pelo próprio Deus que nos encontra no secreto. "Seja forte! Não tenha medo! Vá lá fora para que eu mostre a todos que Eu Sou Deus!". Ele não condenará o nosso choro, mas nos dará a resposta que precisamos, ou o silêncio, ou a paz, ou a força.

  • Lave o rosto antes de sair
Nada de sair na rua com olho inchado e nariz vermelho, senão chorar em secreto se tornaria totalmente vão. Nossos sentimentos intensos não cabem à multidão. O que acontece no quarto, fica no quarto. A intimidade não serve para ser revelada. Não podemos fazer as coisas com a intenção de sermos notados.

José poderia voltar com o semblante mudado e ninguém ousaria contestar, afinal ele tinha poder para mandar que todos eles fossem mortos. Mas ele entendeu que não era tempo de revelar o que estava em seu coração.

  • Contenha-se
O restante da conversa não dizia respeito a José. O assunto em pauta eram seus irmãos, e naquele momento não importava como estava o coração do governador. Se existe momento de explodir em secreto, exite momento de se conter. Não falar sobre a dor, ou a paixão, ou o luto, ou a euforia. Voltar todo o nosso olhar para os outros. É preciso ter auto controle e se dispor a controlar seu próprio espírito.

  • Ponha pão
Depois de se recompor, José ordena aos servos que ponham pão para seus irmãos. Depois de ter as forças renovadas pelo próprio Deus, é hora de alimentar outras pessoas. É quase desumano pensar somente em nossos problemas - que inclusive estão sendo cuidados por Deus - enquanto pessoas morrem de fome do Pão da Vida.

Quando despimos nossas almas diante de Deus, Ele não só cuida de nós como também nos capacita para cuidar de outras pessoas. Já estamos alimentados, fortes, mas há gente que depende de nós para não desfalecer.

A princípio, as emoções intensas apontam para nós, mas quando colocamos diante de Deus, crendo que Ele cuida de nós, percebemos que se trata de algo muito maior: O Reino de Deus. Então todos os nossos esforços se voltam para guiar os famintos ao Pão Vivo.

"Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade,
porque ele tem cuidado de vós."
(1 Pedro 5.7)


Nenhum comentário:

Postar um comentário