terça-feira, 2 de maio de 2017

Só por hoje


- Ei, mestre! Posso falar contigo?

- Fique à vontade. E esse semblante abatido? O que acontece?

- É justamente sobre isso que vim falar.

- Pode falar. Sou todo ouvidos.

- Sabe, mestre, eu sei que você tem se esforçado para me manter e para me ensinar, mas estou pensando em partir.

- Qual a origem desse pensamento?

- É que, mestre, eu estou cansado! Estou cansado de subir montanhas, de montar altares e de passar noites em claro. Estou cansado de sair pela vila, e bem... Mestre, você não tem culpa. A propósito, é um ótimo mestre. Mas eu estou cansado das vaias, da cana estralando nas costas, e das quarentenas menos uma de chicotadas que me deixam em carne viva! A verdade é que eu não quero desistir, mas eu sinceramente não estou suportando esse peso!

- Pequeno, posso lhe dar um conselho?

- Claro, mestre! Mas duvido que consiga me fazer mudar de ideia.

- Aguenta firme.

- Mas mestre...

- Só por hoje!

- ... Mestre?

- Sim?

- Você já diz isso há tanto tempo! Foram essas mesmas palavras que saíram de sua boca quando fui atacado por lobos. "Só por hoje", você dizia enquanto arrancava as peles que apodreciam. Dizia como se a frase fosse uma anestesia, e repetia no decorrer dos dias como um mantra sagrado. E hoje, quase com a trouxa sobre o ombro, escuto as mesmas palavras que inquietam minha alma e que me geram aflição!

- Você está dizendo que não sou capaz de dar conta do que digo?

- Não, mestre! Por favor, me entenda! Eu sei que és homem sábio e que o teu conhecimento excede o de todos os livros. Mas mestre, você nunca teve a impressão de carregar a eternidade e o mundo inteiro nas costas?

- Pequeno, ainda és jovem e não entendes. Quando compreender o que digo, pararás de fugir e de sofrer em vão. Não se trata do mundo todo, mas de si mesmo. Na verdade nem mesmo a eternidade está em questão, mas o atual momento. Com o teu crescimento entenderás que existe um lugar no universo, no espaço e no tempo que é só teu. Além destes, nada mais te pertence. Pra ti, no momento, só resta o segundo presente. Não lhe é necessário reger as forças sobrenaturais ou da natureza. Para ti basta a cada dia levantar antes do sol, recolher água no poço, cozinhar e comer. Não tens a eternidade em mãos, simplesmente um lugar nela. Se quiser partir, não trancarei os portões, nem soltarei os cães. Eu sei que você está cansado mas, antes de se precipitar, pense muito bem. O amanhã trará sua esperança. Quanto ao mal, é só por hoje.

Nenhum comentário:

Postar um comentário